Josimar diz que PL ainda não confirmou apoio a Roberto Rocha na disputa pelo Senado

O deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) disse que ainda não está confirmado apoio de seu grupo político à pré-candidatura do senador Roberto Rocha (PTB) ao Senado. A declaração foi dada, nesta quarta-feira (25), em entrevista a uma emissora de tv local.

Na entrevista, ele falou ainda sobre seu recuo da pré-candidatura ao governo do Estado, a decisão de apoio ao senador Weverton Rocha (PDT) na corrida ao Palácio dos Leões e dos próximos passos do seu grupo político para as eleições deste ano.

Sobre o apoio à pré-campanha do senador Roberto Rocha, que até chegou a anunciar o PL em sua base com banner de fundo em coletiva , Maranhãozinho disse que nada está definido. “Não posso dizer que está definido. O nosso partido irá escolher”, sentenciou.

Ele falou sobre a definição de apoio do seu grupo político ao senador Weverton, que se deu após conversas e garantias políticas e resultou na indicação para vice na chapa do pedetista. “Nós tivemos essa liberdade de escolha, o que facilitou muito a decisão do nosso grupo. Ainda não temos um nome. Estamos conversando para deliberar”, informou.

Maranhãozinho ressaltou que houve tentativa de apoiar o governador Carlos Brandão (PSB), mas, que não houve a devida acolhida. “ Não me senti bem em voltar e nem meu grupo político. E tomamos uma decisão em conjunto, em grupo sobre o que seria melhor. Vimos a necessidade de ouvir o senador Weverton e as tratativas com ele foram melhores”, explicou o deputado federal.

Governo

Sobre o dito de que não sairia da disputa ao governo, ele justificou na responsabilidade pelo Maranhão. Lembrou sua média de 12% alcançados nas pesquisas de intenção de votos e ressaltou que a decisão foi de grupo político e pautada na democracia. “Nesse momento, agregamos parte do nosso plano de governo e do sonho de desenvolver o Maranhão na pré-campanha do senador Weverton”, disse Maranhãozinho.

Nacional

Na relação da legenda com o presidente Jair Bolsonaro (PL), a intenção é atuar de forma independente. “Nessa aliança com o PDT, não foi citada aliança com o governo federal, com Brasília, nem com o presidente da República. A decisão de campo de atuação partirá exclusivamente do nosso pré-candidato ao governo, senador Weverton”, afirmou.

Processo
Sobre processo em que figura no Conselho de Ética da Câmara Federal e investigações policiais no que se referem a repasse de emendas parlamentares, Maranhãozinho se mostrou tranquilo. “Não vejo nenhum comprometimento, pois são só investigações. Não há qualquer processo formalizado”, informou.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.