Em nota, direção do Dom Bosco diz que tomou providências sobre surto de Catapora na escola

Dom Bosco disse que realizou o afastamento imediato dos alunos infectados

Dom Bosco disse que realizou o afastamento imediato dos alunos infectados

Em nota encaminhada a este blog sobre denúncia de surto de Catapora no colégio Dom Bosco, em São Luís, a Assessoria de Imprensa da escola esclareceu que todos os casos de doenças contagiosas seguem um rígido protocolo de afastamento imediato do aluno, o que foi respeitado também no ocorrido.

A escola disse que acompanhou de perto o episódio com toda a atenção e que tomou todas as medidas cabíveis e que, inclusive, providenciou o afastamento da primeira aluna que apresentou a doença.

Segundo a direção do Dom Bosco,  para que o aluno possa retornar às aulas, em casos de doenças desta natureza, é exigido sempre um atestado médico que garanta que o mesmo esteja fora de risco e apto a voltar ao convívio dos demais estudantes. De acordo com a escola, no episódio, a aluna apresentou um atestado e por isso foi autorizada a retornar ao colégio.

Providências sobre novos casos

Segundo ainda a nota enviada ao blog, a escola tão logo soube dos novos casos providenciou o afastamento dos alunos  em questão e, imediatamente, informou a todos os pais sobre o caso, com zelo e transparência, recomendando que os mesmos vacinassem seus filhos, uma vez que esta medida sanitária é particular e restrita a cada família.

“O Dom Bosco acompanha este e qualquer outro caso de saúde de seus alunos com a máxima seriedade sempre, e neste caso, não foi diferente”, afirmou a direção da escola por meio de sua Assessoria de Imprensa.

Mesa Diretora baixa Resolução e CPI dos Combustíveis deverá ser instalada nesta quinta

 

Resolução Administrativa, baixada nesta quarta-feira (02) pela Mesa Diretora, constituiu a CPI dos Combustíveis

Resolução Administrativa, baixada nesta quarta-feira (02) pela Mesa Diretora, constituiu a CPI dos Combustíveis

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa baixou, nesta quarta-feira (02), a Resolução Administrativa nº 203/2014 que constitui a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que visa apurar, no prazo de até 120 dias, o abusivo aumento dos preços dos combustíveis e a possível formação de cartel entre empresários do setor na capital maranhense. A primeira reunião está prevista para acontecer, nesta quinta-feira (03), na Sala das Comissões, logo após a sessão ordinária, para definir quais deputados serão presidente e relator.

Após as indicações feitas pelos líderes dos blocos parlamentares, a CPI passa a ser composta pelos deputados Othelino Neto (PCdoB), André Fufuca e Jota Pinto (DEN), Carlos Amorim (PDT), César Pires (DEM), Roberto Costa (PMDB) e Francisca Primo (PT), na condição de titulares. Ficaram como suplentes Bira do Pindaré (PSB), Camilo Figueiredo e Raimundo Louro (PR), Neto Evangelista (PSDB), Alexandre Almeida (PTN) e Doutor Pádua (PRB).

Segundo Othelino Neto, membro e autor do requerimento da CPI, a Comissão já deverá começar a ouvir os envolvidos na próxima semana. Segundo ele, o objetivo não é condenar previamente os empresários do setor, mas possibilitar que a Assembleia Legislativa contribua para evitar abusos nos preços dos combustíveis, o que vem acontecendo com frequência na capital maranhense.

“A sociedade não pode continuar sendo ultrajada, explorada. Essa história de preços combinados é um crime grave contra a economia, afinal de contas, as pessoas ficam sem opção de procurar um posto com valores mais baixos. Então é preciso realmente que a Assembleia dê a sua colaboração para acabar, de uma vez por todas, com esse problema”, argumentou Othelino Neto.

Cartelização

Essencial para os trabalhos da CPI, uma investigação do Ministério Público confirmou que existe mesmo “cartelização” do preço dos combustíveis na capital maranhense e que o valor cobrado não é mais combinado tão-somente por avenidas e bairros, mas sim em toda a cidade.

“O que existia antes era uma combinação de preço por bairro. Agora, eles criaram mais força e, sem nenhum pudor, colocaram o mesmo preço na cidade inteira”, disse a promotora do Consumidor, Lítia Cavalcante.

