Prefeitura de São Luís abre processo seletivo simplificado para o programa Mais Alfabetização

Estão disponíveis 62 vagas para a função de Assistente de Alfabetização Voluntário

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), abre processo seletivo simplificado para o programa federal Mais Alfabetização (PMALFA). Estão disponíveis 62 vagas, que serão preenchidas por meio de prova de título para a função de Assistente de Alfabetização Voluntário, prevista no programa.

A atuação será para o período de seis meses, no exercício de 2018 e de oito meses, nos exercícios subsequentes, conforme interesse da administração. As inscrições, abertas nesta quinta-feira (17), serão realizadas exclusivamente na coordenação do PMALFA, no auditório da Semed.

De acordo com o secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, o Assistente de Alfabetização Voluntário atuará no PMALFA, nas unidades escolares da rede pública municipal de ensino de São Luís. O programa tem também como objetivo promover a integração com a política educacional da rede de ensino; integrar as atividades ao projeto político-pedagógico da rede e das unidades escolares; viabilizar atendimento diferenciado às escolas vulneráveis; estipular metas entre o Ministério da Educação e Cultura (MEC), os entes federados e as unidades escolares participantes; assegurar o monitoramento e a avaliação periódica da execução e dos resultados do programa.

REQUISITOS

O candidato à vaga deve ter como requisitos mínimos para a seleção de Assistente de Alfabetização Voluntário idade mínima de 18 anos, no ato da inscrição; possuir, no mínimo, graduação em Pedagogia ou cursando a partir do 5º período e/ou graduação em curso de licenciatura com pós-graduação em Alfabetização e/ou Licenciatura em Magistério das Séries Iniciais e/ou Curso de Magistério em Nível Médio; disponibilidade de horário para participar do PMALFA e disponibilidade de horário para participar de reuniões de formação, com pessoal técnico responsável pelo programa.

INSCRIÇÕES

Os interessados em participar do processo seletivo devem se inscrever, exclusivamente na coordenação do PMALFA, no auditório da Semed (localizado na Avenida Marechal Castelo Branco, Quadra 14, Lote 14, nº 2, Edifício Trade Center – São Francisco), nos dias 17, 18 e 21 de maio, no horário das 8h às 12h e das 14h às 18h; e no dia 19 de maio, no horário das 8h às 12h. Não será cobrada taxa de inscrição.

O candidato pode ser servidor municipal desde que tenha disponibilidade de, no mínimo, 20 horas. Não serão aceitas inscrições por meio eletrônico, via postal e fax. No ato da inscrição, o candidato deverá apresentar Formulário de Inscrição do Processo Seletivo Simplificado devidamente preenchido; Carteira de Identidade ou Carteira Nacional de Habilitação (frente e verso); CPF; comprovante de residência; Título de Eleitor, com comprovante de quitação eleitoral. Não serão aceitos documentos após o ato da inscrição. Os interessados podem encontrar mais informações no site da Prefeitura, no link http://www.saoluis.ma.gov.br/edital.asp?id_edital=1342

SÓ NÃO VÊ QUEM NÃO QUER – Escolas municipais melhoram com reformas…

Fachada atual

Fachada atual da UEB Dayse Linhares de Sousa

Imagem antiga da mesma escola

Imagem antiga da mesma escola

Só não vê quem não quer  as ações que estão sendo realizadas na estrutura física das escolas públicas da rede municipal pela Prefeitura de São Luís. Ao todo, segundo a Secretaria Municipal de Educação (Semed), 33 unidades de ensino básico estão sendo reformadas ou restruturadas.

Poucas vezes se viu tamanha preocupação com a estrutura das escolas municipais de São Luís. E isso só não consegue enxergar  quem tem má fé mesmo. As mudanças são reais e notórias. Aquela imagem de unidades em péssimo estado – com fachadas decaídas, aspecto de sujeira, desorganização, paredes rachadas, carteiras quebradas etc – vai fazer parte do passado. Pelas fotos, é possível perceber essa diferença.

É claro que problemas existem, muitas escolas são antigas e outras não receberam reformas relevantes de governos anteriores. Há dificuldades de recursos, obviamente, como em qualquer outra cidade brasileira, mas o que se tem que admitir é a ação, o esforço, a iniciativa e a preocupação da Prefeitura e do secretário municipal de Educação, Geraldo Castro, que está empenhado em viabilizar essas  reformas, mudando e melhorando aí a cara dessas unidades de ensino.

Os serviços, que vêm sendo realizados nas escolas, têm o objetivo de garantir, segundo a Semed, condições adequadas de aprendizado para os estudantes e de trabalho para os professores. As melhorias incluem reparo ou substituição de portas e janelas, manutenção ou troca de instalações hidráulicas e elétricas, instalação de novas luminárias e ventiladores, troca de forro de salas de aula e corredores, execução de serviços de acessibilidade em banheiros e outras dependências, pintura interna e externa, entre outras intervenções.

As intervenções

Unidades oferecem melhores condições

Unidades oferecem melhores condições a estudantes e professores

Algumas escolas estão recebendo serviços de manutenção pela primeira vez desde que foram inauguradas. É o caso da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Ronald da Silva Carvalho, inaugurada em 2001 no bairro da Divinéia e que atende a cerca de 600 estudantes.

Passam por trabalhos de manutenção também as U.E.B. Cecília Meireles, na Cidade Olímpica; e Amaral Raposo, em Pedrinhas. A primeira foi danificada durante um incêndio ocorrido em outubro do ano passado, quando a escola funcionava como seção eleitoral. Já na U.E.B. Amaral Raposo, a melhoria era um pedido antigo da comunidade. A unidade está recebendo novas redes elétrica e hidráulica e reparos no telhado e forro, entre outros serviços de manutenção.

A creche  Maria de Jesus Carvalho, na Camboa, que não recebia manutenção há muitos anos, teve trocadas todas as caixas d’água e instalados 18 ventiladores, entre outros serviços. O dormitório da creche, que funciona em tempo integral, foi climatizado, garantindo conforto para o repouso das crianças.

Como se pode observar, a Prefeitura de São Luís não está  omissa, como quer fazer propagar seus críticos de má fé. Muito pelo contrário, há ações claras e evidentes, concretas, de intervenções que hoje oferecem um ambiente mais saudável a estudantes e professores. E isso é fato. É visível!