Com candidatura própria do PT, Bira do Pindaré perderia seu grande apoiador

O apoio do PT já era dado como certo em uma candidatura de Bira do Pindaré à prefeitura de São Luís

O apoio do PT ao pré-candidato Bira do Pindaré (PSB) já era dado como certo por alguns dirigentes petistas em uma possível candidatura do socialista ao mandato de prefeito de São Luís, em 2020.

Mas na última semana, toda a movimentação dos petistas e de seus militantes, em destaque à fala do deputado estadual Zé Inácio, foi para que o partido tenha uma candidatura própria na capital.

Com isso, em caso de confirmação, Bira do Pindaré perderia um apoio importante em relação ao tempo de TV e Rádio. Além de perder o apoio do partido do ex-presidente Lula que segue com aprovação dos ludovicenses, o que renderia alguns votos.

De concreto mesmo, o pré-candidato socialista conta apenas com o apoio do seu partido, o PSB, que já deu demonstrações de apoio nos diretórios nacional, estadual e municipal.

Autoridades e lideranças da região Leste enaltecem iniciativa do programa “Assembleia em Ação”

O Assembleia em Ação, que teve como objetivo promover o diálogo entre o Parlamento Estadual, as autoridades políticas e a sociedade civil

Prefeitos, secretários municipais, vereadores e demais lideranças políticas e comunitárias da região Leste do Maranhão enalteceram a iniciativa de realização do programa ‘Assembleia em Ação’ e parabenizaram o presidente do Parlamento maranhense, deputado Othelino Neto (PC do B), pelo evento, ocorrido na sexta-feira (25), na cidade de Timon.

O Assembleia em Ação, que teve como objetivo promover o diálogo entre o Parlamento Estadual, as autoridades políticas e a sociedade civil daquela região, contou com as presenças de diversos deputados estaduais, entre eles  César Pires, Cleide Coutinho, Wellington do Curso, Dr. Yglésio, Roberto Costa, Glaubert Cutrim, Hélio Soares,  Arnaldo Melo, Ariston, Roberto Costa, José Gentil, Ciro Neto, Ricardo Rios, Rafael Leitoa e Adelmo Soares. Participaram ainda do evento o senador Weverton Rocha; o deputado federal Edilázio Júnior, o secretário de estado da Comunicação e Articulação Política, Rodrigo Lago, entre outras autoridades.

O prefeito de Timon, Luciano Leitoa, elogiou a articulação do presidente Othelino Neto pelo desenvolvimento da ação que visa levar conhecimento e benefícios aos maranhenses. “A Assembleia, através dessa ação, traz para nós o entendimento de união da classe política para resolver os problemas das comunidades. E a articulação com os demais deputados de diferentes partidos mostra a habilidade que o presidente Othelino tem para viabilizar melhorias para a população. A gente fica feliz em saber que, hoje, há essa maturidade política no Maranhão. “, disse.

O deputado Arnaldo Melo também elogiou a iniciativa. “O Assembleia em Ação é uma belíssima iniciativa do presidente Othelino Neto com todos os demais deputados e o corpo técnico da Assembleia, de sair pelo Maranhão conversando com os prefeitos, com os vereadores e a população. É uma ação sempre muito positiva e a Assembleia Legislativa precisa continuar com esse trabalho, levando os seus conhecimentos, os parlamentares e o seu corpo técnico para fazer a integração com a classe política do Maranhão”, afirmou Arnaldo Melo.

“Agradecemos a presença na nossa cidade do presidente Othelino Neto e demais deputados que vieram dialogar com os prefeitos, vereadores e com o povo da região dos Cocais. O presidente Othelino foi muito feliz quando idealizou o Assembleia em Ação com o objetivo de aproximar cada vez mais o parlamento da população”, disse o deputado Rafael Leitoa.

Presente ao evento, o senador Weverton Rocha disse que a Assembleia está construindo um novo futuro na política do Maranhão. “O Assembleia em Ação nos passa esse sentimento de que é preciso estarmos com o olhar voltado para o futuro. É preciso se ter essa esperança renovada no dia a dia, na construção de um processo legislativo com bons projetos de leis que ajudam, verdadeiramente, a melhorar a vida das pessoas. Reafirmo aqui a minha parceria com a Assembleia Legislativa para trabalhar pelo Maranhão”, afirmou o senador.

Para o secretário Rodrigo Lago a pluralidade do debate proposto pelo Legislativo estadual, através do Assembleia em Ação, só trará benefícios para o povo do Maranhão. “Sem dúvida, essa é uma excelente iniciativa para pluralizar o debate, de sair um pouco da capital para ouvir todas as regiões do Maranhão”.

A ex-deputada estadual e atual vereadora de Timon, Socorro Waquim, também destacou a importância da integração entre os poderes em prol das comunidades. “Esse evento é muito importante. Eu sempre disse que tinha essa lacuna no Maranhão e sempre defendi que a Assembleia fosse para mais perto das comunidades. Parabéns para a Assembleia Legislativa, parabéns para o presidente Othelino Neto”.

“Agradeço o presidente Othelino Neto pela iniciativa. Essa integração entre os poderes é muito importante para o nosso povo”, ressaltou o vereador Wilma Rezende, do município de Timon.

Crise no PSL: Bolsonaro diz que pode ser “presidente sem partido”

Uma eventual migração dos insatisfeitos do PSL vem sendo debatida internamente. No entanto, a troca de partido esbarra na legislação

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã (horário local de Pequim) deste sábado (26) que pode ser um “presidente sem partido”. Ele falou com jornalistas ao deixar o hotel na capital chinesa e partir para Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. A viagem faz parte do giro de Bolsonaro pela Ásia e Oriente Médio.

O PSL, partido do presidente, passa por uma crise interna, que se acirrou nas últimas semanas após desentendimentos entre Bolsonaro e políticos da legenda. A disputa gerou uma divisão em duas alas: a bolsonarista, ligada ao Palácio do Planalto, e a bivarista, fiel ao presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE).

Jornalistas que acompanhavam o presidente em Pequim questionaram se ele cogita trocar de partido. Bolsonaro respondeu: “Não, não. Eu posso ser presidente sem partido.”

O presidente disse ainda que não teria problema ele ter ou não uma legenda, porque, na visão de Bolsonaro, a maioria da bancada de 53 deputados do PSL continuaria votando a favor do governo.

“Tanto faz eu estar com partido ou sem partido. No PSL, dos 50 e poucos [deputados] lá, tem uns 30 que estão fechadinhos conosco. Os outros 20, tem uma meia dúzia que foi para o radicalismo, e os demais votam conosco, não tem problema”, completou.

Uma eventual migração dos insatisfeitos do PSL vem sendo debatida internamente. No entanto, a troca de partido esbarra na legislação, que prevê regras específicas para um deputado sair da legenda sem perder o mandato. Uma das condições, por exemplo, é que tenha havido uma radical mudança no programa partidário, ou que o parlamentar que deseja sair tenha sido alvo de perseguição. Para presidente da República, não há essa restrição.