Em nota, Zé Inácio repudia ataque à sede do PT atribuído a seguidores de Bolsonaro…

Zé Inácio lançou nota para repudiar ataque à sede do PT

Em nota de repúdio divulgada nesta quinta-feira (02), o deputado estadual Zé Inácio Rodrigues (PT) mostrou indignação contra ato de vandalismo ocorrido na sede do Partido dos Trabalhadores, em São Luís. A fachada do prédio amanheceu com frases, classificadas de antidemocráticas em alusão ao deputado Jair Bolsonaro.

“Somos um país democrático e livre! Não aceitaremos nenhum tipo de ataque criminoso contra o PT e rechaçamos, firmemente, a ação contra a sede do Partido por parte de seguidores do Bolsonaro que disseminam o ódio, a intolerância e o preconceito contra quem pensa diferente deles”, reagiu Zé Inácio em um trecho da nota de repúdio.

Segue abaixo a nota lançada por Zé Inácio Rodrigues.

NOTA DE REPÚDIO

*Por Deputado Zé Inácio (PT)

Repudio com veemência a ação antidemocrática e criminosa de vândalos contra a sede do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) no Maranhão.

A sede amanheceu pichada com símbolos e frases enaltecendo o deputado Jair Bolsonaro, uma clara afronta à democracia e à liberdade de opinião que conquistamos às duras penas no Brasil.

É lamentável que estas práticas antidemocráticas ainda aconteçam, embora conheçamos a índole daqueles que defendem e apoiam Jair Bolsonaro, saudosistas do regime militar.

Somos um país democrático e livre! Não aceitaremos nenhum tipo de ataque criminoso contra o PT e rechaçamos firmemente a ação contra a sede do Partido por parte de seguidores do Bolsonaro que disseminam o ódio, a intolerância e o preconceito contra quem pensa diferente deles.

Seguiremos firme na defesa da democracia e tomaremos as devidas providências para apurar os fatos e punir os responsáveis por essa ação criminosa.

Ataques à Veja, liberdade de Imprensa e vandalismo…

O protesto de cerca de 200 pessoas do grupo União da Juventude Socialista (UJS), ligado ao PT,  em frente ao prédio da Editora Abril, em São Paulo, gerou repúdio geral de entidades da mídia brasileira. Na opinião do blog, foi uma manifestação de intolerância, uma lamentável tentativa de intimidação, próprias de quem não sabe conviver na democracia e num país com liberdade de imprensa.

O ataque à sede da revista Veja se deu logo após a publicação ter divulgado capa, mostrando que o doleiro Alberto Youssef revelou, em depoimento, que a presidente Dilma Rousseff e o ex Lula da Silva sabiam de tudo sobre o esquema de corrupção na Petrobras.

Indignados, os manifestantes, integrantes da União da Juventude Socialista (UJS), picharam os muros com frases como “Fora Veja” e “Veja mente” e espalharam sujeira diante da editora.

Em nota, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) “repudiou veementemente” os ataques e considerou “grave qualquer ato de intimidação à liberdade de imprensa”.

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) criticou a Justiça Eleitoral por impedir que a Abril fizesse publicidade da nova edição da revista e destacou que “as agressões cometidas são igualmente condenáveis”. A ABI acrescenta: “A História tem mostrado como manifestações de intolerância dessa natureza costumam terminar”.

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) ressalta que um veículo de imprensa “tem o direito de publicar qualquer coisa” e quem não concorda “tem o direito de protestar”, mas “respeitados os limites legais”.

Vândalos atacam prefeitura, órgãos do município e prédios do Centro para atingir Flávio Dino

Palácio La Ravardiére, sede da Prefeitura, foi atingido pelos vãndalos

Palácio La Ravardiére, sede da Prefeitura, foi atingido pelos vãndalos

Sede do Ipam, órgão do município, também foi alvo de pichações

Sede do Ipam, órgão do município, também foi alvo de pichações

Vândalos, certamente ligados ou simpatizantes de adversários do candidato a governador pela coligação “Todos pelo Maranhão”, Flávio Dino (PCdoB), atacaram, na madrugada de quinta para esta sexta (19), a sede da Prefeitura de São Luís, na Praça Dom Pedro II, e órgãos como o Instituto de Previdência e Assistência do Município (Ipam), na Rua do Sol.

Nem prédios de estabelecimentos comerciais escaparam na Rua do Sol. O restaurante Tio Patinhas, em frente ao Ipam, também foi pichado com frases ofensivas a  Flávio Dino, a exemplo de outras propriedades particulares.

Nas fachadas, frases ofensivas como “Fora Dino”, “Fora 65”, etc. Os ataques foram denunciados aos órgãos competentes que investigam o caso para identificar os autores.

A praticamente 15 dias das eleições, o clima vai ficando, cada vez mais, tenso nas eleições do Maranhão. Coisas desse tipo são lamentáveis. Não é só Flávio Dino que está sendo atacado. Essas pessoas estão atingindo o patrimônio público.

Restaurante Tio Patinhas, em frente ao Ipam, também sofreu a ação dos vãndalos

Restaurante Tio Patinhas, em frente ao Ipam, também sofreu a ação dos vãndalos

Guarda Municipal de Caxias é invadida com atos de vandalismo

Inquérito policial está apurando ato de vandalismo contra sistema de videomonitoramento de Caxias

Inquérito policial está apurando ato de vandalismo contra sistema de videomonitoramento de Caxias

Pessoas, até o momento não identificadas, invadiram a sede da Gaurda Municipal de Caxias e danificaram os monitores que seriam utilizados no sistema de videomonitoramento de Caxias. O secretário municipal de Segurança Pública, Silvínio Rocha, após ser informado sobre o ocorrido por um guarda municipal que estava de serviço no local, denunciou o fato e registrou a ocorrência para abertura de inquérito policial. Os monitores foram pintados com tinta amarela e riscados com objetos pontiagudos.

O guarda municipal de plantão, ao entrar pela manhã no plantão de sábado (21), ao fazer uma vistoria nas instalações da sede da Guarda Municipal, constatou o crime e, imediatamente, relatou o ocorrido ao chefe da repartição, que decidiu levar o caso ao conhecimento da polícia, solicitando a abertura de inquérito policial para apurar as responsabilidades. Um inquérito administrativo também será instaurado pela Prefeitura.

Como medida preventiva, e para facilitar as investigações policiais, o acesso ao prédio sede da Guarda Municipal foi restringido apenas aos guardas de serviço interno. As viaturas da Corporação foram recolhidas para outro setor público do município, a fim de evitar novas investidas contra o patrimônio público.

Lamentando o ocorrido, o Prefeito Léo Coutinho usou as redes sociais para manifestar sua indignação aos danos causados aos equipamentos do Centro Integrado de Monitoramento de Caxias, o CIMCA.