“Não querem eleições; querem tapetão”, diz Flávio Dino ao grupo Sarney

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), reagiu à ofensiva da oposição ao seu governo que anunciou pedido de intervenção federal no Estado por conta de um documento que teria circulado no Sistema de Segurança, assinado por um oficial da Polícia Militar, sobre um suposto “monitoramento” de lideranças políticas.

“Não querem eleições, querem tapetão. Deve ser saudade da Ditadura Militar, quando mandavam sem ter votos”, disse Flávio Dino ao se dirigir, diretamente, ao grupo Sarney e à oposição.

Segundo Flávio Dino, a oposição estaria demonstrando “insatisfação com a Polícia que tirou São Luís de ser uma das 50 cidades mais violentas do mundo, acabou com os crimes em Pedrinhas e reduziu o índice de violência”.

Marco Aurélio repudia ataques a Flávio Dino…

Deputado Professor Marco Aurélio

Em pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado Professor Marco Aurélio (PCdoB) elogiou o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Governo do Estado na área da segurança pública. Ele também repudiou os ataques que Flávio Dino vem sofrendo de adversários políticos, por conta de um suposto documento da Polícia Militar, com procedimentos referentes às eleições desse ano.

“É um absurdo atribuir este documento ao governador Flávio Dino. Pauto, neste pronunciamento, a indignação, reforçando o trabalho que vem sendo realizado na segurança pública, nos últimos três anos e quatro meses. Nós temos um resultado mais do que satisfatório para o povo do Maranhão. É claro que toda hora vão inventar factóides e tentar macular este trabalho”.

O deputado Marco Aurélio questionou a intenção da oposição em falar em intervenção federal justamente no momento em que o governo mostra resultados positivos na segurança pública, com a  redução da violência e o fortalecimento da polícia. “É preciso termos exatamente a dimensão do que está sendo construído e termos um foco”, afirmou.

Ele acentuou, ainda, que o governo “é democrático, tem seriedade e apresenta resultados”. Disse que o objetivo das denúncias é “tentar tirar de Flávio Dino a linha permanente de agenda positiva, para tentar colocá-lo na defensiva; tentar tirar dele a força das ações e tentar emparedá-lo”.

“Mas não vão conseguir. De repente, se veem perdidos, com um governo de aprovação altíssima e, assim, será até o dia das eleições. O governador Flávio Dino não vai perder o foco, acentuou Marco Aurélio.

Reforço na segurança

De acordo com o deputado, a segurança pública do Estado do Maranhão mudou.  Ele destacou que “a realidade de caos que se tinha no Maranhão, com decapitações em presídio e ônibus sendo incendiados, mudou.  Em pouco mais de três anos, o Governo Flávio Dino colocou quase mil viaturas nas ruas para reforçar a segurança e elevou o número de policiais para o maior na história da corporação”.

Finalizando, o parlamentar governista ressaltou que o sistema de segurança pública melhorou demais, mas há, ainda, muito por avançar. “Muitas vozes se levantam aqui, hoje, com esse tom da crítica de desfazer o que está sendo construído pelo governo Flávio Dino. Porém, jamais as mesmas vozes se levantaram no passado para denunciar e cobrar o caos instalado na segurança no governo anterior”, acentuou o deputado.

Recordar é viver! Há quatro anos, PM decretava greve geral no Maranhão por insatisfação com Roseana

Cenas da fatídica greve de 2014

No dia 26 de março de 2014, centenas de policiais militares decidiram decretar greve geral no Estado. A insatisfação com o governo Roseana Sarney, que não cumpriu acordo feito com a categoria em 2011, era geral em todos os cantos do Maranhão.

Faltava o básico para a categoria. Desde fardamento até armamento para os policiais. Com menor efetivo de policial do país, o Maranhão sofria com mais uma greve dos policiais. A de 2014 foi a segunda no governo de Roseana Sarney entre os anos de 2009 até seu último ano de mandato.

Ou seja, em seis anos foram duas greves, uma a cada três anos de governo. Em 26 de março de 2014, a decisão foi tomada após diversas assembleias e manifestações para provocar a sensibilidade do governo Roseana. Após 3 anos sem nenhum sinal positivo, os PMs pararam novamente.

Cenário bem diferente vivem os policiais hoje, no governo Flávio Dino. Com aumentos anuais, recorde de promoções e investimentos em armamento, viaturas e estrutura, a PM do Maranhão vive seu melhor momento na história. Nesses três anos e três meses de gestão nunca nem se cogitou greve de policiais.

E os resultados estão sendo colhidos, como a saída de São Luís da lista das 50 capitais mais violentas do mundo e a diminuição da violência em todo o Maranhão, depois de anos de crescimento.

As eleições estão se aproximando e é sempre importante comparar. Neste quesito, a confrontação entre os governos Roseana e Flávio Dino chega a ser desleal a favor do atual governador.

Ministério da Segurança Pública será anunciado após o carnaval

Proposta pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim, a criação da pasta vem sendo debatida desde novembro de 2017.

