Eleições 2018 e a sobrevivência política de Waldir Maranhão

Para tentar sobrevivência política, só resta a Waldir Maranhão buscar a reeleição como deputado federal.

Durante entrevista à TV Guará, o senador Roberto Rocha (PSDB) fez um balanço sobre a situação do PSDB, que recentemente ganhou dois deputados federais e três estaduais.

Ao falar sobre a formação da chapa, Roberto foi enfático ao afirmar que os dois candidatos a senador de sua chapa serão Zé Reinaldo Tavares e Alexandre Almeida. Já o deputado Waldir Maranhão, que espalha aos quatro cantos ser pré-candidato ao Senado, terá que se contentar com uma tentativa de reeleição.

Waldir Maranhão poderia ser candidato a deputado federal na base do governador Flávio Dino com muito mais chances de eleição, mas sua sede de poder falou mais alto e deixou a base por achar que teria que ser candidato a senador. Se com Roberto Rocha, que há pouco tempo não tinha nem esboço de palanque, ele serve para ser candidato a Senado, imagine pela chapa da base governista após suas inconstâncias políticas e aparições diárias com figuras da oposição oligárquica.

Waldir Maranhão continua seu projeto para o Senado e pode frustrar planos de Roberto Rocha e Madeira

Waldir Maranhão ladeado pelo pré-candidato a deputado federal Eduardo Sá, e a primeira-dama de Pinheiro, Thaiza Hortegal, pré-candidata a deputada estadual.

O deputado federal Waldir Maranhão, recentemente filiado ao PSDB, não desistiu de continuar seu projeto para o Senado Federal. Após uma tentativa de entrar no PT e ser barrado pela própria militância do partido, Waldir saiu do grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) e se filiou ao PSDB, presidido pelo senador Roberto Rocha.

Acontece que no PSDB o projeto já estava todo desenhado. O ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, já tinha articulado a presença de uma liderança do Leste Maranhense na chapa majoritária e esta seria para o deputado estadual Alexandre Almeida. Com a entrada de José Reinaldo, as duas vagas já tinham sido preenchidas.

Mas Waldir Maranhão não desiste. Em vários blogs, circula uma foto em que Waldir aparece ao lado de um candidato a deputado federal e outra a deputada estadual, dando a entender que ele continua candidato a senador.

A pergunta que fica: será se o PSDB no Maranhão terá três candidatos ao Senado e prejudicar a eleição dos três? Waldir Maranhão vai bater de frente com toda a articulação já planejada por Roberto Rocha e Sebastião Madeira? Alexandre Almeida vai desistir da candidatura ao Senado por causa de Waldir Maranhão?

É aguardar para ver.

Zé Inácio manifesta-se sobre Waldir Maranhão: “Estaremos em palanques opostos”, diz deputado

Zé Inácio disse que mantém respeito por Waldir, mas deixou claro que eles defendem projetos políticos opostos após filiação do mesmo ao PSDB

O deputado estadual Zé Inácio Rodrigues (PT) lançou nota, destinada à militância petista, nesta segunda-feira (09), sobre desfecho da filiação do deputado federal Waldir Maranhão ao PSDB. Segundo ele, apesar do respeito e de ter defendido a ida do parlamentar para o PT, durante a “janela partidária”, eles, seguramente, estarão em palanques distintos por defenderem projetos políticos opostos, após a escolha feita pelo mais novo tucano que, além disso, deixou a base de apoio ao governo Flávio Fino no Maranhão.

“Com a não efetivação da filiação do deputado Waldir ao PT, o mesmo tomou a iniciativa extrema de sair da base do governo Flávio Dino e, além disso, filiar-se ao PSDB. Com isso, embora a relação de respeito seja mantida, é preciso dizer que ele e eu estaremos em palanques distintos e defendendo projetos opostos, já que o mesmo decidiu se filiar ao partido tucano”, disse Zé Inácio em nota.

Em tempo, o PSDB é um dos principais partidos adversários do PT em nível nacional. Quando presidente da Câmara Federal, Waldor Maranhão fez um gesto considerável em relação ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, mas que terminou não obtendo êxito com a petista deposta do governo.

