Eleitores de Bolsonaro criticam declaração de voto de Roseana no presidenciável

Roseana esbarra em eleitores cada vez mais politizados e atentos ao oportunismo barato das raposas velhas

Se a intensão era surfar na popularidade do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e tentar garantir algum benefício em um possível governo, o grupo Sarney e o senador Roberto Rocha já encontraram dificuldades no grupo de apoiadores no Estado e entre os eleitores do candidato.

Logo após a votação do primeiro turno, a ex-governadora Roseana Sarney, além do senador Roberto Rocha, trataram de se escorar e declarar apoio ao candidato Bolsonaro.

A declaração de Roseana, por exemplo, não foi nada bem recebida pelos eleitores. As redes sociais foram inundadas de críticas aos políticos. Os admiradores e defensores de Bolsonaro rejeitaram totalmente o apoio dos políticos tradicionais. Para eles, Bolsonaro não precisa deles.

Pensando na sobrevivência de seus grupos políticos, as velhas figuras miram no candidato líder das pesquisas, mas esbarram em eleitores cada vez mais politizados e atentos ao oportunismo barato das raposas velhas.

STF acaba com aposentadoria de ex-governadores do Maranhão

A proibição deverá alcançar José Sarney, João Alberto, Edison Lobão, Zé Reinaldo Tavares e Roseana Sarney

O Supremo Tribunal Federal (STF) julgou procedente uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) proposta pela Procuradoria-Geral da República, e acabou com a aposentadoria vitalícia de ex-governadores do Maranhão. A decisão é do mês de setembro.

O benefício era garantido pelo artigo 45 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição do Estado do Maranhão, agora declarado inconstitucional.

Na mesma ação, o plenário da mais alta corte do país também declarou a inconstitucionalidade da Lei estadual nº 6.245/1994, que garantia a aposentadoria às viúvas de ex-governadores.

A proibição deverá alcançar José Sarney, João Alberto, Edison Lobão, Zé Reinaldo Tavares e Roseana Sarney.

As decisões já foram comunicadas ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), e ao presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PC do B).

Aliança do PSC com Roseana Sarney aposentou todos seus representantes

O partido encerrou as eleições de 2018 não garantindo representação na Assembleia Legislativa, muito menos no Congresso Federal

A derrota da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e do deputado federal Sarney Filho (PV) fez um grande estrago em todo o grupo, inclusive em partidos que ousaram fazer uma aliança na eleição de 2018, como o PSC.

O resultado das urnas mostrou que foi uma péssima escolha a aliança do PSC com o grupo Sarney.

Além da derrota de Ribinha Cunha (PSC), candidato a vice-governador na chapa de Roseana Sarney, outros nomes do PSC saíram derrotados nesta eleição.

O partido encerrou as eleições de 2018 não garantindo representação na Assembleia Legislativa, muito menos no Congresso Federal

Foi o caso do presidente da legenda no Estado, o deputado estadual Léo Cunha, que concorreu à reeleição, mas não obteve êxito.

Além de Léo Cunha, a deputado federal Luana Costa (PSC) também não garantiu sua reeleição para a Câmara dos Deputados.

O partido encerrou as eleições de 2018 não garantindo representação na Assembleia Legislativa, muito menos no Congresso Federal.

Grupo Sarney e prefeito de Imperatriz saem derrotados no segundo maior colégio eleitoral do Estado

A excelente votação de Flávio Dino em Imperatriz, que obteve 87.517 mil votos, 69,65% da votação, evidencia a força do grupo comunista no município. E as articulações para 2020 já começaram

Mesmo administrando a prefeitura de Imperatriz, o MDB, juntamente com o prefeito Assis Ramos, foram os maiores derrotados destas eleições no segundo maior colégio eleitoral do Estado.

Assis Ramos viu todos seus candidatos sendo derrotados na cidade em que administra e passa a olhar seu projeto a reeleição em 2020, prejudicado pelos números de 2018.

A candidata Roseana Sarney (MDB), correligionária de Assis obteve apenas 14 mil votos em Imperatriz, ficando atrás de Maura Jorge (PSL), que obteve 20.017 mil votos.

O prefeito de Imperatriz também viu seus dois candidatos a deputados saírem derrotas das urnas. Fátima Avelino (MDB), candidata a deputada estadual obteve apenas 7.784 mil votos na cidade, ficando em terceiro lugar, atrás de Marco Aurélio (PCdoB) e Rildo Amaral (SD). O candidato a deputado federal do prefeito, o médico Daniel Fiim teve apenas 12.923, ficando em quarto lugar.

