A sucessão estadual e as possíveis alianças…

Luís Fernando pode ser substituído por Arnaldo Mello ou outro nome
Luís Fernando pode ser substituído por Arnaldo Mello ou outro nome

Os partidos estão vivendo a fase de pré-campanha no final deste ano pré-eleitoral. Até o mês de junho de 2014, muita água ainda deve passar por debaixo da ponte, mas o  mapa da sucessão no Maranhão já está se definindo, inclusive, indicando quem é quem na disputa com as primeiras pesquisas.

Como pré-candidatos ao governo do Maranhão, tem-se o presidente da Embratur (Empresa Brasileira de Turismo), Flávio Dino (PCdoB), pela oposição; o secretário de Infraestrutura, Luís Fernando Silva (PMDB),  pelo grupo Sarney, que ainda pode ser substituído pelo deputado Arnaldo Mello (PMDB) ou até mesmo pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, ou pelo senador João Alberto (PMDB) nas últimas das opções; a deputada Eliziane Gama, que caminha praticamente sozinha, mas que dá fortes sinais de que vai mesmo arriscar uma candidatura.

O PSTU deve sair com o de sempre: Marcos Silva; e o PSOL deve vir com Haroldo Saboia, fora os candidatos “laranjas”, comuns em todo processo eleitoral, que surgirem.

O PDT, apesar das ameças, deve formar mesmo aliança com Flávio Dino, indicando ou não o vice. Seria muito arriscado para o partido lançar mão de um projeto de candidatura própria, pois a sigla “encolheu” nacionalmente, soma pouco em horário de Tv, etc.

Quem deve ir com o PCdoB

Flávio Dino tentará garantir adesões de partidos que estão do outro lado
Flávio Dino tentará garantir adesões de partidos que estão do outro lado

No “frigir dos ovos”, Flávio Dino deve aglutinar em torno de seu projeto de candidatura PCdoB/PDT (apesar das ameaças)/PSB/PTC/PP (de Waldir Maranhão), o SDD (Solidariedade) e o PROS, comandado pelo deputado federal Zé Vieira. Ainda está pendente o PSDB nesta provável coligação. Os tucanos estão indecisos entre Luís Fernando, pré-candidato do grupo Sarney, e o pré-candidato comunista.

Os comunistas ainda esperam, até junho, conseguir adesões de última hora de partidos que estão do lado governista.

Pelo grupo Sarney deve se formar uma coligação encabeçada pelo PMDB com  PT, devido às pressões na esfera nacional, DEM/PSD/PV/PTB/PRB/PTdoB, PSL/PHS, etc.

A dificuldade de Eliziane Gama

Eliziane tenta aliança com o PSB, mas pode terminar saindo em chapa "puro sangue"
Eliziane tenta aliança com o PSB, mas pode terminar saindo em chapa “puro sangue”

Eliziane Gama encontra muita dificuldade de formar coligação e pode terminar sozinha e obrigada a encarar uma arriscada disputa em chapa “puro sangue” e com inexpressivo horário de televisão e de rádio.

A deputada investe hoje pesado em uma aliança com o PSB, da ex-senadora Marina Silva e do presidenciável Eduardo Campos, porém pouco provável de acontecer no Maranhão, já que os pessebistas já selaram acordo com Flávio Dino desde a eleição municipal passada.

Para o PSTU e o PSOL, a tendência é que saiam  sozinhos, também “puro sangue”.

Por enquanto, esse é o cenário de possíveis alianças neste final de ano pré-eleitoral. Mas, como disse no início deste post, muita água ainda pode passar por debaixo desta ponte!

Postagens relacionadas

3 thoughts on “A sucessão estadual e as possíveis alianças…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.