Em entrevista à Globo News, Flávio Dino analisa governo e política nacional

O governador do Maranhão explicou que o enfrentamento da crise no Maranhão passa por contingenciamento de 30%

O governador do Maranhão explicou que o enfrentamento da crise no Maranhão passa por contingenciamento de 30%

Em entrevista concedida à TV Globo News, na noite desta quinta-feira (28), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), fez ampla análise sobre o modo como vem governando o Estado que passou por décadas de dominação oligárquica. Ele também analisou a situação da econômica e política do país, bem como as implicações da operação Lava Jato e o combate ao mosquito que transmite o Zika Vírus e outras doenças.

Perguntado sobre as medidas para impedir que os efeitos da crise nacional avancem sobre o Estado e como governar tendo herdado uma situação caótica, Dino ressaltou que desde o início do mandato tem trabalhado com zelo, transparência e probidade, elementos novos na cena política do estado: “Os recursos são escassos, mas trabalhar com zelo e probidade nos dá garantia de de trabalhar para das conta dos desafios sociais que são os mais emergenciais,” comentou.”

Flávio Dino detalhou os programas sociais que criados pelo governo para enfrentar os desafios do Estado, a exemplo do Programa Água para Todos, Campanha de alfabetização “o principal elemento novo que o nosso governo trás é o reconhecimento das dificuldades que existem, diferentemente da linha anterior que ocultava os problemas. Não podemos nos acovardar e achar que a crise é invencível. Ela não é invencível e já vivemos quadras mais difíceis do que essas” ressaltou.

O governador do Maranhão explicou que o enfrentamento da crise no Maranhão passa por contingenciamento de 30% do custeio mas preservando as áreas prioritárias, como saúde, educação e segurança pública.

“Nós efetuamos cortes de contratos relacionados a tarefas administrativas buscando um estado mais eficiente e preservando setores que são fundamentais”.

Zika Vírus

Para Flávio Dino, infelizmente o país escolheu uma agenda nacional que dificulta a compreensão da gravidade do Zika Vírus. “É um tema muito grave e lamentavemente a agenda nacional dificulta a compreensão dos problemas que realmente afetam a vida dos cidadãos. Esse esforço que se faz o debate quase monotemático em torno de um ou dois assuntos atrapalha a soma de esforços para superar as doenças graves provocadas por esse vírus”, disse.

No Maranhão o governo aderiu ao Plano Nacional de enfrentamento ao vírus, bem como ações preventivas, campanha de mobilização social e início de uma política de bonificação para agentes de combate as endemias que conseguirem diminuir a incidência do mosquito em suas áreas de atuação. Temos o olhar da prevenção e do cuidado.

Oposição visceral

Perguntado por Conti sobre a relação com a família Sarney, Dino avaliou que os privilégios de casta aos quais esse grupo se acostumou a operar, com apropriação de bens públicos gerou uma atitude de oposição muito visceral ao atual governo.

Lava Jato

Ex-juiz federal contemporâneo do juiz Sérgio Moro, Dino avalia como essencial o papel da Justiça e do Ministério Público na investigação da Operação Lava Jato. Dino rechaçou a ideia de politização da ação da Justiça do Paraná e ressaltou que de modo geral, ela tem se comportado de maneira adequada.

Para Flávio, as investigações sobre o ex-presidente Lula não geraram provas suficientes para indiciá-lo. “Os fatos até aqui colhidos não sustentam uma ação penal, sequer o recebimento de uma denúncia,” disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *