Flávio Dino confirma primeiro caso de coronavírus no Maranhão

Flávio Dino confirmou o primeiro caso de coronavírus no Maranhão

O governador Flávio Dino confirmou, por meio de suas redes sociais, o primeiro caso de infecção por novo coronavírus (Covid-19) no Maranhão.

“Recebemos há pouco a confirmação de laboratório sobre o 1º caso do novo coronavírus no Maranhão. Um homem que retornou de viagem a São Paulo. Vigilância Sanitária já tomando as providências cabíveis. Além do já informado, anunciarei medidas preventivas adicionais neste sábado”, escreveu Flávio Dino.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) também monitora o caso de um paciente de 59 anos, que esteve recentemente nos estados de São Paulo e Minas Gerais e que está internado no Hospital Carlos Macieira.

Coronavírus: Shoppings de São Luís suspendem funcionamento por tempo indeterminado

Os comunicados foram divulgados pelo Shopping da Ilha, São Luís Shopping, Rio Anil Shopping e Pátio Norte Shopping.

Os shoppings de São Luís vão suspender, temporariamente, a partir de sábado (21), suas atividades por tempo indeterminado. Os comunicados foram divulgados pelo Shopping da Ilha, São Luís Shopping, Rio Anil Shopping e Pátio Norte Shopping.

A medida tem como objetivo combater o avanço e proliferação do novo coronavírus no Maranhão. Até o momento, o estado não possui nenhum caso confirmado da doença. O Golden Shopping e o Tropical Shopping não se manifestaram até o momento.

Os shoppings informaram que os serviços essenciais como supermercados, bancos, casas lotéricas e farmácias devem continuar funcionando em horários alternados.

O anúncio foi feito logo após o decreto do governo do Maranhão que emitiu uma série de recomendações para bares, restaurantes e o comércio por conta da Covid-19.

Famem distribuirá álcool em gel para municípios maranhenses

Mais de 1,5 mil caixas de álcool em gel serão distribuídas neste primeiro momento. Um segundo lote será dá distribuído na próxima semana.

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão dá início neste sábado, 21, à distribuição de álcool em gel para todas as prefeituras. A distribuição será supervisionada pelo Comitê de Crise instalado por iniciativa do presidente Erlanio Xavier para atender às demandas dos gestores que enfrentam vários flagelos como enchentes e ameaça da pandemia do coronavírus e epidemia de H1N1. O comitê é formado por seis prefeitos, profissionais da área da saúde, e diretores da Famem.

“Esta foi uma maneira que encontramos de atender à grande demanda deste momento de união e força dos gestores. Neste primeiro momento, este material será fundamental para essa batalha que é de todos os maranhenses, brasileiros e do mundo inteiro. É preciso que estejamos coesos na luta para conter o avanço do coronavírus. Estamos fazendo a nossa parte”, ressalta o presidente.

O material será distribuído em pelo menos três polos no estado. Além de São Luís, funcionarão outros dois polos no estado. Mais de 1,5 mil caixas de álcool em gel serão distribuídas neste primeiro momento. Um segundo lote será dá distribuído na próxima semana.

Os critérios de distribuição do material estão sendo discutidos pelo comitê. Mas é consenso que todos municípios menores irão receber quantidades compatíveis com o público atendido. O álcool em gel, em falta no mercado brasileiro, vai abastecer unidades de saúde dos municípios e agentes de saúde e de endemias que estão na linha de frente do combate ao Covid-19.

Em pelo menos 18 municípios do Maranhão, segundo boletim da Secretaria de Estado da Saúde emitido na quinta-feira, 19, existem pessoas que estão sob suspeitas de ter mantido contato com o Covid-19. Depois de São Luís, Imperatriz, Caixas e Santa Inês são os que possuem maior número de pessoas suspeitas.

Juntamente com os gestores de saúde dos municípios, a Famem estará promovendo uma campanha de orientação e estímulo a hábitos de higiene como forma mais eficaz de combater a pandemia de coronavírus no estado. O comitê estuda distribuir a partir da próxima semana kits de higiene para reforçar o combate ao Covid-19.

Governo abre processo seletivo para contratação de profissionais de saúde atuarem no combate ao COVID-19

Os candidatos serão selecionados por meio de avaliação de títulos que atribui pontuação de acordo com os critérios estabelecidos no edital.

Tendo em vista as medidas preventivas para o enfrentamento do Covid-19 adotadas pelo governador Flávio Dino no Maranhão, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) abriu, nesta sexta-feira (20), inscrições para o seletivo com vagas temporárias para contratação emergencial de profissionais de nível médio, técnico e superior. Os profissionais deverão atuar nas unidades da rede estadual.

