CASO DOS FANTASMAS – MP pede condenação de Waldir Maranhão e Thiago Maranhão

Waldir Maranhão

Denúncia contra Waldir Maranhão teve repercussão nacional

O Ministério Público do Maranhão (MPMA) ajuizou duas ações civis públicas contra o deputado federal Waldir Maranhão (PP) e o filho dele, o médico Thiago Maranhão, por causa do recebimento indevido de salários na Universidade Estadual do Maranhão (Uema) e no Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA) respectivamente.

A denúncia ganhou destaque na imprensa nacional em maio de 2016. Eles foram considerados como “funcionários fantasmas”, custando aos cofres públicos o valor total de R$ 933.303,15.

As ações são baseadas nos Inquéritos Civis nºs 01/2016 (Thiago Maranhão) e n° 02/2016 (Waldir Maranhão).

Thiago Maranhão foi nomeado, em março de 2003. Em fevereiro de 2011, passou a morar em São Paulo para fazer cursos da área médica. Mesmo assim, o médico continuou a receber mensalmente o salário de R$ 6,5 mil, sem frequentar o Tribunal, totalizando o recebimento indevido do montante de R$ 565.163,06.

UEMA

A outra manifestação refere-se ao deputado federal e professor do quadro da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Waldir Maranhão, que não requereu seu afastamento da instituição educacional durante um de seus mandatos na Câmara dos Deputados. O parlamentar continuou a receber os salários da universidade.

Na investigação, o MPMA constatou que a coordenação de pessoal da Uema manteve contatos repetidos com a assessoria do deputado, com orientações sobre o ressarcimento dos valores recebidos de forma indevida e para o pedido formal de seu afastamento.

Na ação, o Ministério Público destacou que a omissão do parlamentar resultou no recebimento indevido de salários no período de fevereiro de 2014 a dezembro de 2015, totalizando o valor atualizado de R$ 382.711,41. Somente em fevereiro de 2016, o pagamento dos salários foi suspenso.

RESSARCIMENTO

Após sua exoneração do TCE, Thiago Maranhão comprometeu-se a pagar a quantia de R$ 235 mil, que já foi efetuada, e mais 24 parcelas de R$ 13.757,00.

No que se refere ao deputado federal, em maio deste ano, mesmo que um acordo de ressarcimento não tenha sido deferido, Waldir Maranhão comprovou o depósito de R$ 14.109, que, segundo ele, seria a primeira parcela do débito.

Em outubro, Maranhão firmou um termo de confissão de dívida do valor atualizado de R$ 382.711,41. O pagamento deve ser feito por meio de quatro parcelas de R$14,1 mil e outras 21 parcelas de R$ 14,8 mil.

SANÇÕES

O MPMA requer a condenação de Thiago Maranhão e Waldir Maranhão ao ressarcimento integral do dano, à perda da função pública e à suspensão de seus direitos políticos de oito a dez anos.

Outra sanção é o pagamento de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos.

Instituto Ímpar e Ibope confirmam crescimento de Edivaldo e queda de Braide

imparcial pesquisa-impar-1

O Instituto Impar Pesquisas, contratado pelo Grupo O Imparcial, que edita o jornal Aqui-MA, mostrou que, se a eleição fosse hoje, o candidato do PDT, Edivaldo Holanda Júnior, venceria com 52,6% dos votos . Eduardo Braide,  do PMN, teria 37,4%.

Os eleitores que não sabem somam 4,6%; brancos, nulos e nenhum dos candidatos 4,8% e outros 0,6%. Os dados são da amostra espontânea, na qual não são apresentados os nomes da disputa.

Na modalidade estimulada, na qual são apresentados os candidatos aos entrevistados, Edivaldo aparece com 52,7%, enquanto Eduardo tem 37,8%. Não sabem alcançam 4% e brancos, nulos e nenhum, 5,5%.

Considerando-se apenas os votos válidos, Edivaldo tem 58,23% e Eduardo Braide 41,77%.

A pesquisa foi contratada pelo grupo O Imparcial e registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo MA-02071/2016. A margem de erro é de 3,0% para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95% e o tamanho da amostra é 1100 entrevistados.

