Flávio Dino deixa Embratur para se dedicar à pré-campanha

Flávio Dino no último ato oficial como presidente da Embratur, em Barreirinhas
Flávio Dino no último ato oficial como presidente da Embratur, em Barreirinhas

O pré-candidato do PCdoB ao governo do Maranhão, ex-juiz federal Flávio Dino, realizou o último ato oficial como presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) em evento realizado em Barreirinhas (MA), neste final de semana. O encontro reuniu prefeitos e representantes das cidades incluídas na Rota das Emoções – roteiro turístico que envolve os Lençóis Maranhenses, litoral do Piauí e do Ceará.

Durante a participação na discussão sobre a integração de esforços para fortalecer o roteiro turístico nacional em que os Lençóis Maranhenses estão inclusos, Flávio Dino informou aos presentes que aquele seria seu último evento oficial como presidente da Embratur. Após deixar o cargo no governo federal, ele passa a se dedicar, exclusivamente,  agora ao período de pré-campanha no Maranhão, onde buscará possíveis alianças para a batalha das urnas em outubro deste ano.

Compromisso com roteiros turísticos

“Este é meu último ato oficial como presidente da Embratur. E quis o destino que ele fosse exatamente em Barreirinhas, cidade que teve todo o engajamento da Embratur na promoção internacional com o nosso apoio,” disse Flávio Dino ao se despedir do cargo.

Flávio Dino relembrou o compromisso que teve com os roteiros turísticos do Maranhão e falou do convênio celebrado pela Embratur que destinou R$ 1,7 milhão para, em 2014, promover o roteiro maranhense que inclui São Luís, Alcântara e Barreirinhas.

Esse é o maior investimento em promoção internacional do turismo maranhense no exterior, assegurou Flávio Dino aos representantes de municípios e da iniciativa privada presentes na reunião.

Postagens relacionadas

16 thoughts on “Flávio Dino deixa Embratur para se dedicar à pré-campanha

    1. Meu caro Edson Vidigal Filho, você é um especialista do direito nessa área eleitoral. Muito boa a sua pergunta. A “pré-campanha” não deveria existir, mas ela existe. E o termo é uma forma de denominar esse período que antecede uma campanha eleitoral, justamente o momento em que os pré-candidatos buscam se viabilizar como candidatos, fase em que correm atrás de alianças, apoios e coligações. É a etapa da afirmação. Edson, é um prazer tê-lo comentando neste blog. Participe sempre. Abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.