Cutrim já é comunista e camarada!

Raimundo Cutrim chegou acompanhado dos “camaradas”

Na foto, ele é recepcionado por comunistas e por Roberto Rocha
Solenidade foi muito concorrida para uma simples filiação

Em uma cerimônia concorrida (aproximadamente 700 pessoas), o deputado estadual Raimundo Cutrim oficializou, neste sábado (14),  no Auditório Fernando Falcão da Assembleia Legislativa, filiação ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e se tornou o mais novo “comunista” do Maranhão, contrariando o seu histórico político, porém dando um troco ao grupo Sarney pelo que ele classificou de “perseguição”. A principal causa da saída foi o desenrolar do caso Décio Sá e as denúncias sobre agiotagem no Maranhão. O parlamentar ficou muito chateado pela forma como foi tratado pelo Sistema Mirante. 

Cutrim anunciou o desligamento da base governista desde o último dia três de setembro, acolhendo sugestões de lideranças comunitárias da capital e do interior, e decidindo por sua filiação ao PCdoB. A filiação contou com a presença das principais lideranças do partido, entre elas o presidente da Embratur (Empresa Brasileira de Turismo), Flávio Dino, o deputado Rubens Jr., a prefeita de Matões, Suely Pereira e outros.

“O povo é sábio; estou no caminho do povo. No caminho do progresso que todos nós estamos cansados de esperar. Por isso,não sou mais da base aliada do governo e agora faço parte da oposição”, relatou. Com a filiação de Cutrim, o PCdoB passará a ter dois representantes no Poder Legislativo Maranhense.

Para Cutrim, foi fácil sair do grupo Sarney sem temer a nada, já que ele não depende da oligarquia. É delegado federal de carreira. Então, não precisa de cargo público e nem de mandato para sobreviver. Não é o caso de outros que não podem sair da base do governo, pois necessitam financeira e politicamente do clã.

A mágoa – Entende Cutrim que o grupo Sarney conspirou para envolvê-lo no crime e com agiotagem e disse isso, abertamente, em vários pronunciamentos. Chegou a pedir investigação contra si próprio à Comissão de Ética da Assembleia Legislativa e tentou abrir a CPI da Agiotagem, ocasião em que não encontrou nenhum apoio dos governistas. 

Outro agravante foi a cana de braço que trava com o secretário estadual de Segurança Pública, Aluízio Mendes.
  
Cutrim disse que não tomou uma decisão impensada. Ele foi enfático ao assinalar que decidiu se desligar da base do governo depois de conversar com sua família, com seus amigos e com as lideranças que vêm acompanhando-o ao longo de sua vida pública. “Conversei com todas as minhas lideranças sobre esta minha decisão”, declarou. 

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.