O deputado reafirmou seu posicionamento por espaço para o PT na chapa majoritária do governador Flávio Dino. De acordo com o parlamentar, trata-se do “maior partido da base do governo e protagonista das conquistas históricas que transformaram a realidade do Maranhão e do Brasil através das gestões Lula e Dilma”.

Segue abaixo a nota disparada por Zé Inácio à militância petista:

NOTA À MILITÂNCIA PETISTA

Por Deputado Zé Inácio

Companheiras e companheiros,

Dirijo-me a todos e todas para esclarecer os seguintes pontos:

1. Tendo em vista o fortalecimento do PT, sobretudo num momento em que o País atravessa uma grave crise política, econômica e social, e a democracia é ameaçada com a prisão política e injusta do Presidente Lula, nós fizemos a defesa da filiação do Deputado Waldir Maranhão ao PT, parlamentar reconhecido pelo posicionamento contrário ao impeachment golpista da Presidenta Dilma;

2. Tal iniciativa foi tomada também com o objetivo de fazer valer a Tese aprovada no 6° Congresso Estadual do PT Maranhão, que deliberou pelo apoio à reeleição do Governador Flávio Dino com o PT compondo a Chapa Majoritária, já que o Deputado Waldir Maranhão era um dos nomes reconhecidos publicamente como um dos prováveis pré-candidatos que poderiam compor a sua Chapa Majoritária;

3. Além disso, como afirmei a alguns companheiros do PT e lideranças do Governo, a nossa intenção era evitar também uma debandada da base do Governador, já que o Deputado Waldir tinha a intenção de se filiar ao PT e, com isso, permanecer na base de apoio do Governador Flávio Dino, contribuindo com a sua reeleição;

4. Vale dizer, ainda, que os mesmos membros da Executiva Estadual que se posicionaram contra a filiação do Deputado Waldir Maranhão também foram contra a filiação do Prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra, ao PT, demonstrando claramente que tal postura não se deu por questões ideológicas, mas sim por interesses escusos e alheios aos interesses do Partido;

5. Com a não efetivação da filiação do Deputado Waldir ao PT, o mesmo tomou a iniciativa extrema de sair da base do Governo Flávio Dino e, além disso, se filiar ao PSDB. Com isso, embora a relação de respeito seja mantida, é preciso dizer que o Deputado Waldir e eu estamos em palanques opostos e defendendo projetos opostos, já que o mesmo decidiu se filiar ao PSDB;

6. Reafirmamos a nossa luta pelo espaço do PT na Chapa Majoritária do Governador Flávio Dino, pois o PT é o maior Partido da base do Governo e protagonista das conquistas históricas que transformaram a realidade do Maranhão e do Brasil através dos Governos Lula e Dilma;

7. A palavra de ordem é Lula Livre! Seguiremos lutando pela liberdade do maior Presidente da História do Brasil, pelo seu direito de ser candidato e voltar a governar o Brasil para melhorar a vida do nosso povo.

Saudações Petistas!
Liberdade para Lula!
Nossos sonhos jamais poderão ser aprisionados!

Deputado Estadual Zé Inácio
PT/MA
08.04.2018

Waldir Maranhão anuncia filiação ao PSDB após ser rejeitado no PT…

Waldir foi para o PSDB, mas sem chance de sair candidato ao Senado

Nesta sexta-feira (6), o deputado federal e pré-candidato ao Senado, Waldir Maranhão, emitiu uma nota sobre seu destino partidário.

Na ocasião, o parlamentar justificou sua ida ao PSDB, mesmo depois de toda a reviravolta sobre sua possível filiação ao PT.

Waldir enfrentou a resistência da maioria dos petistas, tentou se viabilizar pela direção nacional, mas não conseguiu e agora, em nota, tenta culpar o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), pelo seu próprio fracasso.

Inconstante, o deputado chegou a sentar também com o grupo Sarney, buscando um norte. Lá também foi descartado.

Waldir chega ao PSDB sem chances de sair candidato ao Senado como queria impor no PT e no grupo Flávio Dino, pois os tucanos já têm os deputados Alexandre Almeida e Zé Reinaldo como pré-candidatos.

Resta a Waldir concorrer à Câmara Federal com outros fortes candidatos como o deputado Wellington do Curso e o ex-prefeito Sebastião Madeira. Pode ter “jogado” errado nesta.

Por outro lado, a decisão de Waldir Maranhão deixa o caminho livre para que o grupo Flávio Dino abrace o projeto da deputada federal  Eliziane Gama ao Senado. Quebra-cabeça está se definindo.

Confira na íntegra a nota oficial do deputado Waldir Maranhão.

NOTA PÚBLICA

Em respeito ao povo maranhense, venho informar o que segue:

1. Quando procurei o PT para colocar-me à disposição do partido para ser candidato ao Senado Federal foi para contribuir, em primeiro lugar, com o projeto político nacional do partido tendo o companheiro Lula como presidente, bem como para o fortalecimento do PT no Maranhão que há décadas vive numa autofagia que tem impedido de fazê-lo ter o crescimento tal como ocorreu no plano nacional e nos estados vizinhos Piauí, Pará e Ceará, sem falar em outros estados do Nordeste.

2. Não se tratava de um ato voluntário do deputado federal Waldir Maranhão em querer ser senador da República de qualquer jeito. Pelo contrário, o objetivo era apresentar um projeto coletivo de sociedade tendo o PT como protagonista político no processo eleitoral de 2018.

3. Lamento que o radicalismo e sectarismo de alguns dirigentes do PT não tenham tido a devida compreensão histórica num momento que forças conservadores ameaçam de toda forma a possibilidade do PT voltar ao poder central nacional, inclusive encarcerado a principal liderança do partido o meu amigo e companheiro Lula.

4. Devo reconhecer o empenho e a solidariedade que tive de companheiros da corrente Construindo um Novo Brasil tanto no Maranhão quanto em nível nacional. Nesse particular, quero deixar hipotecado os meus agradecimentos ao deputado Zé Inacio pela forma digna e firme com que defendeu esse projeto. Agradecer ainda a militância aguerrida que não deixou levar pela benesses oferecidas pelo Palácio do Leões que pode ser considerado o principal ator na minha desistência de continuar filiado ao PT.

5. É lamentável a forma como o governador Flávio Dino usou e abusou para vetar a minha filiação ao PT. O que houve nesse processo foi uma verdadeira intervenção branca no PT para evitar a minha entrada nos quadros do partido. Logo Flávio Dino a quem confiei quando me convenceu de anular o impeachment da presidente Dilma. Agora sinto que fui usado por quem queria não a defesa da presidenta, mas o fortalecimento e engrandecimento de um ego quase doentio.

6. Por fim, informo que a partir desta entro para os quadros do PSDB e ajudarei na construção de um palanque que verdadeiramente possa representar um novo horizonte para o Brasil e para o Maranhão.

Waldir Maranhão.
Deputado federal.

Eleições 2018 e o dilema de Waldir Maranhão com o PT

O presidente estadual do PT, Augusto Lobato, negou a filiação de Waldir Maranhão. A presidente nacional Gleise Hoffmann tem a palavra final.

A situação partidária do deputado federal Waldir Maranhão continua indefinida, mas a decisão da direção estadual do PT, segundo o presidente da sigla no Estado, Augusto Lobato, é pela rejeição do nome do parlamentar como membro do Partido dos Trabalhadores.

De acordo com o estatuto do partido, quando o pedido vem de um nome de destaque nacional que ocupa cargo eletivo, o julgamento de aceitação é feito pela direção nacional.

A decisão da negativa pelo PT maranhense já foi encaminhada à Executiva Nacional. Agora cabe à presidente nacional do PT, Gleise Hoffmann, a palavra final. Waldir tem até sábado (7) para saber se será aceito ou não nas fileiras do PT.