Essa é a terceira pesquisa contratada por O Imparcial para as eleições em São Luís. Além de intenção de voto, a amostra levantou dados de aprovação dos governos estadual e municipal, publicados, com exclusividade na versão impressa do jornal O Imparcial.

No primeiro turno, a Impar Pesquisas foi uma das que mais se aproximou ao resultado do pleito, exceto pelos números do candidato do PMN, Eduardo Braide, que cresceu na reta final devido à participação no debate da TV Globo.

Ibope também confirma crescimento de Edivaldo e queda de Braide

ibope2710

O Ibope, contratado pela TV Mirante, também confirmou o crescimento do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) sobre o candidato Eduardo Braide (PMN).

Pela pesquisa, Edivaldo tem 48% contra 44% do candidato do PMN. Nulos e brancos são 5%; e 3% não sabem, ou não responderam.

A pesquisa Ibope, contratada pela TV Mirante, foi registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-03448/2016 e realizada entre os dias 25 e 27 de outubro. Foram ouvidos 805 eleitores, para uma margem de erro de 3 pontos percentuais, para mais, ou para menos, e intervalo de confiança de 95%.

VELHA POLÍTICA! Ricardo Murad declara voto e apoio a Braide

O ex-secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, investigado pela Polícia Federal por desvio de R$ 1,2 bilhão da saúde do Maranhão durante a gestão Roseana Sarney, declarou em vídeo, divulgado em uma rede social, nesta quinta-feira (27), que votae apoia o candidato do PMN, Eduardo Braide, para prefeito de São Luís (veja vídeo acima).

A declaração de Ricardo Murad confirma, de uma vez por todas, as especulações de que o candidato do PMN faria qualquer tipo de aliança para vencer as eleições.

O apoio de Murad desponta pouco tempo depois do deputado estadual Adriano Sarney (PV) relatar, em sessão plenária na Assembleia Legislativa do Maranhão, que Eduardo Braide foi até a casa da ex-governadora Roseana em busca de apoio dela e do PMDB, desmentindo assim a própria propaganda de TV, que negava vínculos com membros do grupo Sarney e da chamada “velha política”.

Em notável sinal de desespero político, no vídeo, Ricardo Murad acusa como levianas as recentes denúncias encaminhadas à Secretaria de Segurança Pública e veiculadas em blogs da capital, sobre um suposto esquema de compra de votos articulado em São Luís por correligionários do candidato Eduardo Braide.

Recursos para projeto “Diques da Baixada” estão incluídos no orçamento da União para 2017

Diques da Baixada

Diques da Baixada

Recursos no valor de 60 milhões de reais para o projeto “Diques da Baixada” já estão previstos, no OGU – Orçamento Geral da União para 2017.   O projeto, que será executado pela CODEVASF – Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba, é uma demanda antiga da população do nordeste do Maranhão, que possui uma realidade contraditória, agraciada com água em abundância, mas sem poder usufruir pela falta de tecnologias para o tratamento.

A emenda de bancada é um esforço conjunto de deputados federais e senadores do Maranhão. Prevê a elaboração, licenciamento e implantação do projeto, cujo objetivo é o controle das áreas de inundação, solucionando o problema de salinização dos campos, provocado pela água do mar, que invade os rios e torna as áreas improdutivas, além de reduzir o volume de água para o consumo.

Entre as várias iniciativas dos parlamentares da bancada maranhense para a inclusão do projeto Diques da Baixada no orçamento da União para 2017, o senador Roberto Rocha havia enviado, na última quinta-feira, 20, ofício ao relator da comissão responsável pelo projeto, Senador Waldemir Moka, solicitando, enquanto representante dos deputados e senadores maranhenses, atenção especial ao projeto, como esperança de transformação socioeconômica de uma das regiões mais pobres do país, e a oportunidade de beneficiar, diretamente, mais de hum milhão de pessoas com água própria para o consumo, além de ampliar a fronteira agrícola e pecuária do estado.

Em março deste ano, por ocasião do aniversário do Fórum da Baixada Maranhense , o senador Roberto Rocha foi homenageado por sua atuação parlamentar em prol dos projetos voltados para a baixada maranhense, em especial, o projeto “Diques da Baixada”.

