Barnabés de São Luís rejeitam proposta de reajuste de 7,5%

Professor Raimundo

Em assembleia geral, realizada nesta sexta-feira (07), os servidores municipais de São Luís rejeitaram a proposta de reajuste salarial de 7,5%, oferecida e chancelada pelo prefeito Edivaldo Holanda Jr. A reunião, realizada no Monte Castelo, foi convocada pelo Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos Municipais de São Luís (Sinfusp/SL).

Segundo o secretário de Finanças do Sinfusp, Cristovam Araújo, o reajuste é discriminatório, pois, para o grupo de Magistério (professores), o aumento foi de 9,5% e para os demais servidores, somente 7,5%. “A categoria esperava que todos fossem tratados sem diferença. A lei prevê tratamento igualitário em matéria de reajuste salarial. Nós não concordamos com esta situação”, criticou. 

Além das propostas e encaminhamentos que vão ser direcionados ao Executivo Municipal, o Sindicato vai solicitar o apoio da Câmara Municipal de São Luís, a fim de que, com a ajuda dos vereadores, possa melhorar o valor do reajuste. O Sinfusp/SL entende que a Prefeitura vai ter condições financeiras para que a partir do 2° quadrimestre possa conceder um reajuste complementar (de acordo com a variação/aumento da Receita).

Alguns dos servidores presentes propuseram movimento grevista demonstrando total insatisfação com a proposta da Prefeitura de São Luís.

Na tentativa de evitar confronto entre os funcionários municipais e a Prefeitura, o Sinfusp/SL propôs traçar estratégias de mobilizações, até o mês de setembro, e afirma que, apesar de aceitar o valor de 7,5%, quer um maior percentual de reajuste salarial. Entre as partes está a insatisfação devido aos percentuais não serem consensuais.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.