Temer corta R$ 150 milhões da Saúde; para Rubens Jr, “onda de protestos pode voltar”

O parlamentar lembrou ainda que a redução dos programas sociais e até no SUS foi a única manobra possível para Temer

O deputado federal Rubens Pereira Júnior (PCdoB-MA), titular da Comissão Mista de Orçamento da Câmara, considera que a saída econômica encontrada pelo governo Michel Temer (PMDB) para conter a greve dos caminhoneiros “foi a pior possível”.

Para reduzir o valor do diesel para R$ 0,46 por litro, o governo Temer usou R$ 6,2 bilhões de reservas orçamentárias, e o restante por meio do corte de investimentos em Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Social, Infraestrutura, Educação, Saúde, Justiça e Segurança.

“Temer cortou mais de R$ 150 milhões da saúde e R$ 300 milhões das estradas. É óbvio que isso não vai dar certo. A onda de protestos pode voltar. A solução do governo não resolve o problema”, avalia Rubens Júnior.

Redução dos programas sociais e no SUS

O parlamentar lembrou ainda que a redução dos programas sociais e até no SUS foi a única manobra possível para Temer. Como o presidente aprovou a PEC do teto de gastos, que congela o orçamento por 20 anos, ele teve de cortar em áreas como saúde, educação e infraestrutura, para fazer caber a redução do diesel.

Suspenso, Instituto Gerir vinha sendo notificado desde 2017 para esclarecer prestação de contas

Secretário de Saúde, Carlos Lula, emitiu nota sobre a questão

O Instituto Gerir, que administrava três unidades hospitalares no Maranhão, vinha sendo notificado, desde o início do ano passado, sobre imprecisões em sua prestação de contas. Na segunda-feira (21/mai), a Secretaria de Saúde veio suspender o contrato da instituição.

Em novembro de 2017, a secretaria comunicou que o instituto tinha até dezembro do ano passado para responder dúvidas no relatório de prestação de contas referente a agosto de 2017. Segundo a Secretaria, faltavam comprovantes na prestação de contas.

O Gerir administrava três unidades hospitalares, entre elas o Hospital Carlos Macieira. A administração das unidades já foi trocada por outras instituição cadastradas.

Os questionamentos sem respostas que rondam o estranho caso Mariano Castro…

Médico foi encontrado morto na última quinta-feira. Determinados fatores teriam-no levado a cometer suicídio

Quem disse que determinada “carta”, com trechos maldosamente lançados na internet, seria mesmo do médico Mariano Castro, encontrado morto na última quinta-feira (12)? As anotações feitas, supostamente, por ele não têm a sua assinatura. Essa é a primeira observação que se pode fazer ao analisarmos as abordagens, em relação ao caso, já feitas, até o momento, de forma açodada, precipitada, nas redes sociais, evidenciando uso político do tema com fins, lamentavelmente, ao que nos parece, eleitoreiros .

Dois dias antes de o médico morrer, surge uma “carta” atribuída a Mariano. Mas a quem interessaria vazar anotações que, supostamente, seriam do médico? Como e por que concluíram que a “carta” foi escrita pelo médico? Estamos diante de uma nova tentativa de “Reis Pacheco” (fake news utilizado, em 1994, contra o então candidato ao governo, Epitácio Cafeteira, para prejudicá-lo eleitoralmente)? Todos esses são questionamentos que ficaram sem respostas até aqui. Tudo muito estranho e digno de muitas interrogações.

Em prisão domiciliar, o médico Mariano Castro, alvo da operação Pegadores – que apura denúncias contra a Saúde do Estado – foi encontrado morto, na última quinta-feira (12), em seu apartamento em Teresina (PI) “após cometer suicídio”. Até agora, essa seria a  hipótese mais provável na investigação da polícia.

Em seus depoimentos à Polícia Federal, no inquérito da Operação Pegadores, o médico Mariano Castro não fez acusação a ninguém. Por que o faria numa “carta” sem a sua assinatura e em que circunstâncias? Nao é estranho?

