Roberto Rocha responde acusação de José Reinaldo de ser o culpado por sua derrota

O senador fala que não é daqueles que “buscam culpados”

O senador Roberto Rocha, presidente do PSDB no Maranhão, não deixou sem resposta o artigo do deputado federal José Reinaldo (PSDB), em que o culpava por sua derrota na disputa ao Senado Federal.

Rocha, quarto colocado na disputa ao governo do Estado, afirmou que perdeu “uma eleição amarga, enfrentando duas máquinas onipresentes na política do Maranhão, e ainda o surgimento de um novo fenômeno político nacional que contribuiu para afastar as possibilidades do PSDB surgir com chances de crescimento.”

“Minha candidatura, montada pelo PSDB para ajudar o palanque de Geraldo Alckmin, representou um esforço enorme que, por conta das circunstâncias que todos conhecem, acabou num ponto cego do radar eleitoral”

O senador fala que não é daqueles que “buscam culpados para as vicissitudes da política. Há que aprender as lições e seguir em frente. Por isso estranhei quando o ex-governador José Reinaldo, de posse dos resultados eleitorais, apontou um único culpado pela derrota de seu pleito. E esse culpado seria eu!”

Rocha enumerou as ações que fez para que José Reinaldo saísse candidato, como ter oferecido a única chance de competir por um partido com tempo de televisão e fundo eleitora. Citou ainda quando todos os candidatos a deputado do partido assinaram um documento manifestando apoio a candidatura de Waldir Maranhão e Alexandre Almeida, mas que ele como presidente contornou a situação.

Em sua resposta, Rocha afirmou que José Reinaldo foi o único que recebeu 100% da verba do fundo eleitoral. Que Zé Reinaldo fez sua campanha no Rádio e na TV e nos impressos sem citar os nomes dos candidatos a governador e presidente da República do partido que financiava sua campanha.

O presidente do PSDB no Maranhão terminou sua resposta como seu melhor jeito pitoresco afirmando que “quem está morrendo afogado, jacaré é tronco”, se referindo ao ex-governador José Reinaldo.

Zé Reinaldo culpa Roberto Rocha por sua derrota e cita os erros do presidente da legenda

Roberto Rocha e o PSDB plantaram discórdia e colheram nesta eleição o prejuízo. Após anos de ótimos resultados e vitórias, o PSDB agora colhe derrotas e um futuro incerto

O ex-governador José Reinaldo (PSDB), em artigo publicado no Jornal Pequeno, creditou a sua derrota ao presidente do PSDB no Maranhão, o senador Roberto Rocha. Ele começou falando sobre a tentativa de consolidar o nome do deputado estadual Eduardo Braide (PMN), ao governo do Estado, que, nas pesquisas qualitativas, sempre aparecia melhor posicionado do que Roberto Rocha, mas o senador foi irredutível.

“Conversei longamente com Roberto Rocha, sugerindo a ele abraçar a candidatura de Braide no PSDB para depois construir a dele a governador, já que pelo meu modo de entender o momento não era o ideal para sua candidatura ao governo do Estado. Ele não aceitou minhas ponderações e manteve a candidatura. Ali se acabou a chance de termos no Maranhão uma eleição equilibrada ao Governo e ao Senado. Flávio tem sorte, além de ter tido competência para manobrar bem a estrutura disponível e não teve problemas para ganhar e eleger seus candidatos a senador”, escreveu o ex-governador.

Zé Reinaldo afirmou que sua “candidatura ao Senado tinha uma chapa montada, politicamente forte, o que me dava uma chance mínima de ganhar. Mas eis que na véspera da convenção, Roberto Rocha, com apoio do partido no estado, resolveu se intrometer em minha chapa, exigindo a retirada do meu primeiro suplente de Caxias, o jovem, muito capaz, Catulé Junior. Como consequência inevitável, perdi Caxias, um dos maiores colégios eleitorais do estado que, com razão, abandonou minha candidatura causando imenso prejuízo político e eleitoral, influenciando negativamente líderes de outros municípios, tirando parte da consistência eleitoral da minha candidatura.”

O ex-governador também citou as candidaturas do PSDB, tanto a de governador, quanto a de presidente do país, “seriam puxadoras de voto, caso tivessem expectativa de vitória, não vingaram, o que jogou por terra as minhas chances, já que no estado o PSDB ficou isolado, com uma chapa muito fraca, elegendo apenas um deputado estadual do partido. Madeira, grande líder do nosso partido, sofreu na carne o isolamento a que foi submetido.”

De fato, Roberto Rocha e o PSDB plantaram discórdia e colheram nesta eleição o prejuízo. Após anos de ótimos resultados e vitórias, o PSDB agora colhe derrotas e um futuro incerto. Sobre a liderança de Roberto Rocha, o partido deve avaliar as derrotas de Alexandre Almeida, Zé Reinaldo, Sebastião Madeira, Waldir Maranhão, Guilherme Paz, além do próprio presidente.

