Flávio Dino fala das possibilidades de candidaturas em 2022

Flávio Dino é um dos nomes da esquerda brasileira e tem cada dia mais ganhado incentivos para uma candidatura presidencial

Em entrevista ao Jornal Pequeno, o governador Flávio Dino (PCdoB) falou sobre as articulações e possiblidades de candidaturas em 2022, mas salientou que seu foco número 1 é a tarefa de continuar transformando o Maranhão e melhorando a vida da população.

“É claro que, lá adiante, em 2022, nós teremos mais um processo eleitoral, se Deus quiser. E eu estarei participando dele. Poderei participar de três formas. Forma número 1: continuando no governo do Maranhão até o final do meu mandato. É uma hipótese. O ex-governador Ricardo Coutinho, da Paraíba, fez isso e hoje preside a Fundação João Mangabeira, do PSB. O ex-governador José Reinaldo também fez isso. É uma hipótese. Segunda hipótese: saio em abril de 2022 e me candidato a um cargo no Congresso Nacional: ou no Senado ou na Câmara. Terceira hipótese: em havendo algum tipo de articulação nacional, no campo da esquerda, no campo popular democrático, e isso resultando numa convergência ampla, que é a minha tese, em torno de determinados nomes que consigam de um modo unificado representar o nosso pensamento, e se eu tiver a possibilidade de ser um desses nomes, é claro que poderei desempenhar esta tarefa. Mas não é algo que eu planeje como foco principal e exclusivo. Porque, simplesmente, não depende de mim” afirmou.

Flávio Dino é um dos nomes da esquerda brasileira e tem cada dia mais ganhado incentivos para uma candidatura presidencial, mas ele afirma que a possibilidade não depende dele. “O que é fato é que, como disse, a alternativa 1 e 2 dependem exclusivamente de mim. A alternativa 3, não. Depende de Deus, da vontade de um monte de gente, de um monte de partidos, e é claro que eu sou uma pessoa centrada, equilibrada, com o pé no chão, e não me dedico a uma coisa que não depende de mim. Depende de uma montanha de gente. Agora, as três hipóteses, graças a Deus, existem”, concluiu.

Edivaldo atinge marca de 300 ônibus climatizados entregues

A solenidade de entrega dos novos ônibus à cidade foi bastante prestigiada pela imprensa local,

O prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) integrou oito novos ônibus ao sistema de transporte público de São Luís, todos equipados com elevador para cadeirantes e ar-condicionado. Desta forma, chega-se a cerca de 300 o número de coletivos modernos e adaptados para oferecer conforto e acessibilidade, alcançando na atual gestão a taxa de 80% de renovação da frota total da cidade. O evento ocorreu na manhã desta terça-feira, dia 9, na Praça Maria Aragão, Centro.

“Este é um momento muito importante, pois podemos oferecer aos cidadãos de São Luís uma frota moderna e condizente com as necessidades da nossa população. Temos a satisfação de oferecer em nossa gestão os ônibus com a melhor taxa média de vida útil do Nordeste. Recebemos a cidade com uma frota que tinha em média 10 anos de utilização cada veículo e hoje temos uma média de 4,5 anos de utilização por coletivo”, destacou Edivaldo Holanda Junior.

O prefeito foi à solenidade acompanhado da primeira-dama Camila Holanda, e também do secretário de Trânsito e Transportes (SMTT), Canindé Barros. O evento contou ainda com a presença de vereadores, entre eles o presidente da Câmara Osmar Filho, o vice-presidente Astro de Ogum (PR), os vereadores Antônio Garcêz (PTC), Edson Gaguinho (PHS), Fátima Araújo (PCdoB), Francisco Carvalho (PSL), Francisco Chaguinhas (PP), Genival Alves (PRTB), Joãozinho Freitas (PTB), Pavão Filho (PDT), Raimundo Penha (PDT) e Professor Sá Marques (PHS).

A solenidade de entrega dos novos ônibus à cidade foi bastante prestigiada pela imprensa local, com a presença de equipes das maiores redes de televisão e rádio, além de portais de internet e jornais impressos.

Governo Bolsonaro libera R$ 2,6 bilhões em emendas em julho

O PT acionou a Procuradoria-Geral da República (PGR) para que a liberação dos recursos seja investigada e também afirmou que entrará com pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para reverter os empenhos.

Estadão

Às vésperas da votação da reforma da Previdência, o governo intensificou a liberação de emendas, que somaram R$ 2,6 bilhões nos seis primeiros dias úteis de julho. Em todo o mês passado, foi empenhado R$ 1,5 bilhão, segundo levantamento feito pelo gabinete do líder da oposição, Alessandro Molon (PSB-RJ), no sistema Tesouro Gerencial, que usa dados do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi).

Não é possível verificar ainda o quanto foi liberado nesta terça-feira, 9. Mas os parlamentares esperam que o governo acelere ainda mais o empenho de emendas nos próximos dias para garantir a votação da reforma da Previdência.