É fato que a Polícia Civil do Piauí diz ter  recolhido uma carta no apartamento em que o médico Mariano Castro foi encontrado morto por sua irmã, na noite da última quinta-feira.  Mas que carta seria essa? O que Mariano deixou mesmo dito nessas linhas?

A carta realmente encontrada no apartamento de Mariano Castro seria a mesma, cujos trechos foram publicados, nas redes sociais, dois dias antes do médico ser encontrado morto? Outra pergunta sem resposta até aqui.

Se a suposta “carta” é ou não do Mariano Costa, a polícia, certamente, vai descobrir. Investigações existem para isso mesmo. Como também os investigadores poderão fazer vir  à tona se determinados “fatores” provocaram a morte precoce do médico. É aguardar!

Médico preso na operação contra desvios de recursos na Saúde do Maranhão é encontrado morto

Segundo relatos de amigos, o médico vinha apresentando quadros de depressão após sua prisão

Na noite desta quinta-feira (12), o médico Mariano de Castro Silva teria cometido suicídio em Teresina. Segundo informações policiais, ele foi encontrado morto no apartamento dele com uma corda no pescoço.

Médico da regulação do estado do Maranhão, Mariano de Castro Silva chegou a ser preso, em novembro do ano passado, pela Polícia Federal na operação “Pegadores”, juntamente com a ex-subsecretária de  Saúde do Estado, Rosângela Curado.

Bastante questionada na imprensa e por veículos de comunicação, a operação foi classificada de política, pois não foram apresentadas provas contra um suposto desvio de recursos públicos federais que estaria acontecendo na rede de saúde do Estado.

Entre amigos  do médico, há informações de que ele teria ficado depressivo após a prisão.

Política de saúde do governo Flávio Dino será apresentada em evento internacional na Dinamarca

Governador Flávio Dino.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) selecionou um financiamento em saúde em vigor no governo Flávio Dino, para representar o Brasil no evento “Diálogo global sobre financiamento para prevenção e controle de doenças não transmissíveis – DNTs”, em Copenhague (Dinamarca), entre os dias 9 e 11 deste mês.

O único projeto do Brasil a integrar a programação do evento é o Fundo Estadual de Combate ao Câncer. Na segunda-feira, dia 9, o secretário estadual de Saúde, Carlos Lula apresentará o projeto maranhense no painel, “Mobilizando recursos domésticos para as DNTs: Aprendendo com as experiências dos países”.

O Fundo Estadual de Combate ao Câncer é apontado como uma solução criativa para promover um melhor atendimento e ampliação da assistência. Os recursos financeiros são usados em unidades públicas de atendimento especializado, servindo também para expansão e descentralização dos serviços para os municípios do interior do estado.

Concurso para mil vagas na Saúde do Maranhão acontece neste domingo…

Primeira etapa do concurso acontece neste domingo

Acontece neste domingo (18) o concurso público para a rede de Saúde do Maranhão que oferece 1000 vagas, distribuídas entre 28 cargos nas áreas médica, assistencial e administrativa. Os salários variam de R$ 1.000 a R$ 7.425,31. É o primeiro concurso destinado à rede pública de saúde do Maranhão em 25 anos. O último foi realizado em 1992.

De acordo com o edital, o concurso será executado em duas etapas. A primeira, composta de provas objetivas e eliminatórias, e a segunda será a apresentação de títulos para os candidatos classificados na primeira fase dentro do número de vagas previsto no edital.

Para saber o local de realização da sua prova cada candidato deverá consultar e imprimir o cartão de informação do candidato, disponível no endereço eletrônico www.institutoaocp.org.br. As provas objetivas serão aplicadas nas cidades de Balsas, Barra do Corda, Caxias, Codó, Imperatriz, Itapecuru, Pinheiro, Presidente Dutra, Rosário, Santa Inês, São João dos Patos, Timon, Zé Doca e São Luís.

