Assassino de Décio Sá se contradiz em entrevista à TV Record

Em entrevista à TV Mirante, no ano passado, ele foi mais frio e admitiu ser um matador profissional ao contrário do que se viu no Domingo Espetacular

Jonathan disse que não mataria mais por dinheiro
A equipe do programa Domingo Espetacular, da Tv Record, foi até o presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, – onde ficam os bandidos mais perigosos do Brasil – para entrevistar, com exclusividade, o matador de aluguel Jonathan de Souza Silva, de 24 anos, acusado de ter assassinado brutalmente o jornalista maranhense Décio Sá, no dia 23 de abril do ano passado.

Durante a entrevista, que foi ao ar na noite deste domingo (13) no programa Domingo Espetacular, Jonathan se contradiz quando é questionado sobre os mais de 50 assassinatos que é suspeito de ter cometido. “Isso é o que a Imprensa fala, eles estão mentindo; não tem prova de nada”, disse ele ao tentar se inocentar dos crimes do passado. Porém, em entrevista à TV Mirante, no ano passado, ele foi mais frio e admitiu ser um matador profissional, com muitos crimes nas costas, ao contrário do que se viu na TV Record.

Mas quando a repórter pergunta se ele só matava por dinheiro, ele revela: “Eu já matei por coisas pessoais”. Durante a entrevista, ele disse que não matará mais como pistoleiro e que só mataria novamente se fosse em legítima defesa.

O assassino fica em uma cela sozinho, e só tem direito a duas horas de banho de sol. Jonathan se diz arrependido de alguns dos crimes, mas de outros não. Ele chegou a pedir desculpas pelos assassinatos contratados que cometeu. “Pedir desculpa a gente pede, agora trazer a vida de volta não tem como”, afirmou.

Na infância, o jovem assassino foi escoteiro e, segundo algumas pessoas que conviveram com ele, o matador era um menino obediente. A Record consultou um profissional para avaliar o lado psicológico ou psicótico de Jonatan.

Ao ser questionado se ele era cruel nos seus crimes, ele responde: “Tem que matar, só matar e pronto”, disse Jonathan.

O assassino de Décio Sá também conta sobre a primeira vez que matou uma pessoa. “Foi aos 14 anos durante uma discussão”. Crime este, que ele não responde na Justiça.

Mesmo após ter tirado várias vidas, Jonathan diz durante a entrevista que tem medo da morte. Sobre o futuro, o matador de aluguel diz não pensar muito. “Próximos anos é cadeia, não preciso pensar nisso agora”.

Com informações do portal SUA CIDADE

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.