Jair Bolsonaro é diagnosticado com Covid-19

De acordo com Bolsonaro, ele tomou hidroxicloroquina, remédio que vem defendendo como tratamento para a Covid-19

O presidente Jair Bolsonaro informou nesta terça-feira (7) que seu exame para detectar se está com Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, deu positivo.

O presidente afirmou que chegou a ter febre de 38 graus, mas que, à noite, a temperatura começou a ceder. Relatou também que sentiu mal-estar e cansaço. Ele disse que agora está se sentindo “perfeitamente bem”.

De acordo com Bolsonaro, ele tomou hidroxicloroquina, remédio que vem defendendo como tratamento para a Covid-19. Não há comprovação científica da eficácia da hidroxicloroquina para a doença.

“Estou bem, estou normal. Em comparação a ontem [segunda], estou muito bem. Estou até com vontade de fazer uma caminhada, mas não vou fazê-lo por recomendação médica, mas eu estou muito bem”, afirmou.

Bolsonaro já havia informado a apoiadores na segunda-feira (6) que estava com febre e dores no corpo e, por isso, decidiu fazer o exame. Ele também disse que fez uma radiografia e que o pulmão “estava limpo”.

O presidente tem 65 anos e faz parte da faixa etária considerada por especialistas como grupo de risco.

Ele informou que nos próximos dias vai despachar por videoconferência na residência oficial do Palácio da Alvorada e que talvez receba auxiliares para assinar documentos. Bolsonaro cancelou viagens que faria à Bahia e a Minas Gerais.

O presidente fez o anúncio do resultado do exame para a TV Brasil e mais duas emissoras. Nenhuma outra emissora foi convidada. Ao final do anúncio, ele se afastou alguns passos dos repórteres e tirou a máscara. Mostrou o rosto, disse estar “bem” e pediu cuidado aos mais idosos.

Grande São Luís e interior registram queda significativa no número de casos da Covid-19

Ao todo, o Maranhão já realizou 187.217 testes para o novo coronavírus.

O Maranhão chegou a 90.251 casos confirmados do novo coronavírus na noite de segunda-feira (6). De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES), já são 2.250 mortos pela doença no Maranhão.

Em 24 horas, foram confirmados apenas 548 casos novos, um número que mostra a queda significativa dos casos no Estado.

Dos novos casos, 134 foram notificados na Grande Ilha, 19 em Imperatriz e 395 nas demais regiões do estado.

Os dados também mostram que 69.615 pessoas já estão curadas em todo o estado.

Ao todo, o Maranhão já realizou 187.217 testes para o novo coronavírus.

Famem reafirma importância da aplicação dos recursos especiais no combate ao Covid-19

Os recursos devem ser aplicados na atenção primária e especializada, vigilância em saúde, assistência farmacêutica, aquisição de suprimentos, insumos e produtos hospitalares.

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão vem a publico esclarecer sobre a aplicação dos recursos assegurados pela Portaria 1666/2020, publicada no Diário Oficial da União em 1º de junho, destinados ao enfrentamento do coronavírus. O montante é de R$ 13,8 bilhões, transferidos em parcela única, provenientes de Medidas Provisórias.

O secretário executivo da Famem, Marcelo Freitas, lembra que tais recursos não são frutos de emenda parlamentar e assinala que os repasses financeiros em sua integralidade devem ser utilizados prioritária e exclusivamente em ações de saúde no município. Freitas alerta sobre a observância da Lei no 13.979/2020 e prestação de contas sobre a aplicação dos recursos por meio do Relatório Anual de Gestão (RAG), de acordo com o que está estabelecido pela portaria.

Marcelo Freitas chama atenção ainda para as alterações da portaria 1666/2020 estão acessíveis em anexos republicados no DOU nº 124-A, de 1º-7-2020, Seção 1, Edição Extra, pág. 1, com incorreção no original. Em Nota Técnica 24/2020, a Confederação Nacional de Municípios orienta sobre a aplicação dos recursos SUS para o enfrentamento da Covid-19 e transposição e transferência de recursos – LC 172/2020.

A distribuição dos recursos para a gestão municipal obedece critérios claros, considerando índices populacionais e os valores do Piso de Atenção Básica (PAB) de 2019. Os valores são dirigidos à produção de médica e alta complexidade, segundo registro que constam nos Sistemas de Informação Ambulatorial e Hospitalar do Sistema Único de Saúde, SUS.

