PGR pede prorrogação de prazo para investigação de Roseana, Lobão e outros políticos na Lava Jato

Roseana e Lobão são alvos de investigação na Lava Jato

Roseana e Lobão são alvos de investigação na Lava Jato

Estadão

A PGR (Procuradoria Geral da República) pediu, nesta quarta-feira (2), ao STF (Supremo Tribunal Federal) a prorrogação do prazo de investigação em onze dos 25 inquéritos em tramitação para investigar a participação de políticos no esquema investigado pela operação Lava Jato. No total, nove investigados devem continuar sob a mira da PGR por mais 60 dias, entre eles o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o ex-ministro e senador Edison Lobão (PMDB-MA).

O ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF, precisa autorizar agora os pedidos feitos pela Procuradoria. As investigações tiveram início na primeira semana de março e já foram prorrogadas outras duas vezes.

Os pedidos de prorrogação apresentados hoje ao Supremo incluem, além de Renan e Lobão, a investigação dos senadores Valdir Raupp (PMDB-RO), Fernando Bezerra (PSB-PE), dos deputados Simão Sessim (PP-RJ), Aníbal Gomes (PMDB-CE) e José Mentor; e dos ex-deputados Roberto Teixeira (PP-PE) e João Pizzolatti (PP-SC) – este, alvo de quatro inquéritos.

Dois dos três inquéritos nos quais Renan Calheiros é alvo tramitam em conjunto e constam na nova leva de prorrogação. A terceira investigação, que envolve mais de 30 políticos por suposta formação de quadrilha, ainda não teve solução apresentada pela PGR até o momento. A expectativa de fontes que acompanham a investigação é de que procuradores tomem soluções diversas para cada grupo de políticos investigados por formação de quadrilha, o maior inquérito da Lava Jato no STF, com possível desmembramento da investigação.

Além de pedidos de prorrogação, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pode pedir arquivamentos de investigações ou oferecer denúncias – acusações formais.

Antes dos pedidos de prorrogação, Janot já apresentou outras três soluções: oferecimento de denúncia contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e contra o senador Fernando Collor (PTB-AL) e arquivamento de investigação sobre o senador Antônio Anastasia (PSDB-MG).

Ainda não foram apresentadas as conclusões sobre onze inquéritos, portanto. A expectativa é que sejam apresentados novos pedidos de arquivamento e oferecidas denúncias nos próximos dias. Além da investigação sobre quadrilha, o procurador-geral da República deve se posicionar sobre investigações a respeito, por exemplo, da ex-ministra e senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), do senador Humberto Costa (PT-PE), do senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e de uma investigação que inclui Lobão e a ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney, entre outros.

Rosângela Curado assumirá vaga na Câmara Federal com licença de Weverton

Rosângela Curado disse

Rosângela Curado assumirá mandato na Câmara Federal

O deputado federal Weverton Rocha (PDT) pedirá licença de 120 dias da Câmara Federal, sem remuneração, para tratar de assuntos pessoais a partir da próxima quarta-feira, 08 Ele será substituído pela atual subsecretária estadual de Saúde, Rosângela Curado (PDT), que deixará o cargo para assumir o mandato de deputada.

A eleição de Rosângela Curado, que lidera as pesquisas de intenção de votos para a Prefeitura de Imperatriz, é uma das prioridades do PDT no Maranhão. Como deputada, terá maior desenvoltura política para viabilizar sua candidatura à prefeita.

Weverton Rocha assumiu a presidência estadual do PDT na Convenção Estadual do partido, realizada com grande festa, na última sexta-feira, 28, mostrando o fortalecimento da legenda no Maranhão, com a filiação de 16 prefeitos.

E é pelas reais condições de vitória dos pedetistas na disputa eleitoral do próximo ano, em diversos municípios maranhenses, que Weverton Rocha pretende dedicar-se totalmente à organização do PDT em São Luís e em pelo menos 40 municípios do Maranhão.

