Internautas satirizam candidatura de Edinho Lobão ao governo

O anúncio do nome do suplente de senador, Edinho Lobão, como provável candidato do grupo Sarney ao governo do Maranhão não repercutiu de forma negativa apenas na classe política. Nas redes sociais, internautas satirizam a candidatura das formas mais criativas a todo momento.

A vida pregressa de “Lobinho” reúne um leque de suspeitas que vão dos fornos de uma padaria em Serra Pelada, passando por exigências de comissões de 30% durante o governo de seu pai, o ministro Edison Lobão, até sonegação de impostos em negócios mal explicados com a cervejaria Schincariol. Nunca foi votado, nem para diretor de suas empresas.

Já tem inclusive propostas de cartazes para a campanha de Edinho Lobão, fazendo alusão à política dos 30% do governo Lobão.

Confira alguns registros que circulam no Facebook e no WhatsApp:

edinho

 

edinho 2

CRISE NO GRUPO SARNEY – Governistas indignados com imposição do nome de Edinho Lobão

Líder do governo Roseana “soltou o verbo” e criticou “escolha”, no afogadilho, do filho do ministro de Minas e Energia

César Pires detonou imposição do nome de Edinho Lobão, na emissora da própria família Sarney

César Pires detonou imposição do nome de Edinho Lobão, na emissora da própria família Sarney

Grande parte dos 31 deputados estaduais governistas torce o nariz para a imposição do nome do suplente de senador Edinho Lobão (PMDB) como pré-candidato do grupo Sarney ao governo do Maranhão. Um grupo de parlamentares chegou a se reunir, após a sessão desta quarta-feira (09), para discutir a atitude do clã Sarney que “escolheu”, no afogadilho, sem ouvir nenhum aliado, o filho do ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, para  a disputa de outubro próximo.

Indignado, o líder do governo Roseana Sarney, César Pires (DEM), soltou o verbo, no programa Ponto Final da rádio Mirante AM, emissora da própria família Sarney, na manhã desta quarta-feira (09), e criticou a imposição do grupo Sarney com o nome Edinho Lobão para o governo do Estado. Ele disse que os deputados governistas deveriam ter sido ouvidos antes, mas não o foram, numa demonstração de que o nome do filho do ministro de Minas e Energia não agradou.

Castelo e Arnaldo Melo

Na manhã desta quarta-feira (10), os deputados governistas insatisfeitos chegaram a cogitar  o nome de Arnaldo Mello (PMDB) como candidato a senador pelo PMDB, já que Edinho Lobão já articula uma aproximação com o ex-prefeito de São Luís, João Castelo, para emplacar o tucano ao Senado com apoio do grupo.

Mas a verdade é que o grupo Sarney não aceita nem discutir essa hipótese de Arnaldo Mello como candidato ao Senado, já que o presidente da Assembleia Legislativa é agora visto como “persona non grata” pelo clã por não ter aceitado acordo para emplacar o ex-secretário de Infraestrutura, Luís Fernando Silva, “goela abaixo” como governador tampão em uma eleição indireta.

A imposição do nome de Edinho Lobão como pré-candidato ao governo do Maranhão não foi bem digerida pela classe política. Envolvido em um passado cravado de denúncias graves, os políticos do grupo Sarney o veem como uma verdadeira “bomba relógio”.

Vereador repercute nomeação de Canindé Barros na SMTT

Vereador Marquinho destacou mudanças feitas por Edivaldo Jr no secretariado

Vereador Marquinho destacou mudanças feitas por Edivaldo Jr no secretariado

O vereador Marquinhos Silva (PRB) elogiou as mudanças no secretariado da Prefeitura de São Luís, que já demonstram resultados. O vereador enalteceu principalmente a escolha do técnico Canindé Barros para a secretaria municipal de Trânsito e Transporte.

Marquinhos tem levantado a bandeira do transporte como principal discussão na Câmara Municipal. Ele, que tem sido um grande crítico da questão do transporte coletivo, afirmou que foi uma ótima escolha do prefeito Edivaldo Holanda Júnior que nomeou o secretário que era solicitado pela maioria das pessoas quando se discutia a problemática da mobilidade urbana.

