WhatsApp lança recurso que notifica mudança de número

Recentemente, o aplicativo anunciou a opção de transferência de dinheiro por meio de códigos QR.

O WhatsApp lançou, na última sexta-feira (30), uma ferramenta que vai facilitar a alteração do número de celular, segundo WABetaInfo, um site que publica novidades sobre o aplicativo de mensagens.

De acordo com a página, o novo recurso permite que o usuário escolha contatos específicos para notificar sobre a mudança do número e também move o histórico do bate-papo para o novo celular, assim como os grupos e as configurações de conta.

A novidade está sendo lançada em versão beta para a mais nova atualização do Android e deve chegar para iPhone e Windows Phone em breve. o WhatsApp vem investindo fortemente em melhorias e novos recursos. Recentemente, o aplicativo anunciou a opção de transferência de dinheiro por meio de códigos QR.

Comissão analisa projeto que proíbe a suspensão do Whatsapp pela Justiça

Comissão analisa projeto que proíbe a suspensão do Whatsapp pela Justiça.

O Conselho de Comunicação Social (CCS) se reunirá na próxima segunda-feira (2) para examinar algumas proposições em tramitação no Congresso, entre elas o PL 5.130/2016, que proíbe a suspensão de aplicativos da internet por decisões judiciais.

De autoria do deputado João Arruda (PMDB-PR), o projeto inclui como direito do internauta a não suspensão de qualquer aplicação da internet por decisão do poder público. O objetivo da proposta é evitar que decisões judiciais interrompam, ainda que temporariamente, um serviço usado cotidianamente pelos internautas.

Arruda lembra que recentes decisões judiciais de primeira instância tiraram do ar aplicativos como o YouTube e o WhatsApp. Ainda que as decisões tenham sido derrubadas em segunda instância, para o autor do projeto, que altera o Marco Civil da Internet (Lei 12.965/2014), houve “grande prejuízo a toda a população, que se viu privada da utilização de aplicações que fazem parte de sua rotina”.

Da pauta constam ainda a análise de relatórios sobre a renovação do convênio entre o CCS e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e a reestruturação do Regimento Interno do órgão, que tem como atribuição a realização de estudos, pareceres, recomendações e outras solicitações que lhe forem encaminhadas pelo Congresso Nacional sobre o tema Comunicação Social.

Os conselheiros deverão analisar ainda as propostas de criação do Observatório da Liberdade de Imprensa e de realização de seminário para debater a violência praticada contra profissionais do setor.

WhatsApp agora também com recurso da “historinha”…

O WhatsApp também já permite as famosas historinhas curtas (pequenos vídeos), inauguradas com sucesso pelo aplicativo Snapchat, com duração de 24 horas no status. Desde quarta-feira (20), os usuários podem contar com mais esse entretenimento, com mais essa forma de se manifestar na rede mais famosa do mundo no momento.

Nos vídeos acima, eu testei a novidade do WhatsApp atualizando o meu status com historinhas.

O Facebook está investindo pesado na concorrência ao Snapchat. Depois de lançar o Instagram Stories (com fotos e vídeos que desaparecem depois de 24 horas) e de anunciar funções similares para o Messenger e também para o aplicativo principal do Facebook, a novidade chegou, desde a quarta-feira (22), também para o WhatsApp.

O Facebook também terá a função “Stories” um pouco mais para frente. A mudança foi anunciada no blog oficial do Whatsapp em comemoração ao aniversário de 8 anos de lançamento do app.

A nova função substituiu a antiga interface de “status” antiga  por uma completamente nova que permite compartilhar imagens e vídeos que desaparecem após 24 horas.

Polícia Civil apreende irmãos que combinavam assaltos pelo WhatsApp em Itapecuru

Crimes estavam sendo tramados pelo WhatsApp

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Regional de Itapecuru Mirim, prendeu em flagrante delito João Marcos Silva (20), além de, apreender seu irmão, um adolescente infrator, pelo crime de posse ilegal de arma de fogo, um revolver cal. 32, encontrado em sua residência.

De acordo com o delegado Samuel Morita, após investigações foi constatado que no aparelho celular deles havia conversas feitas pelo aplicativo WhatsApp e áudios comprometedores, como combinação de assaltos a estabelecimentos, pessoas, farmácias, aluguel de armas de fogo e ligação com criminosos de São luís.

Ainda em diligencias pela cidade foi preso Fabio de Jesus Mendes (20), mais conhecido como “Pezão”, por ter roubado, de posse de um revólver, a mulher de nome Marlene. Após verificação das câmeras de segurança da cidade, ele foi reconhecido pela vítima.