Após o carnaval, o presidente Michel Temer planeja anunciar a criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública. A nova pasta deverá ser criada por medida provisória (MP). Uma das atribuições do ministério será desenvolver ações de combate à criminalidade.

Proposta pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim, a criação da pasta vem sendo debatida desde novembro de 2017. Além de Torquato e Temer, participam das discussões os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Sergio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional).

Pela proposta, Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) saem da alçada do Ministério da Justiça e ficarão subordinados ao novo ministério. A pasta contará com a estrutura já existente no Ministério da Justiça. Já o Ministério da Justiça, seguirá desenvolvendo políticas preventivas de combate às drogas e programas de recuperação de ativos no exterior, de política de estrangeiros e refugiados, defesa do consumidor e políticas antipirataria.

A criação de uma pasta exclusiva para cuidar da segurança pública é incentivada por parlamentares da chamada “bancada da bala” no Congresso Nacional. Em janeiro de 2017, após registros de chacinas em presídios, parlamentares da comissão de segurança pública da Câmara pediram a Temer a criação desse ministério.

Apesar de a segurança pública, em sua maior parte, ser de competência dos estados, o Palácio do Planalto tem sido cobrado pela crise no setor.

Polícia intensifica abordagens nas entradas e saídas de São Luís…

Os policiais também estão realizando incursões nos bairros para inibir a ação de bandidos e garantir um carnaval tranquilo.

Devido ao período de Carnaval, a Polícia Militar do Maranhão (PMMA), por meio do Comando de Policiamento de Área Metropolitana 3 (CPAM-3), reforçou as ações de fiscalizações e patrulhamento nas entradas e saídas de São Luís. Guarnições da PMMA estão distribuídas no Terminal da Ponta Espera, barreira da Estiva e em toda zona rural de São Luís, a fim de impedir que armas e drogas entrem ou saiam da cidade.

Desde o início desta semana, as abordagens na barreira da Estiva foram intensificadas pelas equipes do 21º Batalhão de Polícia Militar (BPM) por conta do grande fluxo de veículos que deixam a cidade com destino ao interior do estado.

No Terminal da Ponta da Espera (ferry boat), as equipes do 1º BPM estão fiscalizando a documentação dos veículos, a fim de impedir que carros irregulares ou roubados utilizem o ferry  como ponto de fuga. Os militares também revistam os veículos e passageiros no intuito de apreender armas e drogas.

Além dessa ação, os policiais também estão realizando incursões nos bairros para inibir a ação de bandidos e garantir um Carnaval tranquilo.

Equipamentos operacionais e novas viaturas são entregues ao Corpo de Bombeiros

O reaparelhamento visa ampliar a capacidade de trabalho das equipes de resgate, além de proporcionar mais segurança, agilidade e tecnologia à disposição dos militares, gerando ainda mais qualidade no atendimento à população maranhense.

Em solenidade realizada no quartel do Comando Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão, nesta quinta-feira (1), o Governo do Maranhão entregou diversos equipamentos operacionais e viaturas às equipes de bombeiros da região metropolitana, assim como do interior do Estado.
Durante a cerimônia, o Corpo de Bombeiros recebeu cinco viaturas do tipo pick-up, três Auto Bombas-Tanque, cinco ambulâncias, 12 desencarceradores hidráulicos com moto-bombas, nove equipamentos autônomos de respiração, quatro compressores de ar respirável, oito pranchas de imobilização, três kits de arrombamento tático e outros materiais de resgate e salvamento em altura.
O reaparelhamento visa ampliar a capacidade de trabalho das equipes de resgate, além de proporcionar mais segurança, agilidade e tecnologia à disposição dos militares, gerando ainda mais qualidade no atendimento à população maranhense. Todo o material será destinado às unidades operacionais, que reforçarão as atividades de salvamento em um momento importante, que é o período carnavalesco, onde é comum o aumento do número de acidentes de trânsito.
O evento também foi marcado pela inauguração da capelania da corporação, além da nomeação do coronel capelão Raimundo Gomes Meireles. O espaço será uma referência de orientação religiosa disponível a toda a tropa de bombeiros do Estado.

Homicídios caem 55% na capital maranhense

Os números mostram o resultado prático dos investimentos em segurança feitos nos últimos três anos.

Desde 2015, o número de homicídios em São Luís mantém a tendência progressiva de queda. O mês de janeiro de 2018 mostrou uma nova redução em relação aos anos anteriores. Na comparação com janeiro de 2014, a queda foi de 55%. O total caiu de 87 para 39 casos.

Os números mostram o resultado prático dos investimentos em segurança feitos nos últimos três anos. Em janeiro de 2014, foram 87 homicídios; em janeiro de 2015, 84; em janeiro de 2016, 63; em janeiro de 2017, 62; e agora, em janeiro de 2018, 39.

Com mais de 3 mil novos policiais, o Maranhão chegou à tropa recorde de mais de 12 mil profissionais. Também já foram entregues mais de 800 viaturas para reforçar o policiamento.

