Governador Flávio Dino antecipa 13º para funcionários públicos

O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou nesta sexta-feira (8), em sua conta no Twitter, que antecipará a primeira parcela do 13º do funcionalismo público estadual

Enquanto o Brasil passa por uma das maiores crises econômicas de sua história, o Maranhão se destaca pela sua saúde fiscal e financeira. O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou nesta sexta-feira (8), em sua conta no Twitter, que antecipará a primeira parcela do 13º do funcionalismo público estadual na próxima quinta-feira (14).

 

“Pagaremos a metade do 13º salário dos servidores do Governo do Maranhão, relativo a 2018, no próximo dia 14 de junho.”

 

O mais recente relatório da agência de classificação de risco Moody’s sobre o Maranhão reforça aquilo que vem sendo atestado por diversas fontes e organismos: a saúde fiscal do Estado é sólida e vigorosa. O boletim manteve a manteve o rating (nota) da economia do Maranhão, com perspectiva estável, em Ba3 (escala global, moeda local e estrangeira) e A3.br (escala nacional, moeda local). Isso representa a manutenção da confiança na capacidade de o Estado honrar seus compromissos.

 

O Boletim de Finanças divulgado pelo Tesouro Nacional também mostra que o Maranhão tem saúde fiscal mais sólida do que tinha em 2014. Ou seja, o dinheiro público vem sendo administrado de maneira mais eficiente pela atual gestão.

 

Em 2014, a nota da Capacidade de Pagamento (Capag) do Maranhão era C. Segundo o boletim do Tesouro divulgado na quarta-feira (6), o Maranhão agora tem uma nota B, desempenho que vem se mantendo desde 2015. Segundo a classificação do Tesouro Nacional, as notas A e B indicam boa situação fiscal. Já os conceitos C e D sinalizam o contrário. O Tesouro Nacional é um órgão do Governo Federal.

Maranhão tem a 2ª melhor situação fiscal do Brasil, diz Federação das Indústrias do Rio

Um estudo divulgado, nesta semana, pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) mostra que o Maranhão tem a segunda melhor situação fiscal em todo o Brasil. Isso significa que as contas do Estado estão em ordem num momento em que o país atravessa uma crise econômica e muitos  atrasam ou não fazem os pagamentos obrigatórios.

De acordo com a pesquisa ‘A situação fiscal dos estados’, que consolida os dados de 2016, o Maranhão tem desempenho de destaque no que se refere a gastos com pessoal, dívida e investimentos. O estado aparece bem acima da média em todos os critérios analisados.

O estudo também mostra que a Dívida Consolidada Líquida de 2016 ficou bem abaixo do limite legal. Isso quer dizer que o Maranhão tem a dívida sob controle.

Ainda de acordo com o estudo, o Maranhão tem, proporcionalmente, a melhor disponibilidade de caixa entre todos os Estados. “Destaque positivo para Maranhão e Tocantins, estados em que os recursos em caixa são suficientes para cobrir as despesas postergadas e ainda resultam em um crédito que supera 60% da RCL (Receita Corrente Líquida)”, afirma o estudo. O Maranhão também se destaca no ranking de investimentos.

“Os cinco estados em melhor situação fiscal combinaram gasto com pessoal e dívida baixos”, acrescenta o levantamento.

A pesquisa foi feita com dados oficiais disponibilizados pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Foram analisadas quatro variáveis fundamentais ao equilíbrio de um ente público: Dívida, Despesa com Pessoal (ativo e inativo), Disponibilidade de Caixa e Investimentos.