WhatsApp, candidatos e campanhas eleitorais no Maranhão…

Recebi em casa a equipe de reportagem da TV Guará, que faz uma interessante matéria sobre o WhatsApp e campanhas eleitorais

Recebi em casa a equipe de reportagem da TV Guará, que faz uma interessante matéria sobre o WhatsApp e campanhas eleitorais

guara3

Recebi, nesta quinta-feira (28), em minha casa, essa competente equipe da TV Guará (canal 23), com a repórter Rayssa Alves à frente. Eles estão produzindo uma interessante matéria sobre o período eleitoral, campanha e propaganda nos grupos de WhatsApp no Maranhão.
Abordam na pauta a questão da seriedade, responsabilidade e veracidade dos compartilhamentos. A administração dos grupos também é foco da reportagem. E o grupo “Jornalistas Profissionais”, que eu administro no WhatsApp,  por ser um dos mais atuantes e visados, está sendo citado na produção da matéria.
Desde a eleição passada, o WhatsApp vem sendo ferramenta fundamental para os candidatos, tanto no aspecto de divulgação,  quanto de denúncias e, até mesmo, para fins de zombarias.

Então cabe bom senso para saber o que se compartilha. Pois,  se algum candidato se sentir ofendido em grupo de Whatsapp,  ele pode recorrer para obter retratação ou direito de resposta. Na campanha passada, teve até jornalista acionado por postagens no aplicativo.
Então,  devemos ter a consciência de que Whatsapp hoje é coisa séria.  Mais de cem milhões de pessoas no Brasil se comunicam por ele, segundo recentes reportagens quando do bloqueio do aplicativo no país.

Em tempo, o grupo “Jornalistas Profissionais”  foi criado no WhatsApp no dia 07 de Abril de 2015 com o objetivo de unir profissionais do Jornalismo, favorecer a troca de informações, contatos e discutir questões ligadas à profissão.

Uma das características do grupo é a qualificação dos participantes. Conta com profissionais competentes, qualificados, atuantes, antenados e responsáveis.

Telegram recebe 1 milhão de usuários no Brasil após bloqueio de WhatsApp

Para driblar a falta do WhatsApp, brasileiros estão baixando o Telegram, que é um aplicativo de mensagens semelhante

Para driblar a falta do WhatsApp, brasileiros estão baixando, no Play Store, o Telegram, que é um aplicativo de mensagens semelhante ao famoso “zap zap”

G1

O Telegram recebeu mais de um milhão de novos usuários no Brasil após o bloqueio do seu rival, o WhatsApp, na segunda-feira (2). A empresa afirma que a demora para o cadastro de novos usuários foi causado pela sobrecarga na rede de SMS.
O aplicativo envia um código de verificação para novos usuários. “Códigos de verificação no Brasil estão atrasados por causa da sobrecarga no lado das redes de SMS, eles estão trabalhando nisso. Por favor espere, os códigos virão”, afirma o Telegram em sua conta no Twitter.
“Desculpe, Brasil! Suas redes móveis não conseguem processar tantos SMS de verificação que estamos mandando. Mais de um milhão de usuários se cadastraram, mais estão esperando.”
A procura pelo app aumentou após o bloqueio de seu rival, o WhatsApp. O aplicativo de mensagens foi bloqueado a partir das 14h de segunda-feira (02) por determinação da do Tribunal de Justiça do Sergipe.
O bloqueio foi pedido porque o Facebook, dono do WhatsApp, não cumpriu uma decisão judicial anterior de compartilhar informações que subsidiariam uma investigação criminal. A recusa já havia resultado na prisão do presidente do Facebook para América Latina em março.

Desembargador nega recurso do WhatsApp e mantém bloqueio de 72h

dilma zap zap

G1

O desembargador Cezário Siqueira Neto negou recurso apresentado pelo WhatsApp e manteve o bloqueio do aplicativo de mensagem instantânea para clientes de TIM, Oi, Vivo, Claro e Nextel pelo período de 72 horas, iniciado às 14h da segunda-feira (2).
A decisão do recurso foi publicada às 0h30 desta terça-feira (3) durante o Plantão do Judiciário do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) e confirmada pela assessoria de comunicação do órgão nesta manhã.
O desembargador plantonista negou o pedido de liminar (decisão provisória) da empresa porque entendeu que existem possibilidades técnicas para que o aplicativo atenda à ordem judicial de quebra de sigilo de mensagens do WhatsApp, cujo descumprimento resultou no bloqueio. (leia o argumento na íntegra ao final da reportagem).
“Há de ressaltar que o aplicativo, mesmo diante de um problema de tal magnitude, que já se arrasta desde o ano de 2015, e que podia impactar sobre milhões de usuários como ele mesmo afirma, nunca se sensibilizou em enviar especialistas para discutir com o magistrado e com as autoridades policiais interessadas sobre a viabilidade ou não da execução da medida. Preferiu a inércia, quiçá para causar o caos, e, com isso, pressionar o Judiciário a concordar com a sua vontade em não se submeter à legislação brasileira”, argumentou Cezário Siqueira Neto.

Compartilhamento

O bloqueio do aplicativo foi pedido porque o Facebook, dono do WhatsApp, não cumpriu uma decisão judicial anterior de compartilhar informações que subsidiariam uma investigação criminal sobre tráfico de drogas no município de Lagarto, a 75 km de Aracaju.
A recusa já havia resultado na prisão do presidente do Facebook para América Latina em março deste ano, também determinada pelo juiz Marcel Montalvão, da Vara Criminal de Lagarto, responsável pela decisão que bloqueou o aplicativo.
O magistrado atendeu a um pedido de medida cautelar da Polícia Federal, que foi endossado por parecer do Ministério Público. A multa para as empresas em caso de descumprimento do bloqueio é de R$ 500 mil por dia.
Aplicativo diz não ter dados
Nesta terça, Jan Koum, um dos criadores do WhatsApp, afirmou que o app não guarda histórico de mensagem de seus usuários e sugeriu que atender aos pedidos da Justiça brasileira colocaria em risco a segurança não só dos usuários brasileiros, mas de todos os usuários no mundo.
Após a repercussão da decisão, o site do TJSE apresentou instabilidade na tarde de segunda. O problema continua nas primeiras horas da manhã desta terça-feira.

DE NOVO – Juiz bloqueia whatsApp em todo o país por 72 horas

Tec Mundo

Decisão de juiz deixa brasileiros sem whatsapp a partir de hoje

Decisão de juiz deixa brasileiros sem AhatsApp a partir de hoje

Vai acontecer tudo de novo! O WhatsApp ficará completamente inacessível nos smartphones em redes brasileiras a partir da tarde desta segunda-feira (02). Por um período de 72 horas, os aparelhos do Brasil não vão poder utilizar o serviço, uma vez que a Justiça determinou o bloqueio total do aplicativo — da mesma forma como já vimos em dezembro do ano passado.
De acordo com a Folha, a decisão foi emitida no dia 26 de abril e foi proferida pelo juiz Marcelo Montalvão, da comarca de Lagarto (SE). Todas as operadoras que operam no mercado brasileiro vão ter que atender à determinação da justiça e impedir que seus consumidores utilizem o sistema — nisso estão TIM, Oi, Vivo, Claro e Nextel. Quem descumprir a determinação terá que pagar multas de R$ 500 mil por dia.
Publicidade
72 horas sem WhatsApp

Todas as operadoras informaram que irão cumprir a determinação. Ou seja: ficará impossível usar o sistema, em qualquer aparelho do Brasil. Se não houver nenhuma liminar autorizando as teles a retomarem o serviço, somente às 14:00 de quinta-feira (5 de maio) é que o WhatsApp poderá voltar a ser utilizado pelos brasileiros.
Todas as operadoras informaram que irão cumprir a determinação

Ainda não foram informados os motivos da determinação, mas há grandes chances que eles sejam os mesmos do bloqueio realizado em dezembro: não colaboração do WhatsApp nas investigações criminais. Será que o serviço vai voltar a funcionar antes do prazo determinado pela justiça?

Senador pede desculpas públicas às mulheres por postagem desrespeitosa em grupo de WhatsApp

Screenshot_2015-12-28-12-41-56

Após post do blog intitulado “Roberto Rocha deve desculpas à mulher brasileira e não apenas a um grupo de WhatsApp…”, o senador maranhenses,  Roberto Rocha ( PSB), veio a público, nesta segunda-feira ( 28), por meio de nota e do seu perfil no Facebook, pedir desculpas por ter disparado, segundo ele por erro, um meme desrespeitoso de uma mulher nua com as pernas abertas para dar “bom dia” em um grupo de WhatsApp do município de Santa Luzia do Tide.

O ocorrido repercutiu negativamente no whatsApp, em blogs e nas redes sociais de um modo geral. Provocou diversas críticas e reações.

“Lamento profundamente por esse engano, ofensivo às mulheres e a todos que querem uma sociedade livre de expressões de sexismo. A postagem não reflete os valores que professo e o uso interativo que privilegio nas redes sociais”, disse o senador na nota pública.

Acho que as desculpas deveriam ter sido extensivas à família brasileira, que também foi agredida, por conta do cargo público que o senador ocupa. Mas, de toda forma,  o pedido de desculpas públicas tornou o ocorrido, digamos, menos feio. É digno reconhecer erros. É grandeza pedir perdão.

NOTA DE ROBERTO ROCHA*
Venho pedir desculpas públicas às mulheres por um erro, inteiramente não intencional, que cometi ao fazer uso das redes sociais no último dia 26 de dezembro.
Recebo centenas de imagens diariamente. Inadvertidamente, ao invés de apagar a imagem em questão, reenviei para um grupo que tinha me adicionado recentemente. Imediatamente pedi desculpas pelo equívoco, e saí do grupo.
Todos os dias recebo dezenas de convites para entrar em grupos, mas infelizmente é inviável aceitar todos os pedidos. As ações de administração que eu e minha equipe precisamos fazer diariamente relativas a esses convites e outras interações nas redes sociais estão sujeitas a erros.
Lamento profundamente por esse engano, ofensivo às mulheres e a todos que querem uma sociedade livre de expressões de sexismo. A postagem não reflete os valores que professo e o uso interativo que privilegio nas redes sociais.
*Nota do senador Roberto Rocha sobre o episódio da imagem enviada equivocadamente para um grupo de WhatsApp