Político tem que saber perder, diz Othelino Neto ao rebater Wellington do Curso

Foto-legenda - Othelino Neto: “Sai-se muito maior de um processo quando se demonstra para a sociedade que se sabe perder”

Othelino Neto: “Sai-se muito maior de um processo quando se demonstra para a sociedade que se sabe perder”

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) voltou à tribuna, na sessão desta quinta-feira (27), para rebater e criticar estratégia eleitoreira do parlamentar Wellington do Curso que, segundo ele, para defender o novo aliado, o candidato do PMN, Eduardo Braide, trouxe para a tribuna uma denúncia infundada contra o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr, às vésperas da eleição do segundo turno. “Faltam três dias para as eleições. Sai-se muito maior de um processo quando se demonstra para a sociedade que se sabe perder. Quando o político é mau perdedor, ele sai menor do que entrou”, alfinetou.

Othelino Neto rebateu as acusações de Wellington do Curso contra Edivaldo Holanda Jr e lembrou a ele que a Justiça julgou improcedente, esta semana, uma outra denúncia infundada, envolvendo o ISEC, feita por ele, derrubando um factoide, uma estratégia de quem queria criar um clima no processo eleitoral sem necessidade. “E a decisão foi muito clara, arquivando o processo do factoide. Que essa decisão sirva de exemplo para que procurem se fundamentar melhor para não tentar criar um clima de instabilidade na campanha eleitoral”, comentou.

O deputado sugeriu a Wellington que faça a campanha do seu candidato, nas ruas, mas que não tente macular a imagem do prefeito Edivaldo Holanda Júnior que, nesses quatro anos, não sofreu uma só investigação por denúncia de corrupção. “E é por isso e por outras razões que hoje o prefeito aparece com uma liderança folgada e se avizinha de uma grande e importante vitória. Disse ontem aqui nesta tribuna e enfatizo, em nenhum momento temos o desejo ou a intenção de afirmar que a gestão do prefeito é perfeita, porque não é. Tem problemas, mas fez muito e está fazendo muito, inclusive para o incômodo dos adversários, que ficam criticando a prefeitura porque está pavimentando ruas”, disse.

Othelino apelou aos adversários para que respeitem o processo eleitoral,  a inteligência dos ludovicenses, porque não vai ser com factoides, reprisando vídeos e distribuindo na internet, que vai se conseguir ganhar a eleição. “O candidato adversário vai perder a eleição porque a população está escolhendo o caminho mais seguro, porque não está querendo improvisos, porque não está querendo aprovar na incerteza e porque o segundo turno foi muito bom para mostrar quem é um e quem é o outro”, frisou.

Segundo Othelino, Wellington fez um primeiro turno brilhante e teve uma votação expressiva, então deve respeitar os adversários e saber perder. “Haverá um vencedor e um vencido, mas em muitas eleições, mesmo quando se perde se ganha, desde que se saiba perder, aí sim pode até sair maior do processo eleitoral”, analisou.

Pesquisa Exata/TV Guará confirma crescimento de Edivaldo e queda de Braide que tem maior rejeição

pesquisa-guara2710 pesquisa-guaradois2710

Contratada pela TV Guará, a pesquisa do Instituto Exata  mostra o candidato Edivaldo Holanda Júnior (PDT) com uma liderança de  dez pontos de vantagem. Assim como em outros levantamentos, feitos no segundo turno, a amostragem confirmou a tendência de crescimento do prefeito e queda de Eduardo Braide (PMN) que tem a maior rejeição neste segundo turno.

Se considerados os votos válidos, Edivaldo tem 55% contra 45% de Eduardo Braide. A pesquisa Exata/TV Guará ouviu 800 pessoas entre os dias 19 e 21 de outubro e está registrada na Justiça Eleitoral sob o número MA-08089/2016. A margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos e o grau de confiabilidade é de 95%.

Rejeição de Braide aumenta bastante

rejeicao2710

Braide também já é o mais rejeitado na pesquisa Exata e atinge patamares que impossibilitam o avanço para ser eleito. O candidato do PMN é rejeitado por 51%, enquanto Edivaldo é rejeitado por 35%. Poderiam votar nos dois 19% e 5% não votam em nenhum.

Aprovação do governo Flávio

A aprovação do governo Flávio Dino alcance ótimo patamar, de acordo com a Exata. O governo do comunista é aprovado por 62% dos ludovicenses, enquanto 33% não aprovam.