Para o Senado, Edison Lobão (MDB) ficou em quinto lugar em Imperatriz e Sarney Filho (PV), em sexto lugar.

A excelente votação de Flávio Dino em Imperatriz, que obteve 87.517 mil votos, 69,65% da votação, evidencia a força do grupo comunista no município. E as articulações para 2020 já começaram.

Flávio Dino se reelege e decreta o fim da era Sarney no Maranhão

O governador sempre pontuava à frente dos demais adversários em todas as pesquisas registradas no Tribunal Superior Eleitoral do Maranhão.

Com 88% das urnas apuradas, o governador Flávio Dino (PCdoB) é reeleito no Estado do Maranhão.

Flávio Dino disputou a eleição com o apoio de 16 partidos e tinha na ex-governadora Roseana Sarney (MDB), sua principal adversária que pontua, até o momento, somente com 29%.

O governador sempre pontuava à frente dos demais adversários em todas as pesquisas registradas no Tribunal Superior Eleitoral do Maranhão.

Flávio Dino é reeleito e marca seu nome na história do Maranhão como o único governador que derrotou por duas vezes a família Sarney, derrotando inclusive, Roseana Sarney, que já governou o Estado por quatro mandatos.

Ibope e TV Mirante reconhecem vitória de Flávio Dino no primeiro turno

A pesquisa foi encomendada pela TV Mirante. Margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto ouviu 1.008 eleitores, entre os dias 2 a 4 de outubro

A TV Mirante divulgou, nesta quinta-feira (4), a última pesquisa do Instituto Ibope em que reconhecem a vitória do governador Flávio Dino (PCdoB) no primeiro turno. A pesquisa tambem aponta vantagem dos candidatos ao Senado Federal, Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS).

Na pesquisa estimulada para o governo, considerando todas as intenções de votos, inclusive as respostas dos eleitores que se declaram indecisos ou que votariam em branco ou nulo, Flávio Dino (PCdoB) aparece com 56%. Em segundo lugar aparece Roseana Sarney (MDB), com 30%; Maura Jorge (PSL), com 4%; Roberto Rocha (PSDB), com 2%; Ramon Zapata (PSTU), com 1%; Odívio Neto (PSOL), com 1%

Brancos/nulos somaram 4%, não sabem ou não opinaram 2%.

Em relação ao levantamento anterior, divulgado no dia 19 de setembro. Flávio Dino subiu de 49% para 56%. Roseana Sarney (MDB) caiu de 32% para 30%. Maura Jorge (PSL) passou de 5% para 4%. Roberto Rocha (PSDB) se manteve com 2%. Ramon Zapata (PSTU) passou de 0% para 1%. Odívio Neto (PSOL) passou de 0% para 1%. Brancos/nulos foi de 7% para 4%. Não sabe foi de 5% para 2%

Votos válidos

Considerando apenas os votos válidos, Flávio Dino vence ainda no primeiro turno com 59%. Para calcular esses votos são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto. Veja os índices:

Flávio Dino tem 59%. Em segundo lugar aparece Roseana Sarney com 32%; Maura Jorge tem 5%; Roberto Rocha tem 2%; Ramon Zapata tem 1% e Odívio Neto tem 1%.

A TV Mirante também divulgou os números do Ibope para o Senado Federal. Os números apontam que se a eleição fosse hoje, Weverton e Eliziane seriam eleitos.

Weverton Rocha (PDT) tem 35%; Eliziane Gama (PPS) tem 34%; Sarney Filho (PV) tem 25%; Edison Lobão (MDB) tem 23%; Zé Reinaldo (PSDB) tem 10%; Alexandre Almeida (PSDB) tem 5%; Saulo Pinto (PSOL) tem 4%; Samuel de Itapecuru (PSL) tem 3%; Preta Lú (PSTU) tem 2%; Saulo Arcangeli (PSTU) tem 2%; Iêgo Bruno (PCB) tem 1%

Branco/Nulo – Vaga 1: 12%. Branco/Nulo – Vaga 2: 20%. Não sabem: 24%

A pesquisa foi encomendada pela TV Mirante. Margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto ouviu 1.008 eleitores, entre os dias 2 a 4 de outubro. A pesquisa foi registrada no TRE sob o número MA-07570/2018

A três dias da eleição, Instituto Data M confirma vitória de Flávio Dino no primeiro turno

A pesquisa Data M foi realizada entre domingo (30) e quarta-feira (3), com 1.500 pessoas em todas as regiões do Maranhão

O Jornal Pequeno publicou, nesta quinta-feira (04), os resultados da nova pesquisa do Instituto Data M. Os números mostram que o governador Flávio Dino (PCdoB) e os candidatos Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), que subiram nas intenções de votos, serão eleitos no próximo domingo, dia 7.