Zé Inácio defende filiação de Waldir Maranhão ao PT…

Deputado Zé Inácio

O deputado estadual Zé Inácio (PT) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (3), para se posicionar sobre a solicitação de filiação do deputado federal Waldir Maranhão (Avante) ao Partido dos Trabalhadores (PT).

Como militante político que defende o fortalecimento da legenda e do partido no Estado, Zé Inácio mostrou-se favorável à filiação. “O deputado Waldir decide filiar-se ao PT no momento em que o país enfrenta uma grave crise econômica, política e social, em que a democracia é ameaçada constantemente e direitos conquistados a duras penas pelo povo são aniquilados por um governo ilegítimo, por um governo golpista. O deputado, inclusive, tentou evitar o golpe quando se posicionou contra o impeachment e a favor da presidenta Dilma quando exercia a presidência da Câmara”, disse.

Zé Inácio também falou sobre a chapa majoritária do governador Flávio Dino (PCdoB). “O governador tem e terá o meu apoio para concorrer à reeleição, mas não podemos abrir mão desse debate político e dizer que o PT tem força suficiente para contribuir fortemente para sua reeleição, tendo um nome que possa vir a ser o deputado Waldir Maranhão na chapa majoritária. Com o apoio do governador e de Lula, ele passa a ser um dos candidatos mais competitivos ao Senado, por isso que, talvez, alguns temam a ida dele para o PT”, refletiu.

Por fim, o deputado destacou a importância de eleger parlamentares petistas que possam dar sustentação ao projeto nacional de fortalecimento da democracia brasileira e de retomada das conquistas históricas alcançadas nos governos do PT. “Na luta para que possamos ter um estado de bem estar social, como já promoveu o PT nos seus primeiros governos, no governo Lula e no governo Dilma, por meio de programas como ‘Bolsa Família’, ‘Prouni’, ‘Minha Casa Minha Vida’, ‘Ciências sem Fronteiras’ e tantos outros programas. É importante que haja, na Câmara e no Senado Federal, pessoas comprometidas com esse tipo de projeto. Por isso que nós lutamos para ter um senador do PT na chapa de reeleição do governador Flávio Dino”, concluiu.

Waldir Maranhão estaria cobrando do PT uma “dívida” que não existe?

Waldir Maranhão tenta se viabilizar como pré-candidato ao Senado pelo PT, mas sofre rejeição de petistas

O deputado federal Waldir Maranhão (Avante) segue manobrando  e se movimentando para se tornar, de qualquer jeito, o segundo candidato ao Senado na chapa majoritária do governador Flávio Dino (PCdoB), agora, pasmem, por meio do PT e sente, na pela, a rejeição de sua maioria. Nos bastidores, várias vertentes consideram ou “enxergam” que  o parlamentar, talvez, esteja “cobrando” uma “dívida” dos petistas  com relação ao que ele teria feito para evitar o fatídico impeachment da ex-presidente Dilma Rosseff (PT).

“Waldir, guerreiro do povo brasileiro (bis) …” Quem não se lembra deste grito de guerra frenético que veio de inúmeros petistas maranhenses e esquerdistas nas movimentações de protestos contra o impeachment de Dilma, referendando a “bravura” do deputado que, com uma canetada histórica, tentou salvar o mandato e a cabeça da ex-presidente?

Quando esteve presidente da Câmara Federal, logo após o afastamento do ex-deputado Eduardo Cunha, Waldir Maranhão, em uma canetada histórica, anulou três sessões em que os deputados federais aprovaram a continuidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Ele acatou pedido feito pela Advocacia-Geral da União (AGU) e levou petistas e esquerdistas, em todo o país, a ovacioná-lo por tal atitude.

Outrora, a mesma caneta foi a responsável pela desistência da anulação. Waldir Maranhão anulou um ato dele mesmo que cancelava a votação do pedido de afastamento da presidente Dilma, depois de pressionado pela sociedade por conta das consequências do ato. A decisão durou menos de 12 horas, na ocasião.