Othelino enquadra Wellington do Curso e mostra a verdade sobre ponte “Pai Inácio”

Othelino Neto: “É preciso fazer esse esclarecimento, até para que o deputado Wellington possa conhecer a realidade dos fatos”

Othelino Neto: “É preciso fazer esse esclarecimento, até para que o deputado Wellington possa conhecer a realidade dos fatos”

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) rebateu na tribuna, na sessão desta quarta-feira (02), declarações infundadas, segundo o parlamentar, feitas pelo pepessista Wellington do Curso (PPS) sobre a ponte “Pai Inácio”, em São Luís, cujas obras foram anunciadas pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior e pelo secretário de Infraestrutura do Estado, Clayton Noleto. Segundo o vice-presidente da Assembleia Legislativa, é preciso esclarecer os fatos para que não fiquem dúvidas quanto à aplicação dos recursos públicos e não se cometa injustiça com a atual administração municipal.

De acordo com Othelino Neto, a obra, que foi realizada na região do Rio Gangan, apesar de ter sido na mesma área da ponte, teve outra finalidade e foi realizada com recursos federais de um programa de sistema de drenagem e recuperação de mananciais de águas pluviais, originários do Ministério das Cidades, no valor de R$ 7 milhões e 800 mil.

“Esse montante era para revitalização do Rio Gangan e foram aplicados também para a urbanização do lugar. A obra foi iniciada pelo ex-prefeito João Castelo e concluída pelo atual prefeito Edivaldo Holanda Júnior. Recursos 100% aplicados e já com sua prestação de contas realizada”, esclareceu o deputado.

Othelino disse que, com relação a esse programa,  não há nenhuma pendência. Segundo o parlamentar, os recursos recebidos foram aplicados; houve revitalização do trecho do Rio Gangan, inclusive, pavimentação de ruas no entorno que margeia o canal, instalação de iluminação e outras obras paralelas.

“É preciso fazer esse esclarecimento, até para que o deputado Wellington possa conhecer a realidade dos fatos,  mas, principalmente, para que a sociedade conheça, porque  a verdade é que agora, apesar do prefeito ter anunciado o início dessa obra em 2013, naquela época não foi possível iniciar”, afirmou o deputado na tribuna.

Parceria entre Governo e Prefeitura

Othelino fez  questão de frisar que a obra da ponte “Pai Inácio” só foi possível ser iniciada agora por meio da parceria com o governo Flávio Dino, pois a administração municipal era boicotada pela ex-governadora Roseana Sarney. “Isso está sendo possível, graças  a um  momento, deputado Wellington, que V. Exa deveria, inclusive, comemorar, que é o fato da Prefeitura de São Luís passar a ser vista pelo governo do Maranhão. A obra vai ser realizada. A  Ponte Pai Inácio vai ser construída com recursos do Estado e do Município”, frisou.

O deputado lembrou que essa parceria deve ser razão de grande alegria para quem mora na cidade de São Luís, pois, finalmente, o Governo do Estado passa a dar atenção para a capital maranhense. Othelino disse até entender a motivação de Wellington, já que o partido do qual faz parte, é oposição ao prefeito, mas alertou que é  preciso ter bastante atenção ao fazer denúncias deste tipo para que elas não caiam no vazio e, principalmente, para que não possam macular a imagem de um homem de bem, como Edivaldo Holanda Júnior.

“É preciso reconhecer o novo momento que a cidade de São Luís vive, a partir dessa parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de São Luís que marca, de forma concreta, o fim de uma sabotagem perversa que prosperou e que avançou até dia 31 de dezembro do ano passado contra o povo de São Luís. E nós que amamos esta cidade, que está à beira de fazer mais um aniversário, devemos reconhecer as dificuldades que ela tem, mas observar e aplaudir os avanços que têm sidos obtidos”, comentou.

O pronunciamento de Othelino Neto recebeu apartes dos deputados Marco Aurélio (PCdoB) e Fábio Macedo (PDT). Ambos destacaram os esclarecimentos e reforçaram a importância de uma parceria efetiva entre Governo e Prefeitura em São Luís, que vem se traduzindo em obras e ações na cidade.

O FUTI ESTÁ DE VOLTA: “Rabujos da família Sarney estão migrando para partidos governistas”, diz Domingos Dutra

Durante a entrevista, Dutra disse que o município de Paço do Lumiar está totalmente destroçado

Durante a entrevista, Dutra disse que o município de Paço do Lumiar está totalmente destroçado

O ex-deputado Domingos Dutra (SDD) reapareceu na mídia com suas pérolas que provocam boas gargalhadas. Ele, que é declarado pré-candidato a prefeito de Paço do Lumiar, foi o entrevistado desta terça-ferira (01) do programa Avesso, comandado pelo jornalista Américo Azevedo na TV Guará. Sobre o troca-troca partidário, o ex-petista não se conteve e mandou ver para cima dos políticos, que eram do grupo Sarney, e. por oportunismo, estão se passando para a atual base governista.

“Sob o ponto de vista político, eu vejo uma transição não muito do meu agrado. Por que eu to vendo que os rabujos da família Sarney, os prefeitos que estavam no quintal de Sarney, que apoiaram Edinho Lobão até o final, estão migrando para os partidos que hoje estão na base de apoio a Flávio Dino”, disparou o desbocado Domingos Dutra.

O ex-deputado fez uma análise otimista do governo estadual, reconhecendo as dificuldades perante o momento de crise generalizada. Disse que o governador do Maranhão,  Flavio Dino (PCdoB), recebeu um Estado destroçado e, mesmo assim, está fazendo coisas muito positivas. “Agora estamos nessa transição com o Flavio Dino, que faz o que pode. O pais vive uma crise grave que repercute em estados pobres como o Maranhão”, comentou.

Analisando o cenário oficial, Dutra disse ainda que o atual governo recebeu um caos administrativo da gestão anterior. “Flávio recebeu da governadora Roseana Sarney um Estado quebrado, fruto de um governo familiar. Agora nós estamos vendo, através da Secretaria de Transparência e Controle, o caos administrativo e financeiro deixado em várias áreas”, afirmou.

Paço do Lumiar

Durante a entrevista, Dutra disse que o município de Paço do Lumiar está totalmente destroçado. Segundo ele, o prefeito atual, Josemar Sobreiro, não tem capacidade intelectual nenhuma e transformou o município em “quintal de Ribamar”. ” É o vice, que é agregado da família Cutrim, que manda lá”, disparou.

“Espero que a população de Paço saia desse sufoco. Em 14 anos, foram dois prefeitos cassados, um em 2002 e a Bia (Venâncio)  em 2012, que tinha orgulho de exibir no mocotó a pulseira eletrônica. E agora tem um prefeito que não governa”, comentou.

VEJA O QUE DISSE DUTRA SOBRE:

Política, políticos e partidos…

“Na hora que a gente vê partidos como PDT, PSDB, que estão sendo refúgio dos rabujos da família Sarney, eu recorro novamente ao Jackson Lago. Na eleição de 2006, houve uma briga generalizada dos partidos que apoiavam o então governador, quando chegou na cassação ninguém estava lá pra defender o Jackson”.

“O PC do B, por enquanto, está muito contido. Eu não vejo, no partido, essa corrida em busca de prefeitos. Eu vejo, sim, no PDT e no PSDB. E na minha visão se antecipou a disputa de governador, de senador e até deputado federal. Tá todo mundo já organizando sua moquecazinha para a disputa de 2018. Ao invés de tá todo mundo se esforçando para tirar o Maranhão da crise, diante da crise nacional, das dificuldades que Flávio Dino encontrou. Já anteciparam foram as disputas pelo voto em 2018”.

Conjunturas partidárias

“Se não tiver um nome forte no PT, o PSDB quebra, pode rachar até em três: o Alckmin pode ir pro PSB, o Serra pro PMDB e aqui no Maranhão não vejo como o PSDB estar com o Flávio Dino”.

Metropolização e Ilha de São Luís

“A populações dos quatro municípios estão metropolizadas, agora os políticos não. Quem coordena é o governo do Estado e até então ninguém se interessou, mas parece que o governador Flávio Dino está empenhado”.

O programa Avesso, apresentado por Américo Azevedo Neto, vai ao ar toda terça-feira, às 22:45, na TV Guará. Contatos com a produção: 99187-3515.