“Foi para honra e glória do senhor”, diz Zé Gerardo após receber homenagem da Assembleia Legislativa

Após cumprir pena pelo crime organizado no Maranhão, Zé Gerardo foi homenageado na mesma Assembleia Legislativa que o cassou em 1999
Condenado pelo crime organizado no Maranhão, Zé Gerardo foi homenageado na mesma Assembleia Legislativa que o cassou em 1999

Ao ser entrevistado sobre a homenagem recebida, nesta segunda-feira (17), na Assembleia Legislativa do Maranhão, como parte das comemorações pelo Dia do Poder Legislativo e pelo aniversário da Casa, o ex-deputado estadual Zé Gerardo, que foi cassado em 1999 pelo mesmo parlamento por ser a conexão maranhense no crime organizado, disse que o reconhecimento de agora seria para “honra e glória do Senhor”. Só a título de informação, ele se converteu ao protestantismo evangélico durante o período em que esteve na cadeia, no regime fechado, em Pedrinhas.

Procurado pela imprensa na saída da solenidade, ele mandou essa: “isso é para honra e glória do senhor. Deus é justo. Deus é fiel”, vibrou o ex-parlamentar que começou a cumprir pena após o desenrolar da CPI do Crime Organizado, no final da década de 90, episódio que prendeu a atenção de todo o Maranhão e do país pela crueldade dos crimes cometidos.

Curiosamente, Zé Gerardo, que foi cassado pela Assembleia, foi um dos constituintes lembrados na sessão solene comandada pelo presidente da Casa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), nesta segunda-feira (17).

Entenda o caso Zé Gerardo

Zé Gerardo foi cassado no dia 18 de novembro de 1999 – com os votos de 40 parlamentares. Logo após, o ex-deputado  fugiu para não ser preso e só foi alcançado pela polícia em Brasília. Condenado, cumpriu apenas oito anos de prisão em Pedrinhas, quando então foi beneficiado com a progressão da pena para o regime semi-aberto.

Sem constrangimento, Zé Gerardo transitou normalmente pela Assembleia Legislativa, cruzando com deputados como Manoel Ribeiro (PTB), à época presidente da Casa que o cassou, e Raimundo Cutrim que, naquele tempo, era secretário de Segurança Pública e responsável pelas investigações e prisões do crime organizado no Maranhão. Encarou a Imprensa, que passou a odiar após o episódio, com naturalidade.

Em alusão aos 179 anos de Instalação do Poder Legislativo no Estado do Maranhão e a Promulgação da 4ª Constituinte, a Assembleia Legislativa prestou homenagens a 46 deputados estaduais constituintes de 1989, com a entrega de placas em solenidade no Plenário Nagib Haickel, no Palácio Manoel Bequimão.

Deputados Constituintes de 1989

Anselmo Ferreira; Aristeu Barros; Bete Lago (em memória); Benedito Terceiro ;Carlos Braide; Carlos Guterres; Carlos Melo (em memória); Celso Coutinho; César Bandeira; Clodomir Paz; Conceição Andrade; Daniel Silva; Eduardo Matias; Emanuel Viana; Francisco Camelo; Francisco Martins; Galeno Brandes ( em memoria); Gastão Vieira; Inácio Pires; Irineu Galvão  (em memória); Ivar Saldanha (em memória); João Bosco; Jorge Pavão; José Bento Neves (em memória); José Elouf (em memória); José Genésio; José Gentil; José Gerardo (condenado e preso pelo crime organizado no Maranhão); Juarez Lima; Juarez Medeiros; Júlio Monteles; Juscelino Rezende; Kleber Carvalho Branco (em memória); Léo Franklin ( em memória); Luis Coelho; Marconi Farias; Márcio Carneiro; Pedro Vasconcelos; Petrônio Gonçalves; Pontes de Aguiar; Raimundo Cabeludo; Raimundo Leal ( em memória); Raimundo Nonato Jairzinho da Silva (em memoria); Remi Trinta; Ricardo Murard; Sarney Neto.

Postagens relacionadas

23 thoughts on ““Foi para honra e glória do senhor”, diz Zé Gerardo após receber homenagem da Assembleia Legislativa

  1. isso é normal nesse lugar aí q eles chamam de “casa do povo”, na verdade nenhum desses crápulas podem “condenar” o outro, pois todos são ligados mesmo q indiretamente, então eles estão mostrando o q de fato é o maranhão na política, um atraso e um misto de império romano com a máfia italiana……..”bandidos travestidos de políticos” com exceção de alguns apenas….

    1. Luciano, eu, sinceramente, fiquei pasma com essa homenagem a Zé Gerardo. Mas teve colega de Imprensa que virou e me disse que isso era uma forma de “ressocialização”. Então, tá! Obriga por comentar, Luciano. Abraço!

      1. o q me revolta cara amiga, é um sujeito totalmente desprovido de ombridade e amor ao próximo receber homenagens dessa natureza….e o pior, é ainda usar o nome de DEUS em vão….um verdadeiro acinte e desrespeito total….sei q todos nós merecemos perdão e uma outra chance….LAMENTÁVEL…tantas coisas importantes pra esses deputados fazerem…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.