“O Governo tem adotado uma série de medidas para prevenção e combate ao Covid-19. O seletivo para contratação de profissionais vista otimizar toda rede de assistência e oferecer atendimento oportuno para população no Maranhão”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

As inscrições para o seletivo prosseguem até o domingo (22), às 23h59. As vagas do seletivo são para os cargos de auxiliar administrativo, maqueiro, técnico de enfermagem, enfermeiro, psicólogo, fisioterapeuta, assistente social, fonoaudiólogo e farmacêutico. Os candidatos classificados pelo edital serão contratados pelas entidades gerenciadoras das unidades de saúde.

Os candidatos serão selecionados por meio de avaliação de títulos que atribui pontuação de acordo com os critérios estabelecidos no edital.

A lista de classificação para cadastro de reserva será publicada na próxima segunda-feira (23) no site da Secretaria de Estado da Saúde (http://www.saude.ma.gov.br/). O Processo seletivo terá validade até o término da vigência do estado de calamidade, determinado pelo Decreto Estadual nº 35.672, de 19 de março de 2020, a contar da data da publicação do resultado.

QUADRO DE CARGOS DO SELETIVO

Auxiliar administrativo
Maqueiro Técnico de enfermagem
Enfermeiro
Psicólogo
Fisioterapeuta
Assistente social
Fonoaudiólogo
Farmacêutico

Eleições 2020: TSE diz que não pode alterar calendário eleitoral

Após a sessão, Barroso afirmou que a Justiça Eleitoral não trabalha, no momento, com um eventual adiamento das eleições municipais

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, ontem (19), por unanimidade, confirmar o dia 4 de abril como data limite para a filiação partidária de quem pretende concorrer às eleições municipais deste ano. O tribunal disse não ter o poder de alterar o calendário previsto pela legislação eleitoral.

O adiamento do prazo havia sido requerido pelo deputado Glaustin Fokus (PSC-GO), na sexta-feira (13), tendo em vista a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

De acordo com o TSE, o calendário das eleições municipais está previsto na Lei das Eleições (9.504/1997) e que a Justiça Eleitoral não tem o poder de alterar as datas, sendo o prazo para filiação partidária “insuscetível de ser afastado” pelo tribunal, disse a presidente da Corte Eleitoral, ministra Rosa Weber.

O prazo de filiação partidária é o marco mais próximo do calendário eleitoral desde o agravamento da crise provocada pelo Covid-19. Com a decisão desta quinta-feira (19), o TSE indica ao Legislativo que qualquer modificação nas datas eleitorais como um todo, em decorrência da pandemia, depende de aprovação no Congresso.

“Esses prazos não estão à disposição do TSE, eles constam da legislação federal”, reforçou o ministro Luís Roberto Barroso, que assume o comando do TSE em 19 de maio e deve estar à frente da Justiça Eleitoral durante a realização do pleito nos municípios, cujo primeiro turno está marcado para 4 de outubro.

Após a sessão, Barroso afirmou que a Justiça Eleitoral não trabalha, no momento, com um eventual adiamento das eleições municipais. “Por enquanto, não cogitamos essa possibilidade. Cada dia com sua agonia. Tenho fé que até outubro tudo terá sido controlado.”

Senadora Eliziane sugere que parte do superávit dos fundos públicos socorra trabalhador informal

A senadora destacou que é preciso atender trabalhadores e empreendedores que operam na informalidade, que já representam 40% da população economicamente ocupada

A líder do Cidadania no Senado, Eliziane Gama (MA), propôs emenda à PEC 187/2019 para que 10% do superávit dos fundos públicos, hoje estimados em R$ 219 bilhões, sejam utilizados prioritariamente ao atendimento de políticas públicas de proteção econômica e social ao trabalhador informal e ao pequeno empreendedor informal e na ampliação de outros programas sociais.

A senadora destacou que é preciso atender trabalhadores e empreendedores que operam na informalidade, que já representam 40% da população economicamente ocupada. “São 36 milhões de pessoas que estão em situação de vulnerabilidade e impedidos de trabalhar por conta do período de quarentena estabelecido pelos governos como medida de prevenção. Não é justo, é desumano, deixar esse contingente de brasileiros desamparado em momento tão crítico”, enfatizou.

Eliziane disse ainda que o momento exige a ampliação de programas como o Bolsa Família e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). “Esses são instrumentos poderosos para atender aqueles que vivem na extrema pobreza”, defendeu.