STF acaba com aposentadoria de ex-governadores do Maranhão

A proibição deverá alcançar José Sarney, João Alberto, Edison Lobão, Zé Reinaldo Tavares e Roseana Sarney

O Supremo Tribunal Federal (STF) julgou procedente uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) proposta pela Procuradoria-Geral da República, e acabou com a aposentadoria vitalícia de ex-governadores do Maranhão. A decisão é do mês de setembro.

O benefício era garantido pelo artigo 45 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição do Estado do Maranhão, agora declarado inconstitucional.

Na mesma ação, o plenário da mais alta corte do país também declarou a inconstitucionalidade da Lei estadual nº 6.245/1994, que garantia a aposentadoria às viúvas de ex-governadores.

A proibição deverá alcançar José Sarney, João Alberto, Edison Lobão, Zé Reinaldo Tavares e Roseana Sarney.

As decisões já foram comunicadas ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), e ao presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PC do B).

Bancada maranhense na Câmara dos Deputados pode ter a maior renovação das últimas eleições

Com todas essas mudanças, no mínimo, 45% dos deputados federais maranhenses serão mudados a partir de janeiro do próximo ano

A eleição para a Câmara dos Deputados em 2018 pode promover a maior renovação dos seus quadros dos últimos anos. Mais da metade da bancada maranhense pode ser trocada nestas eleições. Em relação a eleição de 2014, oito deputados já não disputam a reeleição, abrindo espaço para novos nomes.

Quatro deputados federais eleitos em 2014, disputam a eleição para senador em 2018. São eles: Eliziane Gama (PPS), Sarney Filho (PV), Weverton Rocha (PDT) e Zé Reinaldo (PSDB).

Três nomes desistiram de disputar novamente a eleição de deputado: Alberto Filho (MDB), Júnior Marreca (Patriotas) e Pedro Fernandes (PTB). Em relação a eleição de 2014, também não teremos a participação do saudoso João Castelo (PSDB), falecido em 2016.

Com todas essas mudanças, no mínimo, 45% dos deputados federais maranhenses serão mudados a partir de janeiro do próximo ano.

Exata mostra crescimento de Weverton Rocha; Eliziane e Lobão brigam pela segunda vaga

A pesquisa Exata foi registrada no TSE sob o número MA-05196/2018, a Exata utilizou 1402 questionários e ouviu a opinião de eleitores de todo o Maranhão entre os dias 25 e 28 de setembro

A pesquisa do Instituto Exata divulgada neste domingo (30), pelo Jornal Pequeno, mostra que o candidato a senador Weverton Rocha (PDT) chegou a 31% das intenções de voto e é líder na corrida ao Senado Federal. Em comparação com a pesquisa anterior, publicada pelo jornal no dia 16 de setembro, Weverton cresceu 6 pontos percentuais.

Eliziane Gama (PPS) e Edison Lobão (MDB) estão tecnicamente empatados. A candidata do PPS tem 28%, enquanto Lobão tem 26%. Sarney Filho aparece logo em seguida com 23%. Os três oscilaram dentro da margem de erro.

José Reinaldo (PSDB) tem 14% e aparece tecnicamente empatado com Alexandre Almeida (PSDB) que tem 11%.

Samuel Campelo (PSL) aparece com 3%; Preta Lu (PSTU), com 2%; Saulo Pinto (PSOL), com 2%; Saulo Arcangeli (PSTU), com 1% e Iêgo Bruno (PCB), com 1%. Branco/Nulo/Indeciso somaram 60%.

A pesquisa Exata foi registrada no TSE sob o número MA-05196/2018, a Exata utilizou 1402 questionários e ouviu a opinião de eleitores de todo o Maranhão entre os dias 25 e 28 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 3,3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiabilidade é de 95%.

Exata mostra disputa acirrada pelo Senado com empate técnico

A pesquisa ouviu a opinião de 1.400 eleitores em todo o estado entre os dias 10 e 13 de setembro

O Jornal Pequeno divulgou nova pesquisa do Instituto Exata, neste domingo (16). Os resultados mostram que a disputa das duas vagas do Senado Federal está, cada vez mais, acirrada.

Pela primeira vez, os dois candidatos apoiados pelo governador Flávio Dino (PCdoB) aparecem na liderança, mas em condições de empate técnico com o senador Edison Lobão (MDB).

Eliziane Gama (PPS) passou a liderar as intenções de voto com 27%; Weverton Rocha (PDT) aparece agora em segundo lugar com 25%.

Em condições de empate técnico com Eliziane e Weverton, Edison Lobão (MDB) vem logo em seguida com 24% dos votos; Sarney Filho (PV) aparece com 22%; Zé Reinaldo (PSDB), com 18%; Alexandre Almeida (PSDB), com 10%; Preta Lu (PSTU), com 3%; Samuel Campelo (PSL), com 2%; Saulo Pinto (PSOL), com 1%; Saulo Arcangeli (PSTU), com 1% e Iêgo Bruno (PCB), com 1%. Branco/Nulo/Indeciso somam 66%.

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número MA 09907/2018 e ouviu a opinião de 1.400 eleitores em todo o estado entre os dias 10 e 13 de setembro. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%.

Cada um por si na disputa pelo Senado Federal…

Os candidatos tentam garantir, além do apoio de suas bases, as bases que não apoiam seu colega nas chapas majoritárias

A maioria dos candidatos ao Senado Federal já percebeu que a disputa pelas duas vagas em 2018 será bem acirrada. Eles agora tentam garantir, além do apoio de suas bases, as bases que não apoiam seu colega nas chapas majoritárias.

O senador Edison Lobão (MDB) e o deputado Sarney Filho (PV) travam uma guerra silenciosa para garantir o maior número de bases que fazem oposição ao governador Flávio Dino (PCdoB) e até mesmo de bases governistas que não têm o segundo nome para o Senado definido ainda. Nesta seara, Lobão vem conseguindo agregar muito mais com boa articulação.

Candidatos que não unem seus esforços para trabalhar em prol do partido são Zé Reinaldo e Alexandre Almeida, ambos do PSDB. Os dois têm agendas totalmente diferentes, o que complica, mais ainda, a situação do candidato ao governo, Roberto Rocha.

Os únicos que conseguem se sobressair de toda a disputa são os candidatos Edson Lobão (MDB), por conta da boa articulação, Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), que têm compartilhado suas bases de apoio para intensificar, mais ainda, as ações em cada região do Estado.

Edison Lobão lidera a corrida ao Senado, aponta Econométrica

A Econométrica ouviu 1.407 pessoas de todas as seis regiões do Maranhão

A pesquisa Econométrica divulgada, neste sábado (1°), pela TV Guará, também ouviu os eleitores sobre o cenário para o Senado Federal.

O líder de intenções de voto é o senador Edison Lobão (MDB), com 26,3%. Sarney Filho (PV) aparece em seguida com 25,7%. A deputada federal Eliziane Gama (PPS), pontuou 24%. Weverton Rocha (PDT) aparece com 20,5% e Zé Reinaldo (PSDB), tem 18,1%.

O candidato Alexandre Almeida (PSDB), pontuou apenas 9,3% das intenções de voto, seguido por Preta Lú (PSTU), com 2,2% e Samoel Campelo (PSL) com 2%. Saulo Arcangeli (PSTU) foi citado por apenas 1,6% dos eleitores e Saulo Pinto (PSOL) por 1,4%. Iego Bruno (PCB) foi citado por menos de 1% dos entrevistados.

Votos brancos e nulos somam 30,7% e o dos que não sabem ou não responderam bateu a marca de 37,5%.

A Econométrica ouviu 1.407 pessoas de todas as seis regiões do Maranhão. A pesquisa foi realizada no período entre 21 e 25 de agosto e foi registrada no TSE sob o número MA-08877/2018. O intervalo de confiança é de 95% com uma margem de erro de 2,61%.

Pesquisa Exata/JP mostra cenário disputado pela corrida ao Senado Federal

A pesquisa foi registrada no TSE, sob o número MA 07422/2018, e ouviu a opinião de 1.401 eleitores em todo o estado

O Jornal Pequeno divulgou, neste domingo (26), a pesquisa do Instituto Exata, que mediu as intenções de voto para o Senado Federal. Em 2018, serão eleitos dois senadores e o cenário divulgado pela Exata mostra uma disputa bem acirrada.

Na pesquisa Exata/JP, o senador Edison Lobão (MDB) está na primeira colocação com 25%; Sarney Filho (PV) tem 24%; Weverton (PDT),  20%; Zé Reinaldo (PSDB), 20%; Eliziane Gama (PPS),  18%; Alexandre Almeida (PSDB), 11%.

No segundo pelotão, a pesquisa mostra Preta Lu (PSTU), com 4%; Samuel Campelo (PSL), com 3%; Saulo Pinto (PSOL), com 2%; Saulo Arcangeli (PSTU), com 1% e Iêgo Bruno (PCB), com 1%.

Votos Brancos/Nulos somam 43%, não sabem ou não opinaram somam 26%.

A pesquisa foi registrada no TSE, sob o número MA 07422/2018, e ouviu a opinião de 1.401 eleitores em todo o estado entre os dias 19 e 23 de agosto. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%.