Em reunião com Bolsonaro, Flávio Dino defende desenvolvimento do Maranhão e crescimento do país

Na reunião com Jair Bolsonaro, o governador destacou a pauta apresentada pelos Estados do Nordeste contemplando temas importantes como a manutenção dos recursos do Fundeb

O governador Flávio Dino participou, nesta quinta-feira (9), de uma extensa agenda institucional em Brasília onde defendeu o desenvolvimento do Maranhão e a retomada do crescimento do país ao participar de diversas reuniões, incluindo o encontro de governadores da região Nordeste com o presidente Jair Bolsonaro, realizado à tarde no Palácio do Planalto.

Na reunião com Jair Bolsonaro, o governador destacou a pauta apresentada pelos Estados do Nordeste contemplando temas importantes como a manutenção dos recursos do Fundeb, que hoje é utilizado por Estados e Municípios para arcar com parte dos gastos na educação, especialmente salário dos professores.

“Esperamos que o governo federal estude o assunto e apresente uma proposta o quanto antes. Nós vamos insistir nessa pauta para que não haja retrocessos nas conquistas educacionais que nós tivemos nas últimas décadas”, declarou Flávio Dino.

O governador frisou que foram apresentados sete pontos considerados importantes para a geração de emprego e retomada do crescimento econômico e que houve um avanço na proposta de equilíbrio fiscal com o Plano de Estabilidade Financeira (PEF) do governo federal, mas que os demais pontos não serão esquecidos, especialmente a educação. “Vamos continuar insistindo nos outros pontos não só de equilíbrio fiscal, mas também nessa questão educacional que é, na nossa visão, aquela que é mais emergencial hoje”, reiterou.

Temer se entrega

Temer e Coronel Lima foram presos preventivamente em 21 de março, na Operação Descontaminação, por ordem do juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal Criminal do Rio.

Estadão

O ex-presidente Michel Temer (MDB) se entregou na tarde desta quinta-feira, 9, na superintendência da Polícia Federal em São Paulo, para o cumprimento da prisão preventiva no âmbito da Operação Descontaminação, braço da Lava Jato no Rio. O emedebista partiu em um carro, de sua residência, no bairro de Alto de Pinheiros, Zona Oeste, e seguiu rumo à sede da PF em São Paulo, na Lapa. Pouco antes da partida, chegou à casa o advogado do ex-presidente, Eduardo Carnelós.

Seus advogados pediram para que ele fique em uma Sala de Estado Maior no Quartel General da Polícia Militar, em São Paulo. A juíza substituta da 7ª Vara do Rio de Janeiro, Caroline Figueiredo, havia dado até 17h horas para que o emedebista se entregasse e encaminhou o pleito sobre o local da prisão à PF e ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região.

A defesa do ex-presidente apresentou há pouco um pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça. A relatoria do processo no STJ ainda não foi definida, mas há uma expectativa de que o habeas corpus seja encaminhado para o ministro Antonio Saldanha. A revogação da liminar que havia suspendido a prisão preventiva foi definida por 2 votos a 1 da turma de desembargadores. No julgamento, foram analisados a liminar concedida por Athié em março e o pedido, feito pelo Ministério Público Federal, para qur a prisão fosse restabelecida. Athié, o relator, votou pela manutenção da liberdade dos dois, mas o desembargador Abel Gomes, que é o presidente da turma, votou pela prisão. Paulo Espírito Santo acompanhou o voto de Gomes.

“É totalmente fora de hora cogitar”, afirma Flávio Dino ao ser questionado sobre candidatura em 2022

Em outro trecho o governador comentou que essas especulações são fruto do bom trabalho que vem sendo executado no Maranhão

O governador Flávio Dino (PCdoB) afastou de vez todas as especulações sobre sua candidatura à Presidência da República em 2022. A afirmação aconteceu no programa Resenha, da TV Difusora. Flávio Dino conquistou um lugar de destaque nacional e vem sendo cogitado como um dos possíveis ao Palácio do Planalto pelo PCdoB, ou em uma composição como vice-presidente em alguma chapa.

“Outro dia eu fiz uma brincadeira num evento partidário brincando com dieta, perda de peso, e aí o que aconteceu, transformaram que o Flávio lançou candidatura a presidente. Não existe isso. Eu tenho 51 anos, considero que estou no auge da minha juventude, mas ao mesmo tempo já tenho uma certa experiência para saber que é totalmente fora de hora cogitar isso com tanta antecedência e no meio desse tumulto brasileiro. Essas águas aí têm que rodar bastante para a gente poder ter um enfoque nisso”, afirmou Flávio.

