Deputado condena clima de insegurança nos eventos do Marafolia

Consumidor pagou R$ 190 para ser assaltado e tomar cerveja quente no camarote do “Esquenta, São Luís”

Deputado Othelino Neto
O deputado estadual Othelino Neto (PPS/MD) protestou, na tribuna, nesta terça-feira (20), contra o clima de insegurança nos eventos da empresa Marafolia, do grupo Sarney, que vem submetendo milhares de pessoas ao perigo a cada edição. No último show do Chiclete com Banana, foram identificados assaltos, furtos e brigas no próprio camarote, onde as pessoas pagaram um ingresso de R$ 190, principalmente visando à segurança. Isso sem falar no abuso ao direito do consumidor que foi atraído por vantagens que deixaram a desejar.


Othelino repercutiu matéria publicada por este blog e cobrou providências da empresa para evitar que os mesmos problemas ocorram nos próximos eventos. Além da falta de segurança, o “open bar” era “gato por lebre” com cerveja quente e o refrigerante faltou depois de uma hora do início do show. Consequência: muitas pessoas recorreram aos preços absurdos da Vodka Absolut, superior a R$ 200, e do wisk que custava até R$ 320. Um verdadeiro “assalto a mão armada”.

“Fica aqui o alerta para que a empresa Marafolia tome as devidas providências e evite que isso volte a acontecer nos próximos eventos. Venderam ingressos oferecendo uma quantidade de regalias, mas lá dentro a realidade era diferente, principalmente no quesito segurança. Imagine só uma pessoa comprar um ingresso para um show, pagar em torno de R$ 200 para ir ao camarote e, chegando lá, ser assaltada e não ter a quem recorrer”, disparou Othelino Neto.


O deputado lembrou, ainda, que, do lado de fora, não havia policiais militares para também garantir a segurança no caso de uma necessidade de intervenção da polícia. Segundo o parlamentar, um evento desses que envolve milhares de pessoas pode ter um problema maior e precisar da presença da polícia nas proximidades.


“Então, em um caso desses se evidencia o quê? A falta de compromisso da empresa que organiza o evento e a inexistência também de articulação com a Polícia Militar para dar proteção não dentro do evento, o que é obrigação da empresa, já que se trata de uma festa privada, mas do lado de fora para uma intervenção em um caso de um problema mais sério. Isso evidencia o descaso geral, e olha que a empresa pertence ao mesmo grupo que comanda o governo do Estado”, observou Othelino Neto.


O deputado disse que viu, nas redes sociais, milhares de manifestações de pessoas que foram até a delegacia mais próxima para registrar um boletim de ocorrência contra o Marafolia por conta de documentos, celulares, máquinas fotográficas, etc, que foram roubados ou furtados.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.