A pesquisa foi encomendado pelo Sindicato das Indústrias de Construção Civil do Maranhão (Sinduscon). Os números mostram que Flávio Dino subiu de 59,5% para 62% dos votos válidos.

O resultado é mais que o dobro do conseguido por Roseana Sarney (MDB), que tem 30,5%. Maura Jorge (PSL) aparece com 5,6%, seguida por Roberto Rocha (PSDB), com 1,5%; Ramon Zapata (PSTU), com 0,3% e Odívio Neto (PSOL), com 0,1%.

Senado

A Data M também mostra que os dois candidatos ao Senado da chapa do governador Flávio Dino lideram a disputa. Neste ano, os eleitores votam em dois senadores.

O candidato Weverton Rocha (PDT) subiu 6,3 pontos e chegou a 36,2% das intenções de votos totais. Eliziane Gama (PPS) cresceu 5,2 pontos e agora tem 34,6%.

Logo em seguida aparecem Edison Lobão (22,8%), Sarney Filho (20,9%), Zé Reinaldo (7,2%), Alexandre Almeida (6,6%), Preta Lú (1,7%), Samuel Campelo (1,5%), Saulo Pinto (0,9%), Saulo Arcangeli (0,6%) e Iêgo Bruno (0,1%).

Brancos e nulos são 28,7%. Indecisos ou não sabem são 38%. A soma total dá 200% porque neste ano os eleitores votam em dois senadores.

Registro

A pesquisa Data M foi realizada entre domingo (30) e quarta-feira (3), com 1.500 pessoas em todas as regiões do Maranhão. A margem de erro é de 3 pontos para mais ou para menos. O registro da pesquisa é MA-08386/2018.

Pesquisa Interpreta: Flávio Dino cresce e chega a 63% dos votos

Foram entrevistadas 1.500 pessoas na zona urbana e zona rural de municípios das regiões Norte, Sul, Leste, Oeste e Centro do estado

A mais recente pesquisa Interpreta mostra que o governador Flávio Dino cresceu e chegou a 63,03% das intenções de votos válidos, o que significaria que hoje ele seria eleito no primeiro turno. A eleição é neste domingo (7).

A pesquisa, encomendada pelo Jornal Correio, foi feita em todas as regiões do Maranhão entre os dias 27 e 29 de setembro. Na pesquisa anterior, Flávio tinha 61,82%.

De acordo com a nova pesquisa, Roseana Sarney aparece com 27,65%, menos da metade dos votos de Flávio. Em seguida vêm Maura Jorge (5,98%), Roberto Rocha (2,31%), Odívio Neto (0,55%) e Ramon Zapata (0,48%).

Registro

Foram entrevistadas 1.500 pessoas na zona urbana e zona rural de municípios das regiões Norte, Sul, Leste, Oeste e Centro do estado. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança é estimado em 95%. A pesquisa está registrada no TSE sob a identificação MA-09260/2018.

Roseana “investe” em Roberto Rocha para tentar segundo turno, avalia cientista político

Nas redes sociais, o especialista se posicionou sobre a estratégia do staff de Roseana após o debate da TV Mirante

Com alta rejeição, sem apelo nas ruas e com uma identidade política ligada ao passado, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) tem como última estratégia, para arrancar um improvável segundo turno, distribuir votos entre Roberto Rocha e Maura Jorge. Essa é a avaliação do cientista político e professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Hesaú Rômulo.

Nas redes sociais, o especialista se posicionou sobre a estratégia do staff de Roseana após o debate da TV Mirante. O professor acredita que, depois de apostarem em Maura Jorge (PSL), a mídia sarneysista tenta “vender” que Roberto Rocha foi o vencedor do debate.

“Já investiram em Maura Jorge e não funcionou. Agora colocam energia no tecnicismo que Rocha oferece”, pontuou.

“Pulverizar os votos entre Rocha e Maura Jorge parece a última estratégia pra evitar que Flávio Dino encerre as coisas no Maranhão ainda no primeiro turno”, acrescentou Hesaú.