Casal é acusado de agredir estudante na boate Nyx


Confusão provocou grande tumulto e foi parar no Plantão  Central da Refesa


Queixa foi registrada no Plantão Central da Refesa
A estudante  Adrianne Paraíso, mais conhecida como “Drica”, 20 anos, foi agredida pelo casal, Marco Antonio de Toledo Piza e Carol Fernandes, na madrugada deste sábado (29), na Boate Nyx, na Ponta D’Areia, em São Luís. A confusão provocou um grande tumulto  na casa noturna e  foi terminar no Plantão Central da Refesa.

Tudo começou com um mal entendido que culminou em agressão física contra Drica. Por volta de 3h da manhã, quando “Drica” resolveu intervir em favor de uma amiga que discutia com Carol, Marco Antonio surgiu do nada e a atingiu com um forte tapa no rosto. A vítima ficou por alguns instantes no chão, diante  do ato violento.

“Essa madrugada, passei por um dos piores momentos da minha vida. Fui agredida fisicamente em uma boate de São Luís por um homem que estava acompanhado de sua esposa… já é de se esperar que, aos olhos da lei, nada aconteça a ele que se diz influente no meio jurídico”, desabafou Adrianne em sua página pessoal no Facebook neste sábado.

O casal ainda tentou se evadir do local, sem sucesso. Depois do ocorrido, os dois foram vistos no camarote e, em seguida, na administração da boate. As estudantes conseguiram trazer, para dentro do estabelecimento, policiais plantonistas da área, que fizeram a abordagem do casal, direcionando todos ao Plantão Central, onde foi registrado um Boletim de Ocorrências (BO).

Marco Antonio, que se diz influente no meio jurídico e entre pessoas importantes, ainda teria dito que “um tapa” não caracterizava ato de violência. Ao que parece, ele se sente “protegido” mesmo, por isso sai por aí e se acha no direito de agredir mulheres de tal forma.

Postagens relacionadas

18 thoughts on “Casal é acusado de agredir estudante na boate Nyx

  1. Boa noite Silvia Teresa,

    Tô gostando do seu blog e vou colaborar, dentro do possível, com comentários e informações que julgar pertinente em relação a suas postagens. Como fato inovador, vc poderia dar um um feed back aos seus leitores, em relação aos comentários, mesmo que seja breve, pois esse seria um diferencial em relação aos outros blogs, que simplesmente publicam comentários, sem que ocorra um mínimo de debate. Tal feed back, não se confunde com bate-boca, que é o que ocorre quando há alguma resposta dos blogueiros. Com relação a este fato específico, primeiramente quero dizer que não conheço nenhuma das pessoas envolvidas nesse lamentável episódio. Todavia, a Lei Maria da Penha, infelizmente não amparará a jovem identificada como DRICA, pois tal lei é direcionado para proteger as relações no âmbito doméstico e afetivo, fato que a priori, não é observado. É uma aberração da Lei, pois agressão contra a mulher é um absurdo, tanto no ambiente doméstico ou afetivo, quando fora de tal situação. Pelo fato narrado, o máximo que ocorrerá, será um termo circunstanciado de Lesão Corporal Leve, que tem um pena ridícula.

  2. Por favor, tamanha impropriedade jurídica, lei maria da penha é aplicável à casais, é necessária a convivência marital. Não é qualquer agressão contra mulher!

  3. ola querida jornalista lhe escrevo so pra lhe aletar que a lei maria da penha nao se aplica nesse caso, ela esta disposta para casos de violencia domestica contra a mulher, um grande abraço !

  4. Caros leitores, muito obrigada pelos comentários e pelos milhares de acessos. Eles são muito valiosos e contribuem muito com este blog jornalístico, que tem como objetivo a informação, a análise da notícia e dos fatos. Eu vou tentar responder a todos aqui. Com essa postagem, que sozinha, até esse exato momento, chega ao patamar de acessos únicos na casa de sete mil visualizações, vocês estão ajudando a fazer um pouco de justiça à estudante agredida, pois, a partir daqui, estão ampliando este debate e permitindo que o agressor reflita mais sobre seus atos e não repita a dose novamente. Quanto à aplicação da Lei Maria da Penha (já com correção), o agressor também precisa estar ciente de seus rigores mesmo assim, porque se faz isso com uma jovem que nem conhece, imaginem o que não deve fazer com a própria mulher. Fica aqui a reflexão. Um grande abraço.

  5. Vejo que teremos que voltar ao tempo do olho por olho, dente por dente!
    Eles são influentes onde?
    Dois liso que tiram onda de bacana!
    Rico não vira sacoleiro!
    #ficadica

  6. Pessoal nem sabe o que realmente aconteceu e tá julgando.

    Lamentável esse tipo de pensamento.

    Escutam a versão de um único lado, e já vêm clamar por “justiça”.

  7. Direito de Resposta.
    Todos criticam e acusão mas ninguem sabe o que realmente aconteceu. Minha esposa escorregou e esbarrou nesta tal de DRICA depois disso ela chamou minha esposa de VAGABUNDA, VADIA etc. Quando vi tinha 3 ou 4 mulheres encima dela dizendo que teria volta, foi quando eu MARCO ANTONIO intervi no meio da discusão tirando minha esposa do meio destas mulheres inclusive RAYANE BOGEA sobrinha de LORIVAL DONO DO JORNAL PEQUENO. Resumindo ate o que o DELEGADO disse. Garota se ele tivesse dado um bogue como todos estão dizendo vc estaria com o rosto todo arrebentado e faria exame de corpo de delito, vc não tem nada como estou vendo então vamos acalmar os nervos e colocar uma pedra nisso. Resumindo sou pai de familia eu e minha mulher trabalhamos juntos graças a deus e nunca faria isso só acho que ninguem diz o constrangimento que minha mulher passou com esta drica esta rayane bogea sobrinha de lorival bogea dono do jornal com palavras de alto escalão. Fica minha versão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.