O candidato deverá comparecer ao local da prova com antecedência mínima de 60 (sessenta) minutos do horário fixado para o fechamento do portão de acesso ao local. Perto de 44.500 candidatos estão inscritos. Os cargos de técnico em enfermagem (16.122), enfermeiro (8.050) e assistente administrativo (5.639) são os mais concorridos. A distribuição dos candidatos aprovados no concurso será feita de acordo com a necessidade/conveniência das unidades de saúde localizadas nas regionais as quais os candidatos se inscreveram.

Médico é preso por negar socorro a recém-nascido em Pinheiro; Presidente da Assembleia condena negligência

Paulo Roberto Costa foi autuado em flagrante por homicídio culposo. Para que ele não seja transferido ainda nesta quinta para um presídio, ele terá que pagar fiança de R$ 47,7 mil, o equivalente a 50 salários mínimos.

Um médico de 44 anos foi preso, na madrugada desta quinta-feira (1), acusado de negar atendimento a um recém-nascido. O bebê acabou morrendo na maternidade da cidade de Pinheiro, pouco tempo depois. O hospital afirmou que a ambulância não trazia um médico, como recomenda a lei, e reforçou que o bebê já chegou morto à unidade de saúde.

Diante da recusa, a Polícia Militar foi acionada. Segundo informações do delegado que continua investigando a causa da morte do bebê, o recém-nascido veio a óbito enquanto o médico era conduzido para a delegacia.

Em seu depoimento, Paulo Roberto, que era o médico plantonista, alegou que se recusou a atender o bebê em respeito à orientação da unidade. O Hospital Materno Infantil de Pinheiro informou ainda que os hospitais do município de Pinheiro sempre prestam atendimento aos pacientes de todos os municípios, em cumprimento ao código de ética profissional.

Paulo Roberto Costa foi autuado em flagrante por homicídio culposo. Para que ele não seja transferido ainda nesta quinta para um presídio, ele terá que pagar fiança de R$ 47,7 mil, o equivalente a 50 salários mínimos.

Confira a nota do hospital sobre o caso

“Na madrugada do dia 01/02, às 2:05 da manhã, chegou na unidade de saúde Materno Infantil de Pinheiro, uma ambulância de São Bento transportando um Neonato de 01 dia de nascido, grave, em uso de Droga vasoativa (adrenalina) que de forma alguma pode ser ministrado por técnico de enfermagem, em companhia apenas de um técnico de enfermagem, de forma inadequada, sem acompanhamento médico e/ou do enfermeiro e sem ambulância adequadamente equipada para esse transporte de Neonato segundo resolução 1.673/2003 do CFM e resolução 375/2011 do COFEM artigo 1 (em anexos).

Na chegada a unidade, o Neonato não foi nem retirado da ambulância e foi comunicado à equipe de plantão, que já constatou que o mesmo já se encontrava em óbito. Visto o caso referido, a responsabilidade é inteiramente do médico responsável pelo transporte do hospital de São Bento.

Informamos ainda que os hospitais do município de Pinheiro sempre prestam atendimento a todos os pacientes de todos os municípios, estando pactuados ou não e que segundo o código de ética profissional, se faz claro que todos pacientes graves sejam atendidos e que dessa forma, visto que o paciente já se encontrava em óbito, não caracteriza o fato acima como omissão de socorro.

O Hospital Nossa Senhora das Mercês (Materno Infantil) lamenta profundamente que vidas ainda sejam perdidas por conta da omissão do cumprimento das normas e leis de saúde; o transporte adequado dos pacientes de outros municípios para nossas unidades pólo podem determinar a vida e a morte da população.

Nos solidarizamos profundamente com a dor da família em luto e afirmamos que nunca omitimos ou omitiremos socorro e que lamentamos imensamente não poder salvar as vidas que chegam até nós de forma irremediável.”

 

NAS REDES SOCIAIS, PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA CONDENA A OMISSÃO DO MÉDICO

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), por meio do Twitter, condenou a negligência do médico Paulo Roberto Penha Costa. Classificou de absurda a atitude do profissional e disse que ele deveria ser indiciado por homicídio.

O caso teve forte repercussão em Pinheiro e no Maranhão todo. A Polícia investiga o caso e as responsabilidades sobre a morte do recém-nascido.

Deputados constatam que UPA’S estão funcionando regularmente

Parlamentares fizeram visita in loco a pedido do secretário Carlos Lula

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), fez uma visita, nesta terça-feira (30) pela manhã, às Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) da Cidade Operária e do Vinhais, acompanhado do presidente da Comissão de Saúde da Casa, deputado Dr. Levi Pontes (PCdoB), a convite do secretário de Saúde do Estado, Carlos Lula, que participou dos eventos.

Após percorrem as dependências das duas unidades de saúde e conversarem com pacientes à espera de atendimento, o presidente Othelino Neto disse que o grupo constatou o pleno funcionamento das UPA’s. O parlamentar condenou a exploração sensacionalista feita em torno do assunto, por conta da queda de uma placa na UPA da Cidade Operária.
De acordo com Othelino, as visitas serviram para ver de perto o funcionamento, junto com a imprensa, para que a sociedade saiba o que realmente está acontecendo.

“Viemos olhar de perto o funcionamento das duas UPA’s a convite do secretário Carlos Lula. Na Cidade Operária, por exemplo, constatamos que a reforma está no final com o atendimento transcorrendo normalmente. Conversamos com as pessoas e não observamos, nem de longe, a crise que tentaram divulgar para o Maranhão. Iremos a outras Upas, para traçar o quadro real dos problemas que existem, mas distantes da exploração eleitoreira que fizeram”, avaliou o presidente da Assembleia.

O deputado Levi também condenou a exploração política. “Espalharam que a reforma iria fazer desabar o teto na Cidade Operária, mas está tudo normal. Apenas as chuvas fortes derrubaram uma calha e o pedaço de uma placa externa. O secretário aproveitou para fazer a reforma do telhado”, afirmou o parlamentar.

O secretário Carlos Lula, acompanhado de uma equipe médica das UPA’s e assessores, explicou como funcionou a reforma de uma ala e do telhado e as medidas adotadas para reduzir as filas e melhorar, ainda mais, o atendimento.

O secretário enfatizou que caiu apenas uma parte da placa externa de uma calha por conta das chuvas, sem risco qualquer para o teto, mas, mesmo assim, resolveu fazer a reforma do telhado.

Diretor do Conass destaca gestão de Carlos Lula na Saúde…

O secretário-executivo do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), o médico Jurandi Frutuoso, elogiou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, em uma rede social.

Um dos artífices do avanço da Saúde no Ceará, Frutuoso parabenizou o secretário Carlos Lula e afirmou que, “tenho dito a muitos que você é uma grata surpresa como gestor. O governador Flávio Dino acertou ao nomeá-lo secretário de saúde do Maranhão. Muitos acertos respaldam minha afirmação”, escreveu o secretário-executivo do Conass.

Um dos acertos a que se referiu o secretário-executivo do Conass, Jurandi Frutuoso, foi o resultado de 50 mil atendimentos a mais do que a meta estabelecida para a Farmácia de Medicamentos Especializados (Feme). A Feme realizou mais de 222 mil atendimentos no ano passado.

O secretário Carlos Lula também parabenizou as equipes da Assistência Farmacêutica Estadual.

“Este resultado representa uma superação de mais de 50 mil em relação a nossa meta de 2017, fortalecendo a confiança da população neste serviço que alcança todo o Maranhão. Parabéns ao empenho diário das nossas equipes da Assistência Farmacêutica Estadual por mais esta conquista”, disse Lula.