Líderes, que falam sobre o assunto sob reserva, insistem que o Palácio do Planalto tem de honrar acordo para liberar R$ 4 bilhões das emendas. No plenário da Câmara, os deputados falam abertamente que o governo está correndo para chegar até essa cifra entre esta terça e quarta-feira.

Esse valor se refere às emendas impositivas, recursos que os parlamentares têm direito de destinar às suas bases. O dinheiro é usado, por exemplo, para comprar equipamentos, como vans escolares e ambulâncias, ou para custear pequenas obras nos redutos eleitorais dos deputados e senadores. Apesar de a União ser obrigada a liberar esses recursos, o governo pode controlar o momento em que as cifras são de fato empenhadas – primeiro passo para que o dinheiro seja enviado.

O levantamento mostra que houve “picos” de liberação em momentos importantes para o trâmite da reforma da Previdência na Casa. Nos dias 4 e 5 de julho, quando a Comissão Especial apreciou e aprovou o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), foi empenhado R$ 1,6 bilhão dos R$ 2,6 bilhões liberados em julho.

Padrão similar foi visto no mês anterior. No dia 14 de junho, um dia após a leitura do texto na Comissão, em que os termos da reforma foram anunciados, o governo liberou R$ 1 bilhão do R$ 1,5 bilhão empenhados em todo aquele mês. Na manhã desta terça, alguns deputados do “Centrão”, em especial do PR e de parte do PP, ameaçavam forçar o adiamento da votação argumentando que o Planalto não havia liberado tudo o que prometera.

Lei de Edivaldo Holanda que combate o desperdício de alimentos é sancionada

O parlamentar destacou a divulgação de políticas públicas e medidas que orientem o povo sobre o desperdício de alimentos

O governador Flávio Dino (PCdoB) sancionou a Lei 11.048, de 1º de julho de 2019, que institui, no âmbito do Estado, a Semana Estadual de Conscientização sobre o Desperdício de Alimentos, a ser realizada, anualmente, na segunda semana do mês de outubro. A lei é derivada de um projeto de autoria do deputado Edivaldo Holanda (PTC) e busca promover a conscientização da população a respeito do desperdício, aproveitamento integral dos alimentos e nutrição, dentre outros temas relacionados.

Na elaboração da lei, o parlamentar destacou a divulgação de políticas públicas e medidas que orientem o povo sobre o desperdício de alimentos, além da promoção de debates, palestras e outros eventos que venham a esclarecer os maranhenses sobre a temática.

Em seu artigo 2º, a Lei destaca que o Poder Executivo poderá firmar convênios e parcerias com entidades e instituições, sem fins lucrativos, sempre com o objetivo de debater o desperdício e aproveitamento integral de alimentos e nutrição. Sob a ótica do deputado, a Lei tem elevado alcance social e destaca sua importância em função de se buscar alternativas com vistas a evitar o grande desperdício de comida.

Afirma o parlamentar que há uma crise social e econômica gigantesca no Brasil, onde são grandes os focos do desemprego, o que leva à fome, enquanto em outras áreas, incluindo o Maranhão, verifica-se um grande descarte de alimentos, exatamente pela falta de esclarecimentos. Para ele, a execução da referida lei vai ajudar muito na manutenção de um equilíbrio que evite o desperdício ao qual a lei se refere.

Osmar Filho entra na luta contra o uso excessivo de produtos plásticos descartáveis

O objetivo é ampliar a discussão e diminuir os danos com o meio ambiente

Os canudinhos, sacos, copos e demais utensílios plásticos descartáveis podem estar com os dias contados na capital maranhense.

Um projeto de lei proposto pelo presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), quer proibir a aquisição e a utilização dos descartáveis por estabelecimentos comerciais e no âmbito da administração municipal da cidade.

O projeto de n° 160/2019 ainda precisa ser aprovado pela Casa Legislativa e segue em discussão nas Comissões de Constituição e Justiça, de Saúde e de Meio Ambiente para que, em seguida, seja encaminhado para votação no plenário e posterior análise do Executivo.

Segundo a justificativa do parlamentar, o objetivo é ampliar a discussão e diminuir os danos com o meio ambiente.

“Precisamos pensar no futuro das próximas gerações e compreendo a importância de cuidar da natureza enquanto temos tempo e sei do nosso compromisso em ampliar a discussão sobre o tema’’, enfatizou o vereador.

Jeisael Marx visita comunidades da Grande São Luís e colhe demandas da população

Nos últimos dias, o comunicador visitou vários bairros para dialogar com a população

O jornalista e apresentador, Jeisael Marx, segue firme em sua pré-campanha para a Prefeitura de São Luís. Nos últimos dias, o comunicador visitou vários bairros para dialogar com a população sobre os problemas da cidade e com o projeto “São Luís Que Quero”, tem colhido sugestões da população.

Jeisael visitou nos últimos dias a comunidade da Vila Embratel, Fumacê, São Raimundo e a Mata de Itapera, na zona rural de São Luís. Bem recebido pelas comunidades, o pré-candidato colhe as demandas para a elaboração de seu plano de governo.

Com a intensificação dos trabalhos, Jeisael já tem convites do Cidadania e da Rede Sustentabilidade para lançar seu nome por uma das legendas.