A Polícia Militar e a Polícia Civil estão com concursos em andamento para a contratação de mais de 1.300 profissionais, o que vai continuar aumentando o tamanho da tropa.

Crime em Barra do Corda! Filho de ex-prefeito assassinado é preso como principal suspeito…

Com informações de Globo.com

Desenrolar das investigações do assassinato de Nenzim choca o Maranhão

Pai e filho durante campanha pela Prefeitura de Barra do Corda

O ex-candidato a prefeito, Mariano Filho, filho do ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, conhecido como “Nenzim”, foi preso na madrugada de sexta-feira (8) na casa de um amigo em Barra do Corda. A vítima foi morta com um tiro no pescoço, na manhã da quarta-feira (6), na zona rural do município, a 341 km de São Luís.

Júnior do Nenzim, como é conhecido, é apontado pela polícia como o principal suspeito pela morte do pai. De acordo com as investigações, no dia do crime, o filho estava junto ao pai e não havia mais ninguém no local. Portanto, as informações iniciais que indicavam a presença de dois homens em uma moto no assassinato do ex-prefeito seriam falsas.

A informação foi confirmada ao G1 pelo o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela.

Júnior do Nenzim (de verde) esteve no velório do pai e chorou no ombro do irmão Rigo Teles

Entenda o caso

Manoel Mariano de Sousa, conhecido como Nenzim, foi assassinado com um tiro no pescoço, na manhã de quarta-feira (6), na zona rural de Barra do Corda, a 341 km de São Luís. Ele foi encaminhado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Barra do Corda e em seguida, transferido para um hospital no município de Presidente Dutra, mas acabou falecendo.

Após a morte do ex-prefeito e antes do velório do corpo, familiares procuravam entender o que teria motivado o assassinato. Dias após a morte de Mariano de Sousa, a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão informou que, diante das investigações, pediu à justiça pelo mandado de prisão do assassino do ex-prefeito de Barra do Corda.

O corpo de ex-prefeito foi velado durante toda a madrugada de quarta-feira (06), em sua residência, em Barra do Corda e foi acompanhado de uma multidão de amigos. O enterro aconteceu no fim da tarde desta quinta-feira (7), no cemitério São Francisco, em Barra do Corda.

Morte na prisão em Barra do Corda: o criminoso uso político de uma tragédia

Por Cunha Santos

Francisco Ednei Lima Silva

Há, ou pelo menos deveriam haver, limites humanitários para o exercício da atividade política. O respeito à dor alheia, por exemplo, à comoção de uma cidade diante de uma morte inesperada, o respeito ao desespero de familiares e amigos, precisam ser resguardados acima de qualquer interesse em querer atingir os adversários.

É deprimente a forma como deputados e a mídia sarneisista vem utilizando a morte incidental do comerciante Francisco Ednei Lima Silva, após sua prisão em virtude de um acidente de trânsito, para angariar ganhos políticos e fustigar o governo do Estado. E sabendo que Flávio Dino deles herdou o mais completo desastre na segurança pública e busca consertar com investimentos maciços, responsabilidade e determinação; sabendo a situação degradante em que deixaram todos as prisões, todos os prédios, todas as polícias, todas as delegacias.

O governo informa que a estrutura existente em Barra do Corda tem por finalidade garantir o banho de sol de presos provisórios e que em janeiro de 2015 o governo Flávio Dino encontrou 1.600 destes presos em delegacias, número reduzido a menos de 800, mesmo com o aumento de 50 % na detenção de suspeitos.

Querem apontar culpados por um crime que é mais deles que de qualquer um. Eles sucatearam o Sistema Estadual de Segurança Pública, pois mais ocupados estavam em reverter processos por corrupção que poderiam levar eles mesmos à cadeia.

Todos lembram. Todos sabem o perigo que foi viver no Maranhão, especialmente em São Luís, nos anos de 2013 e 2014, durante o governo Roseana Sarney. Na maioria dos casos, não havia nem onde prender ninguém, nem polícia suficiente para fazê-lo. E, embora criando 1400 novas vagas no sistema prisional nos últimos dois anos, é óbvio que o atual governo ainda não teve tempo de consertar tudo o que eles esbandalharam. Só por deter a verdadeira olimpíada de crimes ocorrente no Maranhão durante o governo Roseana Sarney, a Secretaria de Segurança Pública já merece ser aplaudida.

A polícia já instaurou inquérito para apurar a morte do comerciante, conforme informações, vítima de uma crise de hipertensão cuja origem ainda precisa ser esclarecida. Mas usar essa lamentável tragédia como arma contra adversários políticos, colocando a família enlutada no meio de um tiroteio verbal que só pode agravar a sua dor, é de uma impiedade e falta de caráter capaz de fazer corar um frade de pedra.

Meus pêsames à família de Francisco Edinei Lima Silva.

Meus pêsames ao Maranhão, pela existência de gente disposta a obter dividendos políticos tripudiando sobre a dor alheia.