Leitos para coronavírus mantêm baixa ocupação no Maranhão

No Maranhão, de acordo com o boletim da Secretaria de Estado da Saúde, 36,63% dos leitos para Covid-19 estão ocupados.

Os leitos reservados para coronavírus na rede estadual de saúde do Maranhão mantém uma taxa de ocupação sob controle, tanto em relação às UTIs quanto aos clínicos. São centenas de leitos livres.

Muitos Estados brasileiros têm taxa de ocupação acima de 90%, chegando em alguns casos a 100%. 

No Maranhão, de acordo com o boletim da Secretaria de Estado da Saúde, 36,63% dos leitos para Covid-19 estão ocupados. Ou seja, mais de seis em cada dez estão livres. Nos leitos de UTI, a taxa de ocupação é de 65,9%, índice considerado confortável neste momento. 

“A ocupação de leitos de UTI e de leitos clínicos, considerando apenas os leitos para coronavírus na rede estadual, tem taxas que, neste momento, mostram o efeito positivo dos investimentos que realizamos”, afirmou o governador Flávio Dino. 

Após a rede estadual chegar a 1.800 leitos exclusivos para coronavírus, parte deles na capital está sendo destinada a pacientes de outras doenças, justamente por causa da baixa ocupação. Atualmente, são cerca de 1.500 leitos reservados para Covid-19 em todas as regiões. 

Governo atua em três frentes no alargamento da Avenida Jerônimo de Albuquerque

O alargamento da Avenida Jerônimo de Albuquerque está dividido em três etapas, com um total de dois quilômetros.

O alargamento da Avenida Jerônimo de Albuquerque avança na segunda etapa de trabalhos. Os serviços de drenagem profunda estão sendo executados em trecho que vai desde a entrada do condomínio Ipem-Angelim passando pela entrada do bairro Bequimão, até em frente ao supermercado Atacadão. A obra, do Governo do Estado, está sob responsabilidade da Agência Executiva Metropolitana (AGEM), em parceria com a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT). 

A primeira frente de trabalho está localizada próximo ao condomínio Ipem-Angelim. No local está sendo realizada drenagem profunda com construção de bueiro simples tubular de concreto (BSTC). 

Nas proximidades da entrada do bairro Bequimão, segunda frente de trabalho, também está sendo realizada a drenagem profunda. Lá, entretanto, o bueiro é do tipo duplo celular de concreto (BDCC). Já em frente ao supermercado Atacadão, a AGEM está realizando drenagem profunda com bueiro simples tubular de concreto (BSTC).

O alargamento da Avenida Jerônimo de Albuquerque está dividido em três etapas, com um total de dois quilômetros. A primeira, já concluída, compreende um trecho que vai do supermercado Mineirão (antigo Makro) até a entrada do condomínio Ipem-Angelim, 500 metros ao todo. Incluiu terraplanagem, pavimentação asfáltica e drenagem, construção do canteiro central, calçadas (passeio público) e meio-fio com sarjeta e talude e 10 metros de largura, sendo 6 metros de pista e 4 metros de passeio público. 

A segunda etapa, em andamento, tem extensão de 1.062 metros de comprimento. Neste trecho estão sendo executados serviços de terraplanagem, pavimentação, drenagem, muro de contenção e sinalização. O resultado será uma ampliação de 5 metros na largura, sendo 3,5m de pista e 1,5m de passeio. 

A terceira etapa será a substituição da rotatória da Cohab por um sistema de alças semelhantes às que já existem na região entre a entrada do bairro Bequimão e o Elevado da Cohama.