Dono da UTC confirma participação de Roseana e Lobão em esquema

O empresário fez referência aos políticos em acordo de delação premiada

O empresário fez referência aos políticos em acordo de delação premiada

O Globo – A delação premiada do dono da construtora UTC, Ricardo Pessoa, tratou de um suposto esquema de pagamento de propina em contratos de obras da usina nuclear Angra 3, em Angra dos Reis, segundo fontes com acesso às investigações no Supremo Tribunal Federal (STF). Pessoa, apontado como chefe do chamado “clube do cartel”, teria detalhado pagamentos envolvendo parlamentares do PMDB e gestores da Eletrobras Eletronuclear, órgão responsável pelas obras da usina. A delação é conduzida sob sigilo pela Procuradoria Geral da República.

O depoimento de Pessoa reforça o teor da delação do ex-presidente da Camargo Corrêa Dalton Avancini. Ele também decidiu colaborar com a Justiça em troca de um alívio nas penas. Segundo Avancini, coube à UTC, com participação de Pessoa, convocar uma reunião para acertar propina ao PMDB e a dirigentes da Eletronuclear, entre eles o presidente da estatal, almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva.

O executivo relatou uma organização em cartel das empreiteiras para fatiar contratos, como ocorreu na Petrobras. As revelações sobre o depoimento de Avancini foram feitas pelo “Jornal Nacional” em 25 de abril. O presidente da Eletronuclear se licenciou do cargo quatro dias depois.

INTEGRANTES DE CARTEL

A UTC e a Camargo Corrêa são acusadas de integrar o cartel que negociou contratos na Petrobras. Pessoa e Avancini ficaram presos em Curitiba devido ao suposto envolvimento no esquema. O dono da UTC aderiu à delação premiada após ser transferido para prisão domiciliar. O acordo é com a procuradoria, no âmbito das investigações em curso no STF, por conta das citações a autoridades com foro privilegiado.

O ex-presidente da Camargo Corrêa decidiu fazer a delação quando estava num presídio. Ele deixou o cárcere por conta da colaboração. Os depoimentos foram para a equipe de procuradores da força-tarefa em Curitiba.

A delação de Pessoa ainda está em curso e depende de homologação do STF. Já se sabe que ele citou como beneficiário do esquema o senador Edison Lobão (PMDB-MA), ex-ministro de Minas e Energia, e a ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney (PMDB). Os dois já são investigados em inquéritos no STF. Uma autoridade militar com atuação no setor elétrico também foi citada por Pessoa. O GLOBO não confirmou se a referência foi a Othon Luiz, da Eletronuclear. A Eletrobras afirmou que nenhuma irregularidade foi identificada até agora em Angra 3.

Othelino reúne-se com superintendente do BB e cobra melhorias no atendimento em Pinheiro

 

O deputado Othleino reuniu-se com o superintendente estadual do Banco do Brasil, Ronaldo Alves de Oliveira, e cobrou melhorias no atendimento e nos demais serviços prestados pelo BB em Pinheiro

O deputado Othleino reuniu-se com o superintendente estadual do Banco do Brasil, Ronaldo Alves de Oliveira, e cobrou melhorias no atendimento e nos demais serviços prestados pelo BB em Pinheiro

Diante das inúmeras queixas da população da Baixada Maranhense, o deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) reuniu-se, na tarde de terça-feira (02), com o superintendente estadual do Banco do Brasil, Ronaldo Alves de Oliveira, para cobrar melhorias no atendimento e nos demais serviços prestados pelo BB no município de Pinheiro. O encontro aconteceu na superintendência da instituição, na Praça Dom Pedro II, Centro de São Luís.

“O superintendente se comprometeu em enviar um representante do BB à agência de Pinheiro e assim poder encontrar uma maneira de minimizar esse desconforto que tem sido permanente para a população da Baixada que depende, exclusivamente, desses serviços”, informou o deputado.

Othelino disse,  ainda, que manterá um contato periódico tanto com a direção do Banco do Brasil quanto com a população para saber se de fato houve melhorias na prestação de serviços na agência de Pinheiro. Durante a reunião, o superintendente  se comprometeu a enviar um representante, na próxima terça-feira (09), ao município.

Atendimento precário

O parlamentar já havia ocupado a tribuna da Casa, pelo menos duas vezes este ano, para denunciar a precariedade na prestação de serviços do BB na Baixada Maranhense, sobretudo em Pinheiro, onde os clientes há muito se queixam do mau atendimento. Entre as principais reclamações estão a grande demora nas filas e a falta de dinheiro nos caixas eletrônicos nos finais de semana.

Durante um de seus discursos na Assembleia, Othelino reiterou que o Banco do Brasil de Pinheiro não atende apenas esse município, mas a população de várias outras cidades que acabam tendo como referência esta agência, desde Alcântara, Bequimão, Peri-Mirim, Palmeirândia, Santa Helena, Presidente Sarney e Turilândia.

“Hoje, o cidadão que precisa sacar o seu salário, para fazer a feira, uma despesa imediata ou mesmo para vir a São Luís por meio do ferry, que não aceita cartão de débito, fica sem nenhuma assistência”, afirmou. O deputado disse que a explicação do Banco do Brasil tem sido nada mais do que uma folha de papel escrito “terminal em manutenção”.

Durante o encontro, o deputado recebeu do superintendente Ronaldo Alves de Oliveira a garantia de que serão tomada as devidas providências no sentido de tentar resolver o problema em Pinheiro.