Em outro trecho o governador comentou que essas especulações são fruto do bom trabalho que vem sendo executado no Maranhão. “As coisas têm o tempo certo de acontecer. Isso é fruto sobretudo do reconhecimento do trabalho feito no Maranhão, um trabalho sério, honrado, honesto, e quem tem produzido bons resultados. Então, se o principal fator, é o trabalho feito aqui no estado, o que eu devo fazer, continuar focando o trabalho aqui no estado, porque esse é o centro”, concluiu.

Juscelino Filho é eleito presidente do Conselho de Ética da Câmara

O democrata destacou o papel do Conselho, que é encarregado de julgar e aplicar penalidades no descumprimento de normas, de comportamento, de conduta devidamente caracterizadas

O deputado federal Juscelino Filho (DEM-MA) é o mais novo presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados. Na tarde de quarta-feira (8), o democrata foi eleito com 18 votos para ocupar o cargo pelos próximos dois anos.

O democrata destacou o papel do Conselho, que é encarregado de julgar e aplicar penalidades no descumprimento de normas, de comportamento, de conduta devidamente caracterizadas. Segundo Juscelino Filho, “a imagem, a reputação e a credibilidade da política e do parlamento têm ligação com a atuação do Conselho de Ética, que tem um histórico de grande importância e de muita tradição”.

Juscelino Filho finalizou seu discurso manifestando seu desejo solicitando a contribuição de cada parlamentar para os trabalhos do Conselho sejam feitos com a maior imparcialidade possível. “Quero pedir a contribuição, ajuda e parceria de cada um de vocês que estarão conosco durante esse mandato de dois anos. A gente sabe o quanto é importante essa parceria e essa presidência está aqui, junto com os novos vice-presidentes eleitos, para dar a melhor contribuição possível, sempre buscando dar a oportunidade do contraditório e a imparcialidade na condução dos trabalhos aqui. Teremos essa missão”, concluiu.

Questões familiares fizeram Maura Jorge desistir de cargo no Governo Federal

Maura Jorge em recente encontro com o presidente Jair Bolsonaro. O senador Roberto Rocha (PSDB) também participou do encontro, Foto: Marcos Corrêa/PR

A ex-candidata ao governo do Maranhão nas eleições de 2018 Maura Jorge não vai assumir a presidência do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur). Ela chegou a conversar com o presidente Jair Bolsonaro no final do mês de março. Foi neste período que a então presidente da empresa, Teté Bezerra (MDB-MT), nomeada em maio de 2018 no governo de Michel Temer, entregou a carta de demissão.

Filiada ao PSL, Maura Jorge decidiu não assumir o cargo por questões particulares, segundo apurou o Misto Brasília. Um irmão dela está com câncer e por isso achou melhor ficar no Maranhão. Atualmente a presidência da empresa é ocupada interinamente por Leônidas Oliveira e está subordinado ao Ministério do Turismo.

Outra questão é que a Embratur tem uma política de fomento do turismo no exterior. Maura Jorge gostaria de ter uma atuação mais interna, e se a empresa já fosse urna agência seria possível que pudesse ocupar a presidência do órgão.

Em março do ano passado, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou o pedido de regime de urgência ao PL 2724/2015, que transforma a Embratur em serviço social autônomo, nos moldes da Apex e Sebrae, que permite a ampliação da participação de capital estrangeiro nas companhias aéreas e também moderniza a Lei Geral de Turismo. (Fonte Misto Brasília)

“O Brasil precisa de livros, não de armas”, afirma Márcio Jerry

“O Brasil tem graves problemas, a começar pelo elevado nível de desemprego que atormenta milhões de pais e mães de famílias. Enquanto isso, Bolsonaro se dedica a atacar a educação e a estimular a violência no país”, completou o deputado

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB), criticou o decreto assinado por Jair Bolsonaro publicado na manhã de quarta-feira (8), no Diário Oficial da União. O texto amplia o porte de armas para 20 profissões, de políticos a caminhoneiros, advogados e jornalistas.

Em Brasília, Jerry afirmou que presidente comente mais um destino. “O decreto vai aumentar a violência e a insegurança no país. O Brasil precisa de livros, mas Bolsonaro só oferece a opção obsessiva por armas, que em nada contribui com a cultura da paz, com o combate à violência; ao contrário, estimula a violência, coloca nas mãos das pessoas a responsabilidade pela segurança que é do Estado”.

“O Brasil tem graves problemas, a começar pelo elevado nível de desemprego que atormenta milhões de pais e mães de famílias. Enquanto isso, Bolsonaro se dedica a atacar a educação e a estimular a violência no país”, completou o deputado.

Todas as medidas do presidente têm sido alvo de críticas por parte dos especialistas em segurança pública, que alegam que a medida vai sobrecarregar o Exército e propiciar o aumento da violência, em detrimento de toda a sociedade. O site Brasil247 chegou a dizer que “o regime de faroeste instala-se no país”.