Surto de Catapora no Dom Bosco preocupa pais de alunos

Segundo denúncia, direção do Dom Bosco não toma medidas preventivas

Segundo denúncia, direção do Dom Bosco não toma medidas preventivas

Um surto de Catapora, que se disseminou entre os estudantes do colégio Dom Bosco, no Renascença, em São Luís, está assustando pais e responsáveis de alunos. A doença está atingindo até adolescentes do Segundo Grau sem que a direção da escola tome providências sanitárias e de imunização, de acordo com denúncia que chegou a este blog por e-mail.

Segundo a denúncia, a direção da escola está ciente do problema, mas vem permitindo que a doença se alastre entre os estudantes sem nenhuma providência.

O pai de uma aluna do Segundo Grau, que preferiu não se identificar, disse que, ao tomar conhecimento do problema, levou a filha para se vacinar contra Catapora, mas se queixou de que a direção da escola não tomou, ainda, nenhuma medida de prevenção para evitar a disseminação da doença.

Permanência ou não de Roseana no governo vira “bolsa de apostas” no Maranhão…

Roseana Sarney tem até a próxima sexta-feira para se desincompatibilizar e entrar na briga pelo Senado

Roseana Sarney tem até a próxima sexta-feira para se desincompatibilizar e entrar na briga pelo Senado

Apesar de já ter lançado na Imprensa que deve permanecer no cargo de governadora até o final de dezembro deste ano, Roseana Sarney ainda não convenceu a população maranhense de que abrirá mesmo mão de disputar um mandato de senadora para tentar emplacar o candidato governista, Luís Fernando Silva, na eleição de outubro.

Nos meios políticos, jornalísticos e populares, tem muita gente fazendo apostas e colocando em jogo dinheiro, caixas de uísque, de cerveja, enfim. A permanência ou saída de Roseana até a próxima sexta-feira (04) tem dividido opiniões no Maranhão e virou “bolsa de apostas” mesmo. Há quem esteja fazendo até o popular “bolão”.

Até o final do ano passado, a governadora tinha a intenção de concorrer ao Senado, tanto que favoreceu a “eleição” do vice-governador Washington Luís para vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA). O objetivo era, com a renúncia de Roseana, fazer Luís Fernando Silva governador por meio de eleição indireta na Assembleia Legislativa. Mas os planos tomaram um outro rumo.

Sem articulação no Parlamento e temendo o fator Arnaldo Mello (PMDB), primeiro na linha sucessória com a vacância do vice-governador, Roseana nem chegou a chamar o presidente da Assembleia Legislativa para tratar do assunto, com isso a tese de que a governadora permanecerá no cargo ganha mais força.

Esta próxima sexta-feira (04), portanto, será o “Dia do Fico” ou do “Não Fico”. Dia em que, realmente, todos terão certeza sobre a permanência ou não de Roseana no cargo.

No sábado (05), portanto, será o dia de quem perdeu a aposta pagá-la. E não vale titubear. Tem que pagar mesmo!

SES capacita em vigilância epidemiológica

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio do Departamento de Epidemiologia da Secretaria Adjunta de Vigilância em Saúde, está realizando o Treinamento Integrado em Vigilância Epidemiológica e Laboratório das Doenças Exantemáticas e Paralisias Flácidas Agudas (PFA). O evento iniciado terça-feira (1º) ocorre em São Luis nas dependências do Hotel Praia Mar até esta quinta-feira (3).

O treinamento tem como objetivo capacitar e sensibilizar profissionais dos serviços de saúde da Região Metropolitana de São Luís sobre a importância da vigilância e estabelecer parcerias para manter eliminadas no Maranhão as doenças exantemáticas: sarampo, rubéola, a síndrome da rubéola congênita (SRC), e as paralisias flácidas agudas (PFA).

Segundo a chefe do Departamento de Epidemiologia da Secretaria Adjunta de Vigilância em Saúde/SES, Léa Márcia da Costa, a escolha dos profissionais da região metropolitana (formada pelos municípios de São Luis, Paço do Lumiar, Raposa e Alcântara) para receberem o treinamento tem relação com os registros de maiores índices de paralisias flácidas no Estado.