O caso foi tão inusitado que o diário da Câmara Federal, de 10 de maio de 2016, publicou as duas decisões de Waldir Maranhão. A primeira, que anulava a sessão do impeachment na Câmara, e a segunda que revogava a anulação.

Todos somos conhecedores de que o impeachment de Dilma Rousseff continuou e foi enviado ao Senado Federal, onde a então presidente, em uma manobra de forças obscuras, foi deposta do cargo.

Agora a pergunta que grita aos nossos ouvidos é se Waldir Maranhão, no momento, tentando sair candidato a senador pelo PT, de qualquer forma, estaria cobrando uma suposta “dívida”, referente ao que teria feito por Dilma Rousseff. Mas será que o PT nacional e a direção no Maranhão devem alguma coisa ao parlamentar?

Por outro lado, movimentos recentes do pré-candidato mostram que o mesmo “surfa” entre os grupos envolvidos na disputa pelo governo do Maranhão. Ao reunir-se com o ex-presidente José Sarney, deputado Hildo Rocha, Paulo Marinho e cia, há poucos meses, para discutir sucessão estadual, ele demonstra o tamanho de sua instabilidade e insegurança política.

Envolto a uma série de situações negativas que perpassam por sua passagem pela Universidade Estadual do Maranhão entre outras coisas como nomeações suspeitas, Waldir enfrentou nuvens negras em sua vida política recente, quando teve muita coisa exposta contra si nos veículos de comunicação.

Agora, em outro momento, Waldir acredita que o PT é o caminho certo para levá-lo a uma disputa pelo Senado na chapa de Flávio Dino, mesmo que, para isso, tenha que desbancar os já anunciados pré-candidatos Márcio Jardim e Nonato Chocolate, petistas históricos. É aguardar para ver no que vai dar essa nova fase desta novela chamada “Sucessão Estadual”.

Waldir Maranhão protocola pedido de filiação ao PT, mas petistas não o querem na sigla

A militância do partido também não gostou nenhum pouco dessa articulação do pré-candidato ao Senado.

O deputado federal Waldir Maranhão protocolou,  na tarde de segunda-feira (26), documento onde pede a filiação no Partido dos Trabalhadores (PT), visando disputar uma vaga para o Senado Federal pelo Maranhão.

No documento, Waldir lembra o momento crucial da sua carreira política, quando resolveu anular o impeachment da ex-presidebte Dilma Rousseff (PT), na condição de então presidente da Câmara dos Deputados. Agora, o pedido de filiação do parlamentar será submetido às instâncias locais e nacionais do PT.

O pedido de Waldir não foi bem recebido pelo presidente do Diretório Municipal da sigla em São Luís, vereador Honorato Fernandes, que utilizou as redes sociais para ratificar que é contra a filiação do deputado ao PT.

A militância do partido, em sua maioria, também não gostou nenhum pouco dessa articulação do pré-candidato ao Senado.

Waldir Maranhão segue dialogando com vários políticos, menos com a base governista

Waldir Maranhão fechou acordo com Socorro e Sétimo Waquim, em Timon, deixando de lado a família Leitoa, antigos aliados do projeto de mudança no Maranhão.

O deputado federal Waldir Maranhão (Avante) segue focado no seu jogo político, que, pelas suas ações, pretende conseguir a indicação do governador Flávio Dino (PCdoB) como o segundo nome para concorrer ao Senado Federal pela chapa governista.

Pelo seu jogo duvidoso, Waldir dialoga com vários políticos de diversos partidos de oposição, menos com os da base de apoio do governador, apesar do número expressivo de políticos e partidos.

Após fechar acordo com Paulo Marinho, em Caxias, Alexandre Almeida e dialogar com o deputado sarneysista Hildo Rocha (MDB), o deputado fechou acordo com Socorro e Sétimo Waquim, em Timon, deixando de lado a família Leitoa, antigos aliados do projeto de mudança no Maranhão.

A cada dia que passa, Waldir Maranhão se distancia mais ainda do Palácio dos Leões. Talvez sua ficha só caia quando perceber muito reduzidas as suas chances de entrar na chapa governista.