Deputados formarão comissão para cobrar do Ibama medidas contra desmatamentos no Maranhão

Desmatamentos atingem mais de 70% das florestas do Maranhão

O plenário da Assembleia Legislativa aprovou requerimento, de autoria do deputado estadual Othelino Neto (PPS), que constitui uma Comissão de Deputados, composta de cinco membros, para cobrar, em Brasília, do presidente do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Volney Zenardi Júnior, medidas e ações para controlar o  elevado índice de desmatamento que está ocorrendo no Maranhão. O objetivo é evitar futuros problemas decorrentes dessa grave agressão ambiental.

Em recente pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, Othelino Neto cobrou do Ibama ações de fiscalização contra desmatamentos que vêm acontecendo na Amazônia Legal do Maranhão. O Estado já desmatou quase 72% de suas florestas. E esse quadro se agrava a cada dia, segundo o parlamentar.

Recentemente, o Jornal O Globo mostrou para todo o Brasil indicadores negativos do desmatamento no Estado. Hoje, a maior parte das florestas, ainda existentes na Amazônia Legal do Maranhão, restringe-se às áreas indígenas.
  
“Percebe-se que, por alguma razão que não foi explicada ainda, a fiscalização por parte do Ibama, nos últimos dois anos, reduziu-se bastante. Não percebemos mais aquelas operações realizadas em parceria com a Polícia Rodoviária Federal e com a Polícia Federal, que faz o trabalho de inteligência para identificar de que forma e quem está beneficiando o comércio industrial de madeiras. Temos observado que essas ações deixaram de acontecer”, assinalou Othelino Neto.

Amazônia Legal – Segundo o deputado do PPS, esses quase 72% de floresta que foram desmatadas da Amazônia Legal Maranhense representam 105.190 km² de vegetação derrubada. Para Othelino, o pior é o impacto disso na qualidade de vida das pessoas. Nas cidades onde mais se desmatou, os indicadores sociais são piores do que nas demais.

 “Agora a situação é grave. É preciso que esta Assembleia e nós todos prestemos atenção para que não se agrave, mais ainda, a situação do desmatamento no Maranhão”, finalizou Othelino Neto.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.