Desembargador autoriza assassino confesso de pastor a responder pelo crime em liberdade

Nos argumentos do desembargador, estão de que Saulo Pereira não responde a outro crime e não há indícios de que ele pretenda fugir

O desembargador José Lopes Santos determinou de forma liminar a soltura de Saulo Pereira Nunes, preso pelo homicídio do pastor evangélico Mackson da Silva Costa

Nos argumentos do desembargador, estão de que Saulo Pereira não responde a outro crime, não há indícios de que ele pretenda fugir da Região Metropolitana de São Luís, e também que o assassino confesso colaborou com a Polícia Civil desde que foi apontado como autor do crime.

Já a argumentação da defesa é de que Saulo é primário quanto ao cometimento de crimes, portanto “não tem antecedentes criminais, que ele tem residência fixa, exerce atividade laboral, confessou o delito, colaborou com as investigações, tem família e filhos e não oferece risco à sociedade e nem à instrução processual”.

A Polícia Civil prendeu Saulo Pereira Nunes, de 38 anos, no dia 14 de outubro, apontado nas investigações da Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP) como o assassino do pastor evangélico e técnico em informática Mackson da Silva Costa. O corpo foi localizado na casa de Saulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *