Em Balsas, Alema realiza primeira edição do “Assembleia em Ação” com grande público

Othelino Neto, acompanhado de vários parlamentares, fez a abertura do evento e a mediação da programação, que contou com palestras e debates sobre temas variados

O município de Balsas sediou, nesta sexta-feira (13), no auditório da Unibalsas, a primeira edição do “Assembleia em Ação”, programa itinerante da Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema), com o objetivo de levar a atuação parlamentar aos quatro cantos do estado. O presidente da Alema, deputado Othelino Neto (PCdoB), acompanhado de vários parlamentares, fez a abertura do evento e a mediação da programação, que contou com palestras e debates sobre temas variados.

O “Assembleia em Ação” mobilizou a participação de prefeitos, vereadores e lideranças de dezenas de municípios da Região Sul do Maranhão. Os deputados estaduais Glalbert Cutrim (PDT), vice-presidente da Alema; Wellington do Curso (PSDB); Pastor Cavalcante (PROS); Rildo Amaral (Solidariedade); Dr. Yglésio (PDT); Felipe dos Pneus (PRTB); Ricardo Rios (PDT); Antônio Pereira (DEM) e Marco Aurélio (PCdoB) também participaram.

Othelino Neto destacou que a escolha da cidade de Balsas como anfitriã da primeira edição do programa levou em consideração a distância em relação à sede do Legislativo maranhense, bem como a sua importância para a economia do estado.

“Nós sentimos a necessidade de aproximar o Poder Legislativo, que é sediado em São Luís, do sul do Maranhão.  E a escolha da cidade de Balsas decorre de sua importância para o estado, para que essa região se sinta mais próxima da Assembleia Legislativa. É uma forma de mostrarmos aquilo que é produzido na Casa e que serve para todos, o que é decidido, as leis aprovadas, os requerimentos, as indicações, que  geram impactos na vida das pessoas”, afirmou o presidente da Alema.

O prefeito de Balsas, Erik Silva, agradeceu à Assembleia Legislativa e ao presidente Othelino Neto por levarem o Legislativo ao sul do Maranhão e parabenizou pela iniciativa de promover essa aproximação com as regiões do estado. “Agradeço a Assembleia e o presidente Othelino por ter escolhido Balsas para ser a primeira cidade a receber essa ação tão importante, bem como prefeitos e vereadores, que vieram participar. Nós temos um agronegócio muito forte, isso fruto das terras férteis da nossa região e, também, graças aos empreendedores do agronegócio e dos agricultores que transformaram Balsas em um celeiro do Maranhão”, disse.

A programação contou com palestras sobre processo legislativo, mudanças na legislação eleitoral e Reforma da Previdência. Após as explanações, os participantes fizeram perguntas e expuseram as demandas da região.

“Nosso objetivo é levar informação, conhecimento, tecnologia, possibilitando que os vereadores exerçam seu mandato de maneira mais tranquila e com maior competência e produtividade”, assinalou Bráulio Martins, diretor-geral da Mesa Diretora da Alema e um dos palestrantes.

“É uma atitude muito nobre do deputado Othelino Neto. Quanto mais nos aproximarmos e estivermos unidos, mais poderemos fazer pelo Maranhão”, declarou Mayra Guimarães, prefeita de Nova Iorque do Maranhão.

Governadores da Amazônia reúnem-se com embaixadores europeus

O encontro teve a participação do vice-governador, Carlos Brandão e foi realizado na Embaixada da Noruega, em Brasília

Governadores e vice-governadores dos estados da Amazônia Legal reuniram-se na manhã desta sexta-feira (13) com os embaixadores da Alemanha, da Noruega e do Reino Unido para discutir financiamentos para programas de desenvolvimento sustentável na região. O encontro foi na Embaixada da Noruega, em Brasília.

Após a reunião, o governador do Pará, Helder Barbalho, disse que os repasses ao Fundo Amazônia, projeto de cooperação internacional para preservação da floresta, devem ser retomados em breve. Os principais países doadores do fundo, Alemanha e Noruega, anunciaram a suspensão de seus repasses em agosto após a divulgação das taxas de desmatamento na região.

“Eles estão em conclusão de diálogo junto com o Ministério de Meio Ambiente para que seja anunciado nos próximos dias a retomada do Fundo Amazônia”, informou o governador.

Segundo Barbalho, os executivos estaduais também estão dialogando com os países para construir alternativas de financiamento a projetos sustentáveis como a possibilidade de repasse de verbas para cada unidade da federação da Amazônia ou por meio do Consórcio da Amazônia Legal. “Sinalizaram que estão dispostos a colaborar diretamente com os governos estaduais  e também a possibilidade de criação de um fundo do Consórcio de Governos da Amazônia Legal como instrumento de parceria internacional”, afirmou Barbalho.

O governador do Amapá, Waldez Góes, que preside o consórcio, disse que a entidade tem personalidade jurídica, o que permite estabelecer “uma relação de parceria com os financiadores de boas práticas na Amazônia, sejam elas de combate a atividades ilegais, de mitigação ou de alternativas de desenvolvimento”.

Helder Barbalho acrescentou que uma nova reunião foi marcada para daqui a um mês com os três embaixadores, que deverão apresentar respostas às demandas apresentadas pelos governos estaduais.

Também participaram da reunião os governadores de Mato Grosso, Mauro Mendes, de Roraima, Antônio Denarium, e do Amazonas, Wilson Lima, os vice-governadores de Rondônia, José Jordan, do Acre, Major Wherles Rocha, do Tocantins, Wanderlei Barbosa, e do Maranhão, Carlos Brandão.

Porta-voz diz que volta de Bolsonaro à Presidência foi adiada para acelerar recuperação

O presidente Bolsonaro durante live de 3 minutos, de hospital onde está internado em São Paulo Foto: Reprodução/Facebook Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro “precisa de plenitude para reassumir a Presidência” e por isso a volta dele ao cargo foi adiada em quatro dias, afirmou nesta sexta-feira, 13, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros. Bolsonaro se recupera no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, de uma cirurgia realizada no domingo, 8, para correção de uma hérnia incisional. Segundo boletim médico divulgado pelo hospital, foi retirada a sonda nasogástrica e reintroduzida a dieta líquida. O presidente, no entanto, também continua recebendo alimentação diretamente na veia.

Médico responsável pelo cirurgia, Antônio Macedo disse que Bolsonaro pode ter alta daqui a três ou quatro dias, caso apresente melhora nos movimentos intestinais e avance nas dietas. “Tiramos a sonda porque a drenagem de ontem para hoje foi bem reduzida”, explicou. O objetivo da sonda nasogástrica, introduzida na terça-feira, 10, era drenar ar e líquidos do organismo do presidente para aliviar uma distensão abdominal.

Segundo Macedo, a equipe médica decidiu manter as duas dietas – líquida e venosa – por precaução. “Não entramos com uma dieta completa porque é perigoso aumentar a dieta líquida sem que a gente saiba como o intestino vai reagir. No momento em que se puder aumentar o volume da dieta líquida sem que ele se sinta mal, eu começo a diminuir a nutrição endovenosa.”

O médico explicou que, depois da dieta líquida, Bolsonaro passará para uma dieta cremosa, que, segundo ele, é “a dos potinhos de Nestlé, fácil de engolir e não precisa mastigar nada”. Depois, o presidente terá uma dieta pastosa, que é “mais evoluída e substanciosa do que a cremosa”, de acordo com Macedo. O médico disse, ainda, que a alta poderia vir no momento em que Bolsonaro passar para a dieta cremosa e não precisar mais da alimentação na veia.

A previsão inicial era que o presidente reassumisse a Presidência nesta sexta. No entanto, na quinta-feira, 12, o Palácio do Planalto informou que, por decisão médica, o presidente ficará afastado do comando do País até segunda-feira, 16. “Nós entendemos que para acelerar o processo de recuperação seria necessário um período maior de repouso”, disse Rêgo Barros. O presidente em exercício, até lá, é o general Hamilton Mourão, vice-presidente.