Briga judicial põe em risco futuro de grande empresa no Maranhão

A história que está tirando o sono de muitos funcionários promete ter fim no próximo dia 14

Uma briga judicial envolvendo um ex-casal, está chamando a atenção e pondo em risco o futuro de uma das maiores empresas do Maranhão. A briga origina-se com Salete Terezinha Gewehr, ex-mulher de José Antônio Gorgen, atual presidente e fundador da Risa S/A. Empresa consolidada no Maranhão e Piauí, pioneira há mais de trinta anos e possuindo seis fazendas situadas nos estados. A empresa ainda investe na área de fertilizantes, com revenda de defensivos e maquinas agrícolas, além de possuir uma frota de mais de 150 caminhões e empregar diretamente 1.367 funcionários.

Salete Terezinha já moveu 16 processos contra o ex-marido José Antônio Gorgen, diretor presidente da Risa. Entre os processos, ela quer que José Antônio saia da casa que pertence à Risa na fazenda Modelo, casa que foi feita em comum acordo para receber fornecedores e credores, que também serve como moradia do presidente da empresa, para que ele fique mais próximo do dia a dia da fazenda e do campo experimental.

A briga chegou na Justiça pois Salete exige 5% que é de José Antônio por direito, já que foram casados em comunhão parcial de bens e ele já tinha uma fazenda antes de casar com ela; fazenda que gerou a renda para comprar a Ribeirão agrícola, hoje Risa.

Funcionários e fornecedores afirmam que José Antônio Gorgen tem blindado a empresa para que Salete não afete os funcionários e nem os ganhos da empresa. Mas a Risa S/A já está sentindo as consequências dessa confusão. A empresa deixará de plantar 35 mil hectares nessa safra, porque alguns clientes antigos resolveram cancelar os pedidos de produção por se sentirem inseguros com a atual indefinição administrativa. O que impedirá a geração de 400 novos empregos e a empresa deixará de faturar mais de 37 milhões de reais.

A história que está tirando o sono de muitos funcionários promete ter fim no próximo dia 14. Após o desembargador Luís Gonzaga ter negado a liminar que reconduzia Salete à diretoria da empresa, o desembargador Zé Bernardo cancelou a decisão do Luís Gonzaga. Na sessão de quarta-feira, os desembargares julgarão a decisão dada pelo desembargador José Bernardo.

1 pensou em “Briga judicial põe em risco futuro de grande empresa no Maranhão

  1. Quanto ganhou por essa matéria mentirosa ? Cria vergonha vai procurar saber ao certo o que é verdade para poder sair falando. Não tem credibilidade nenhuma esse seu texto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *