Agentes penitenciários cruzam os braços e detentos ensaiam rebelião

A Secretaria de Estado da Justiça e da Administração Penitenciária (Sejap) informou, nesta quarta-feira (30),  que adotou providências para garantir a segurança nos presídios durante a paralisação dos agentes penitenciários. Entre as medidas, solicitou o apoio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), por meio da Polícia Militar, do Batalhão de Choque, do 6º batalhão e do Grupo Tático Aéreo (GTA).


A paralisação terminou prejudicando o banho de sol e as visitas aos presos, o que revoltou as pessoas que esperavam para entrar no Centro de Detenção Provisória de Pedrinhas. Ao saberem do ocorrido, os detentos ensaiaram um movimento de rebelião na manhã desta quarta-feira (30).

A Sejap esclareceu que a paralisação dos agentes penitenciários do Maranhão é uma adesão ao protesto por 24 horas ao veto da presidenta Dilma Roussef ao projeto de lei que concede porte de arma aos agentes. 


O movimento é nacional e coordenado pela Federação Sindical Nacional dos Servidores Penitenciários (Fenasbem).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *