CASO DÉCIO SÁ – Advogado não vai a júri popular


Acusado de participação no Assassinato de
 Décio Sá, advogado não vai a júri popular
O advogado Ronaldo Henrique Santos Ribeiro, acusado de envolvimento no assassinato do jornalista Décio Sá, não vai a júri popular. A decisão foi emitida nesta quinta-feira (17) pelo juiz titular da 1ª Vara do Tribunal de Júri de São Luís, Osmar Gomes dos Santos.

De acordo com o juiz, faltam indícios suficientes para comprovar a autoria ou participação do advogado no crime. Antes, o promotor de Justiça responsável pela acusação, Luís Carlos Duarte, já havia opinado pela impronúncia do acusado nas alegações finais da fase de instrução do processo sobre a morte do jornalista.

Ronaldo foi denunciado pelo Ministério Público do Maranhão (MP-MA) como responsável pelas questões jurídicas relacionadas ao grupo criminoso acusado de articular a trama para matar o jornalista.

No texto da sentença, o juiz diz que, ainda que seja atribuída a Ronaldo Ribeiro a participação em crimes como desvio de verbas municipais, é certo afirmar que, diante das provas do processo e as produzidas judicialmente, não existem elementos que comprovem que o réu participou em prol do homicídio de Décio Sá.

Durante interrogatório na fase de instrução do processo, no mês passado, Ronaldo Ribeiro ratificou versão dada em depoimento à polícia e negou a participação no crime. Ainda, na ocasião, depoimentos de testemunhas revelaram que o advogado mantinha relações de proximidade com a vítima e que o réu não teria motivos para assassiná-la.

A defesa de Ronaldo Ribeiro cheogou a perdir absolvição sumária do acusado, mas o pedido foi negado.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.