Caema: Braide destinou, sem licitação, R$ 5 milhões à empresa do sócio de seus irmãos

Braide beneficiou empresa de parentes como mostram os documentos

Braide beneficiou empresa ligada a parentes, quando presidiu a Caema, como mostram os documentos

caema caema2 caema3

Em 2005, quando foi presidente da Caema, Eduardo Braide contratou a empresa CBM – Construções e Comércio Ltda para fazer manutenção de serviços e alegou emergência para não fazer licitação. A empresa ganhou R$ 2.383.60,18 no primeiro contrato de seis meses e depois ganhou mais R$ 2.383.60,18 em outro contrato de mais seis meses, de novo alegando emergência. Ao todo, quase R$ 5 milhões.

Essa operação já é estranha. Mas fica mais ainda quando se consulta que o quadro de sócios da CBM é formado por Heitor Pereira e Maria José dos Santos Viegas. Acontece que na mesma época Heitor Pereira se tornou sócio de Fernando Salim Braide e Antônio Carlos Salim Braide, irmãos de Eduardo Braide, na HB Agroindustrial e Pecuária Ltda – ME.

A contratação da CBM é cheia de irregularidades. O contrato foi feito a partir de 15 de julho, mas valendo desde 25 de maio. Isso porque a obra já teria começado antes mesmo do contrato, por conta de uma emergência. Isso não é permitido pela lei, que não aceita contrato de boca com a administração pública.

E mais, mesmo seis meses depois do contrato, a Caema não fez a licitação e emendou um novo contrato de emergência de mais seis meses. Um ano inteiro ganhando dinheiro sem licitação.

Nesse mesmo período em que gastou quase R$ 5 milhões com essa empresa, a Caema tinha cerca de R$ 6 milhões para fazer obras de esgoto na cidade, mas não fez. E tinha mais de R$ 5 milhões para colocar água em todas as casas , mas investiu apenas R$ 600 mil. E a cidade continuou com problema de água e esgoto.

Resposta de Braide

Em entrevista, nesta quinta, à TV Difusora, Braide disse que não há nada de ilegal no contrato, pois ele passou pela Central de Licitação e também disse desconhecer a sociedade dos irmão com o um dos donos da CBM.

Será que é essa a experiência que ele diz possuir como gestor da maior empresa pública do Maranhão e que o qualifica para administrar São Luís?

Veja o contrato da Caema e as constituições da CBM e da HB Agroindustrial, dos irmãos de Eduardo Braide: sócios em comum.

Suspeita de crime de lavagem de dinheiro, prefeita de Guimarães é presa e levada para Pedrinhas

Nilce de Jesus Farias Ribeiro (PMDB) foi levada para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas em São Luís, MA (Foto: Biaman Prado/O Estado)

Nilce de Jesus Farias Ribeiro (PMDB) foi levada para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas em São Luís, MA (Foto: Biaman Prado/O Estado)

Nilce de Jesus Farias Ribeiro (PMDB) foi presa nesta manhã (20). Ela também é suspeita do crime de lavagem de dinheiro na Prefeitura.

Do G1

A Polícia Civil, por meio da Superintendência Especial de Combate a Corrupção do Maranhão (Seccor), prendeu, na manhã desta quinta-feira (20), Nilce de Jesus Farias Ribeiro (PMDB), atual prefeita do município de Guimarães, a 70 km de São Luís, por suspeita de fraude em licitações e lavagem de dinheiro na Prefeitura. Ela foi candidata à releição em Guimarães, mas foi a terceira colocada com 1.060 votos (14,18%).

Além da prefeita, também foram presos pela polícia Carlane de Jesus Farias Ribeiro que é filha de Nilce de Jesus e secretária de Finanças do Município, Railson de Assis Pereira Sodré que é genro da prefeita e também pregoeiro da Prefeitura de Guimarães, Douglas Pereira Ribeiro, empresário contratante com o município maranhense, e Francivaldo Martins Piedade, conhecido como “Buíu” em Guimarães. “Buíu” já foi presidente da Comissão de Licitação da Prefeitura de Guimarães e está sendo trazido para a capital maranhense.

Segundo informações do delegado da Polícia Federal, Ricardo Moura, os cinco suspeitos respondem a, pelo menos, quatro crimes contra a Administração Pública. “São fraudes contra a licitação, crimes licitatórios no caso, mais de um delito, lavagem de dinheiro, peculato e organização criminosa também”, revelou.

Ainda conforme o delegado, as investigações remontam ao primeiro ano de gestão da prefeita de Guimarães. “Já no ano de 2013 várias fraudes em processos licitatórios. Essas fraudes eram diversas. Eram desde o direcionamento dos contratos para empresas já pré-escolhidas pelos gestores como o uso de documento falso nesses contratos e, também possível superfaturamento de preço desses contratos inicialmente investigados”.

O delegado Ricardo Moura disse que a partir de agora será dado um novo passo as investigações onde serão interrogados os suspeitos, avaliados dados bancários a partir dos materiais apreendidos e, caso seja necessário, pedido uma prisão preventiva a todos os envolvidos. “Agora vai ser dado um novo passo as investigações. Vamos interrogar todos os suspeitos. Vamos trabalhar os dados bancários e fiscais. Vamos fazer um trabalho em cima dos documentos e computadores que estão sendo apreendidos. Vamos também definir se vai ser necessária prorrogação dessa prisão temporária ou uma conversão em preventiva ou mesmo se vai ser pedido o afastamento da prefeita”, finalizou.