Em dois dias como titular da SMTT, Canindé Barros já percorreu vários pontos críticos do trânsito da capital, visitou os terminais de integração e conversou com usuários para verificar os problemas e as soluções mais urgentes para melhorara a fluidez do tráfego.

O vereador do PRB enalteceu a coragem do prefeito Edivaldo Holanda Júnior para fazer as trocas necessárias no secretariado quando as respostas não são satisfatórias, como nas quatro principais secretarias, onde substituições surtiram efeito: Educação, Saúde, Obras e agora do Trânsito e Transporte.

Canindé Barros assumiu a SMTT na última segunda-feira (7). O engenheiro civil, formado pela Universidade Estadual do Maranhão (Uema), possui especialização em Engenharia de Trânsito e Transporte. Ele já exerceu o cargo de secretário municipal de Trânsito e Transporte de São Luís na administração do prefeito Tadeu Palácio, no período de 2003 a 2008, e no final da gestão João Castelo.

CPI dos Combustíveis se municia para começar a ouvir investigados no dia 22

CPI dos Combustíveis  inciou os trabalhos e se prepara para ouvir investigados

CPI dos Combustíveis inciou os trabalhos e se prepara para ouvir investigados

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que visa investigar abusos nos preços dos combustíveis e formação de cartel na capital maranhense, instalada no último dia 03, está analisando, nas primeiras duas semanas, documentos e se municiando de informações para, a partir desse levantamento, começar a ouvir o depoimento dos envolvidos a partir do próximo dia 22, às 14h, no Plenarinho da Casa. O comunicado foi feito em pronunciamento, nesta terça-feira (09), pelo presidente da CPI, deputado Othelino Neto (PCdoB).

Após uma nova reunião com a Consultoria Legislativa, ficou definido que a CPI ouvirá as primeiras pessoas do dia 22 ao dia 25 de abril, logo após a Semana Santa. De terça a quinta-feira, os depoimentos iniciarão às 14h; e na sexta-feira (25), às 8:30h.  O foco da Comissão será investigar, no prazo de até 120 dias, o abusivo aumento nos preços dos combustíveis e a possível formação de cartel entre empresários do setor na capital maranhense.

A CPI já solicitou à procuradora geral de Justiça, Regina Rocha, permissão para que o Ministério Público, por meio da Promotoria do Consumidor, assessore, formalmente, os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito, não só durante todo o trabalho de apuração como também no momento da produção do relatório. “Esse acompanhamento  vai nos ajudar bastante, até tendo em vista o fato de o MP já ter um procedimento interno instalado para investigar essa mesma situação da possível formação de cartel”, explicou Othelino.

 Apuração rigorosa e ampla defesa

De acordo com o presidente da CPI, a Comissão vai ouvir convidados e convocados para extrair dessas pessoas as informações suficientes com o objetivo claro de ter uma apuração rigorosa, mas respeitando o direito de ampla defesa daqueles que estiverem na condição de investigados. “Precisamos dar um resultado concreto, consolidado para a sociedade e, dessa forma, cumprir a missão que é coibir essa exploração que está acontecendo contra a população de São Luís e do Maranhão com essas cobranças abusivas dos preços dos combustíveis”, afirmou Othelino.

Além de Othelino Neto como presidente, a CPI dos Combustíveis conta ainda com André Fufuca (PEN) como vice-presidente e César Pires (DEM) como relator. A Comissão tem ainda como membros Jota Pinto (PEN), Carlos Amorim (PDT), Roberto Costa (PMDB) e Francisca Primo (PT), na condição de titulares. Ficaram como suplentes Bira do Pindaré (PSB), Camilo Figueiredo e Raimundo Louro (PR), Neto Evangelista (PSDB), Alexandre Almeida (PTN) e Doutor Pádua (PRB).

Para os deputados que compõem a CPI, a instalação da Comissão foi um clamor da própria sociedade que não aguenta mais conviver com os abusos nos preços dos combustíveis, praticados pelos postos de venda na capital maranhense.

Segundo Othelino Neto, a prática de formação de cartel é um crime contra a sociedade, contra a livre concorrência e contra a economia, porque não permite à população a possibilidade de ter uma variação de preço. De acordo com levantamento feito pelo parlamentar, da Ponta d’Areia até a saída de São Luís, encontra-se a gasolina com o mesmo valor de R$ 2,99.