Para a senadora, a nação brasileira está ferida, o mundo está ferido com o avanço do novo coronavírus. Um mal do qual ninguém tem culpa na sua origem, mas que pode ser mitigado, eliminado com boas e afirmativas políticas públicas. E com muita transparência e cidadania.

“A hora não é de querelas ideológicas menores, algumas até irresponsáveis. É de união, voltada pra melhor proteger o nosso povo, as famílias, a economia”, avaliou a parlamentar.

Coronavírus: Senado aprova decreto que reconhece estado de calamidade pública

A análise do projeto foi remota, realizada sem a presença dos senadores no plenário. Esta foi a primeira votação do tipo em 196 anos de história da Casa Legislativa.

O Senado aprovou nesta sexta-feira (20), por unanimidade, o projeto de decreto legislativo que reconhece o estado de calamidade pública no país em razão da pandemia de coronavírus.

Projetos de decreto legislativo, como o votado nesta sexta, não precisam ser sancionados pelo presidente da República. Por isso, como já havia sido aprovada na Câmara dos Deputados, a matéria entrará em vigor quando for publicada no “Diário Oficial da União” (DOU).

A análise do projeto foi remota, realizada sem a presença dos senadores no plenário. Esta foi a primeira votação do tipo em 196 anos de história da Casa Legislativa.

Na prática, a sessão foi uma videoconferência. Dos 81 senadores, os 75 que participaram da sessão foram favoráveis ao decreto.

Dentre os seis que não votaram, três não conseguiram se conectar ao sistema. Por ter presidido a sessão, Antonio Anastasia (PSD-MG) também não votou.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e o senador Nelsinho Trad (PSD-MS) estão com a Covid-19 e, ausentes, não participaram da votação.

Maranhão ganha na Justiça direito de impor barreira sanitária em aeroporto

Caso a Infraero e a Anvisa não cumpram a determinação, estão sujeitas à multa diária de R$ 500 mil.

Congresso em Foco

A Justiça Federal concedeu ao estado do Maranhão o direito de impor barreiras sanitárias no aeroporto Marechal Cunha Machado, em São Luís, capital do Estado. A decisão foi tomada na noite de quinta-feira (19) e atende a um pedido da Procuradoria Geral do Estado.

Na ação, os procuradores informaram que o estado do Maranhão pediu à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e à Infraero que disponibilizassem equipes para realizar o controle dos passageiros que desembarcam no aeroporto de São Luís, com o objetivo de evitar a propagação do coronavírus. Com a negativa dos órgãos federais, o estado requereu, então, o direito de colocar equipes próprias para fazer esse trabalho de triagem e inspeção dos passageiros e aeronaves que desembarquem no estado.

Caso a Infraero e a Anvisa não cumpram a determinação, estão sujeitas à multa diária de R$ 500 mil.

Apresentador do rodízio do JN tem covid-19 e respira com ajuda de aparelhos

Marcelo Magno está há quatro dias internado em um hospital particular de Teresina em estado grave e na UTI.

Na noite de hoje, a TV Clube, afiliada da TV Globo no Piauí, comunicou que o jornalista piauiense Marcelo Magno Ribeiro Barbosa testou positivo para o coronavírus. Ele é um dos integrantes do rodízio de fins de semana do Jornal Nacional e apresentou o telejornal no último dia (7).

Marcelo Magno está há quatro dias internado em um hospital particular de Teresina em estado grave e na UTI. O último boletim médico informou que o jornalista respira com ventilação mecânica.

O apresentador do JN é um dos três pacientes com coronavírus no Piauí. No estado, são 65 casos sob suspeita para a covid-19.

O secretário estadual de Saúde, Florentino Neto, informou que os três pacientes estão em tratamento e sendo acompanhados por especialistas. “Piauí teve três confirmações de coronavírus. Um proveniente do Rio de Janeiro, outro de São Paulo e um terceiro com transmissão no Piauí já após chegada de São Paulo. Além dos cuidados com os pacientes, estamos adotando procedimentos do mapa dos contatos de cada um e busca ativa, para isolamento social e medidas cabíveis”, destacou Florentino Neto.

O governo do estado decretou estado de calamidade e determinou o fechamento de shoppings, bares, restaurantes, cinemas, clubes, academias, casas de espetáculo e clínicas de estética, além de atividades de saúde bucal/odontológica, públicas e privadas, exceto aquelas relacionadas aos atendimentos de urgência e emergência. Eventos esportivos também estão suspensos.