Sobre a prisão de Nilce de Jesus Farias Ribeiro, Paulo Humberto Castelo Branco, advogado da prefeita, da filha e do genro dela disse que ‘considerou a prisão descabida porque disse que a prefeita sempre que citada, assim como os outros suspeitos, prestaram os devidos esclarecimentos. Então, ele não vê a necessidade da prisão se dar nesse momento. Disse também que as irregularidades são meramente formais e não condizem necessariamente a fraudes, a crimes como se observa nas investigações. Além disso, o advogado citou o fato de que em praticamente todas as Prefeituras do Maranhão essa é uma situação corriqueira’.

Os cinco presos serão levados nesta tarde para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, na capital, para cumprirem prisão temporária de cinco dias.

Econométrica: Edivaldo lidera e rejeição a Braide aumenta

Pesquisa Econométrica mostra Edivaldo com 52,6% contra 47,4% de Eduardo

Do Jornal Pequeno

pesquisa2o10

O prefeito e candidato à reeleição, Edivaldo Júnior (PDT), aparece à frente em pesquisa de intenção de votos, realizada no 2º turno, pelo Instituto Econométrica. Se as eleições fossem hoje, pelos votos válidos, segundo a Econométrica, Edivaldo teria 52,6% dos votos válidos contra 47,4% do candidato Eduardo Braide (PMN); uma vantagem de de 5 pontos percentuais à frente do adversário.

Dos entrevistados 3,8% disseram votar branco ou nulo, enquanto 4,8% não sabem ou não responderam.

Na soma dos votos válidos são retirados brancos, nulos e indecisos, critério utilizado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para a totalização dos votos.

Na pesquisa estimulada, Edivaldo aparece com 48% das intenções de votos contra 43,3% de Eduardo Braide. Apenas 3,8% disseram votar branco ou nulo, enquanto 4,8% não sabem ou não responderam.

A pesquisa está registrada no PESQELE da Justiça Eleitoral sob o nº MA-07755/2016 e foi realizada entre os dias 13 e 15. Foram 1014 entrevistas e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos com um intervalo de confiança de 95%.

Na pesquisa espontânea, em que não são apresentados os nomes dos candidatos, Edivaldo também lidera com mais de cinco pontos de diferença sobre o adversário. O candidato do PDT tem 46,4% das intenções de votos, enquanto Eduardo Braide tem 41%. Brancos e nulos somam 3,2% e não sabem ou não responderam 9,5%.

REJEIÇÃO A EDUARDO BRAIDE AUMENTA

rejeicao2010

A pesquisa Econométrica mensurou, também, o índice de rejeição dos candidatos. Segundo a Econométrica, Eduardo Braide tem 40,1% de rejeição, enquanto o prefeito e candidato à reeleição aparece com 35,3% neste quesito. Poderiam votar nos dois candidatos 18,8% dos entrevistados. Não votariam em nenhum dos dois 2,5% e 3,3% não sabem ou não responderam.

Segundo ainda a pesquisa Econométrica, a decisão sobre o voto está consolidada para 81% dos eleitores. É quase definitiva, mas ainda pode mudar até as eleições para 8,5%. É apenas decisão inicial e ainda estão pensando em quem vão votar 7,7% do eleitorado e 2,9% não sabem ou não responderam.

Edinho Lobão: “Braide procurou o meu apoio”

Em 2015, Eduardo Braide apoiou o então candidato a governador, Edison Lobinho

Em 2014, Eduardo Braide apoiou o então candidato a governador Edison Lobinho. Registro de Braide na foto de apoiadores do peemedebista

Em entrevista exclusiva ao blog do John Cutrim, o empresário e suplente de senador, Lobão Filho, confirmou que o candidato Eduardo Braide fez de tudo para ter o PMDB ao seu lado. De acordo com Edinho, Braide, que nega, em horário eleitoral, qualquer contato com a chamada “velha política”, procurou o suplente de senador para ter o partido na sua campanha.

“Eu mesmo o recebi na Difusora em busca de tal apoio. (…) Estava ele buscando desesperadamente coligar com o PMDB”, afirma Lobinho.

O empresário conta que Eduardo Braide buscou o apoio de todo o grupo Sarney. “É absolutamente verdadeiro que o candidato Eduardo Braide procurou a todos nós. (…) Muito legítimo da parte dele, já que ele sempre fez parte do meu grupo político”, declara Edinho Lobão.

O filho do senador Edson Lobão diz ainda que o caminho natural do PMDB seria apoiar Eduardo Briade, caso a legenda não tivesse optado pela candidatura própria contra a sua vontade e da ex-governadora Roseana Sarney. “Poderíamos, sim, ter apoiado Eduardo Braide. Seria algo natural”, assinala Edinho Lobão.

Lembrando que, em 2014, Braide foi um dos apoiadores da campanha de Lobinho ao governo do Estado, que era o candidato do grupo Sarney.