Manifestantes pró-Bolsonaro no Maranhão dizem que coronavírus nunca matou e nem vai matar

Em vídeo gravado na avenida Litorânea, em São Luis, um manifestante diz que o coronavírus é fake news criado pela China e que derrubou as bolsas pelo mundo.

Manifestantes decidiram sair às ruas do Maranhão neste domingo (15) para expressar seu apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mesmo com as recomendações das instituições de saúde pública de que aglomerações não devem ser formadas para evitar a ampliação da crise do novo coronavírus que atinge o país.

Os atos foram oficialmente cancelados pelos seus organizadores, o que foi ignorado por esse grupo de manifestantes.

Em vídeo gravado na avenida Litorânea, em São Luis, neste domingo (15), um manifestante diz em megafone que o coronavírus é fake news criado pela China e que derrubou as bolsas pelo mundo.

“Eu tenho o vírus da gripe no meu corpo, e você também tem. Todo mundo tem. Coronavírus nunca matou uma pessoa na face da Terra. E não vai matar. Velhos morrem porque têm pneumonia e outras coisas mais. Não tenho medo do ‘caronavírus'”, diz o homem.

No vídeo é possível ver diversas pessoas utilizando máscaras descartáveis nos rostos.

Segundo levantamento da agência de notícias AFP divulgado na sexta-feira (13), 5.043 pessoas morreram no mundo contaminadas pelo novo coronavírus e mais de 134.300 foram contaminadas. No Brasil, há 121 casos de contaminação confirmados.

O presidente Bolsonaro disse, na terça-feira (10), que o coronavírus era “muito mais fantasia” e que não era “tudo isso que a grande mídia propaga”. Ao menos seis pessoas que encontraram Bolsonaro estão com coronavírus. O próprio presidente fez teste para o coronavírus, que deu negativo. Na quinta-feira (12), durante live em suas redes sociais usando uma máscara e depois em rede nacional, Bolsonaro desestimulou a ida aos protestos deste domingo (15).

Sobe de 121 para 176 o número de casos de coronavírus no Brasil

Os casos confirmados estão em 14 estados e no Distrito Federal.

O Ministério da Saúde informou hoje (15) que subiu de 121 para 176 o número de casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) no país. De acordo com levantamento diário feito pela pasta, 1.915 pessoas são monitoradas por suspeitas de estarem infectadas. Nenhuma morte foi registrada no Brasil desde o início da transmissão da doença.

Os casos confirmados estão em 14 estados e no Distrito Federal. Em São Paulo tem 112 registros; no Rio de Janeiro, 24; no Paraná, seis; no Rio Grande do Sul, seis; no Distrito Federal, oito; em Santa Catarina, seis; Goiás, três; Pernambuco, dois; na Bahia, dois; em Minas Gerais, dois; no Rio Grande do Norte, um; em Alagoas, um; e no Espírito Santo, um.

Na quarta-feira (11), a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia de coronavírus. O termo é usado quando uma epidemia – grande surto que afeta uma região – se espalha por diferentes continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa.

São Luís tem ato em apoio ao presidente Bolsonaro

Em São Luis, a concentração aconteceu por volta das 9h na Praça do Pescador, na avenida Litorânea.

Capitais brasileiras e cidades no interior registraram, na manhã deste domingo (15), atos de apoio ao governo de Jair Bolsonaro. Até por volta das 12h, capitais como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Belém, Maceió e São Luís tinham protestos pacíficos.

Apesar da orientação de autoridades da Saúde de vários estados e da Organização Mundial da Saúde (OMS) para suspender a realização de eventos com grandes aglomerações para evitar a disseminação do novo coronavírus (Sars-Cov-2), apoiadores do governo não atenderam ao apelo.

Na quinta-feira (12), em pronunciamento em rede nacional, Bolsonaro afirmou que as manifestações marcadas para este domingo (15) deveriam ser repensadas diante do cenário de pandemia do coronavírus. O presidente havia dito que os movimentos eram “legítimos e espontâneos”, mas que não se podia colocar em risco a saúde da população em razão da pandemia de Covid-19.

Porém, neste domingo, em uma rede social, o presidente compartilhou vídeos de manifestações em cidades como Salvador, Belém e Brasília.

Em São Luis, a concentração aconteceu por volta das 9h na Praça do Pescador, na avenida Litorânea. Os participantes levaram bandeiras e se manifestaram em defesa de Bolsonaro e logo em seguida fizeram uma pequena carreata.

Vaticano anuncia que celebrações da Semana Santa serão realizadas sem fiéis

A basílica e a Praça de São Pedro permanecem fechadas, seguindo as recomendações das autoridades italianas.

As celebrações litúrgicas da Semana Santa serão realizadas sem os fiéis na Praça São Pedro, anunciou o Vaticano neste domingo (15). A decisão tem o objetivo de evitar a propagação do novo coronavírus.

“Devido à atual emergência sanitária, todas as celebrações litúrgicas da Semana Santa serão realizadas sem a presença física dos fiéis”, afirmou o Vaticano em comunicado. “Da mesma forma, comunicamos que domingo, 12 de abril de 2020, a recitação do ‘Angelus’ pelo papa Francisco será transmitida apenas via ‘streaming’”, acrescentou o Vaticano.

As missas afetadas são as do Domingo de Ramos (5 de abril), quinta-feira santa (dia 9 de abril), Sexta-feira Santa e o Caminho da Cruz no Coliseu Romano (10 de abril), Sábado Sagrado da Vigília Pascal (11 de abril) e Domingo de Páscoa (12 de abril) com a tradicional benção “Urbi et Orbi”.

Até 12 de abril as orações de Angelus só podem ser vistas ao vivo no site do Vaticano. Desde a semana passada, o papa Francisco realizou audiências gerais e o Angelus sem os fiéis para evitar a propagação. O pontífice também tem mantido a distância prudente recomendada de seus interlocutores.

A basílica e a Praça de São Pedro permanecem fechadas, seguindo as recomendações das autoridades italianas.