Os recursos, portanto, devem ser aplicados na atenção primária e especializada, vigilância em saúde, assistência farmacêutica, aquisição de suprimentos, insumos e produtos hospitalares.

Podem ser destinados ainda para o custeio do procedimento de Tratamento de Infecção pelo coronavírus, previsto na Portaria, bem como a definição de protocolos assistenciais específicos para o enfrentamento à pandemia do coronavírus.

Famem lamenta falecimento do ex-prefeito de Poção de Pedras, Gildásio Ângelo da Silva

Dr. Gildásio, de 59 anos, faleceu domingo (05) em decorrência de complicações causadas pela covid-19

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM) lamenta o falecimento do servidor público federal Gildásio Ângelo da Silva, ex-prefeito de Poção de Pedras e ex-diretor desta entidade com histórico de dedicação à causa municipalista.

Dr. Gildásio, de 59 anos, faleceu domingo (05) em decorrência de complicações causadas pela covid-19. Ele estava internando há dois meses no Hospital São Domingos, nesta capital, em tratamento contra a doença.

A Famem se solidariza com a família, amigos e munícipes da região do Médio Mearim neste momento de imenso pesar.

Maranhão registra 89,7 mil infectados em 216 municípios

O novo coronavírus atinge 216 municípios em todo o Maranhão.

O Maranhão chegou à marca de 89.714 pacientes infectados pelo novo coronavírus e 2.219 óbitos por Covid-19.

De acordo com os dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgados neste domingo (5), já são 69.005 pessoas recuperadas da doença.

De acordo com a SES, o estado possui 18.490 casos da Covid-19 ativos. Deste número, 17.685 estão em isolamento domiciliar, 460 internados em enfermarias e 345 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

O novo coronavírus atinge 216 municípios em todo o Maranhão.

Aprovação do governo Flávio Dino é confirmada por três institutos de pesquisas

Mesmo com a crise econômica e a causada pelo coronavírus, as boas ações realizadas pelo governador refletem nos dados positivos.

Nada menos do que três institutos comprovaram que a aprovação do governador Flávio Dino segue em alta durante seu sexto ano de mandato. Mesmo com a crise econômica e a causada pelo coronavírus, as boas ações realizadas pelo governador refletem nos dados positivos.

De acordo com o Instituto Prever, o governador Flávio Dino tem aprovação de 63,2% da população de São Luís, enquanto 34,1% desaprovam.

O Instituto Escutec também mostrou que o governador tem aprovação da maioria da população na capital. De acordo com os dados, 57% aprovam, contra 35% que desaprovam e 8% não responderam ou não souberam.

Já a pesquisa Exata, mostra que em São Luís, Flávio Dino é aprovado por 65% dos entrevistados, enquanto 32% não aprovam e 3% não souberam ou não quiseram responder. A mesma pesquisa feita em Imperatriz mostra os números ainda mais positivos, onde 69% aprovam, 28% não aprovam e 3% não sabem ou não quiseram responder.

Renato Feder rejeita convite para ser ministro da Educação

Neste sábado (4), o G1 informou que Bolsonaro havia segurado a indicação de Feder após repercussão negativa que o nome teve entre apoiadores de grupos ideológicos e evangélicos.

O secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, publicou mensagem neste domingo (5) na qual afirma ter recusado convite do presidente Jair Bolsonaro para ser o novo ministro da Educação.

Neste sábado (4), o G1 informou que Bolsonaro havia segurado a indicação de Feder após repercussão negativa que o nome teve entre apoiadores de grupos ideológicos e evangélicos.

“Recebi na noite da última quinta-feira uma ligação do presidente Jair Bolsonaro me convidando para ser ministro da Educação. Fiquei muito honrado com o convite, que coroa o bom trabalho feito por 90 mil profissionais da Educação do Paraná. Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro, por quem tenho grande apreço, mas declino do convite recebido. Sigo com o projeto no Paraná, desejo sorte ao presidente e uma boa gestão no Ministério da Educação”, escreveu Feder em uma rede social.

Neste domingo, o presidente Jair Bolsonaro, diante das críticas ao nome de Feder, decidiu procurar outra pessoa para o Ministério da Educação.

Feder é o atual secretário de Educação do Paraná. Ele era um dos cotados para o MEC quando o ex-ministro Abraham Weintraub deixou o governo, no fim de junho. Mas Bolsonaro acabou escolhendo o professor Carlos Decotelli, que pediu demissão antes mesmo de tomar posse, em razão da descoberta de informações falsas em seu currículo.

Feder é formado em administração, tem mestrado em economia e já dirigiu escolas. Contando com Decotelli, Feder seria o quarto ministro da Educação no governo Bolsonaro.

Em 100 dias, Maranhão recebe reforço na infraestrutura, amplia rede hospitalar e minimiza impactos da crise

Além da ampliação de leitos dos hospitais macrorregionais em vários municípios do estado, cidades como Santa Luzia do Paruá, Viana, Coroatá, Lago da Pedra e São Luís receberam novas unidades hospitalares

Nos últimos 100 dias, o Maranhão recebeu do Governo do Estado um reforço histórico na rede pública hospitalar. Medidas que estão ajudando no tratamento de pessoas com Covid-19 e mantêm o plano de descentralização da oferta de atendimento especializado em saúde pública. 

E apesar da pandemia, as principais obras de infraestrutura realizadas pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra) continuam em execução, seguindo todos os protocolos de segurança. Os investimentos minimizam os impactos da crise sanitária com a manutenção de empregos e geração de renda para as famílias maranhenses. 

Além da ampliação de leitos dos hospitais macrorregionais em vários municípios do estado, cidades como Santa Luzia do Paruá, Viana, Coroatá, Lago da Pedra e São Luís receberam novas unidades hospitalares, que proporcionaram mais eficiência e conforto no atendimento aos pacientes com o novo coronavírus. 

Para o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, esse investimento é importante não só para atender os pacientes durante a pandemia, mas também para melhorar o atendimento, já que toda a estrutura ficará disponível para a população. “Nós temos obras entregues e em andamento, que servirão para o coronavírus hoje e, futuramente para outros usos da sociedade. Esse é um investimento histórico para o Maranhão”, afirmou.

Santa Luzia do Paruá, por exemplo, recebeu pela primeira vez um hospital com Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Com a nova unidade entregue, a população agora dispõe de melhores condições para ter um atendimento mais digno, graças à estrutura composta de 60 leitos de enfermaria, 10 leitos de UTI, exames de mamografia, laboratoriais, ultrassom e raio-X.

O Hospital Antônio Hadade, em Viana, é uma unidade ampla e moderna e atende a moradores da Baixada Maranhense. A unidade conta com 50 leitos, salas de cirurgias, salas de observação, de diagnóstico, exames, laboratório, sala vermelha e amarela, destinada a pacientes positivos para a Covid-19.

Situação da pandemia de coronavírus mostra estabilidade no Maranhão

Os casos ativos continuam caindo, e o número de pessoas recuperadas segue em alta. 

O Maranhão chega ao fim desta semana com a situação do coronavírus em estabilidade. Os casos ativos continuam caindo, e o número de pessoas recuperadas segue em alta. 

De acordo com o boletim da Secretaria de Estado da Saúde, são cerca de 19 mil casos ativos (que ainda estão com a doença) e cerca de 65 mil recuperados.

“Se fôssemos definir em uma palavra a situação do coronavírus, seria o termo estabilidade. É a situação que temos no momento, ou seja, nem temos neste instante uma tendência de agravamento em níveis expressivos e tampouco temos uma tendência de rapidamente nos livrarmos do problema”, afirmou o governador Flávio Dino. 

Além dos casos ativos x recuperados, outros fatores estão sendo levados em conta nessa análise. Entre eles, os dados sobre internação e a consulta feita pelo Governo do Maranhão aos prefeitos.

De acordo com o governador, porém, é possível que haja aumento no número de casos nas próximas três semanas devido a, principalmente, três fatores. 

O primeiro é a previsão de aumento de testes em todo o Maranhão. O segundo é o aumento de casos em outros Estados, o que impacta todo o país, já que existe circulação de pessoas e de cargas. O terceiro é a reabertura gradual das atividades comerciais, que cumpre um importante papel econômico e social, mas também aumenta a circulação de pessoas. 

Flávio Dino acresceu que, neste instante, o que define o rumo da batalha contra o coronavírus são dois aspectos principais: as medidas assistenciais e as sanitárias.