LATA D´ÁGUA NA CABEÇA – Ricardo Murad trata problema da falta de água com descaso

 “Estamos em pleno século XXI e, aqui no Maranhão, o povo continua carregando                lata d´água na cabeça todos os dias”

Deputados criticaram a falta de água e
os péssimos serviços da Caema 

A questão da falta de água em São Luís e na maior parte das cidades maranhenses é mais grave do que se imagina, enquanto isso, o secretário de Saúde, Ricardo Murad, a quem a Caema (Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão) está subordinada, que deveria estar preocupado em resolver o problema, age como se nada  estivesse acontecendo e ainda trata o assunto com ironia ao alardear que, se não conseguir resolver o impasse até abril de 2014, pede demissão. Ora, neste período é evidente que ele deixará mesmo o cargo para se desincompatibilizar e, mais uma vez, disputar mandato político.

A falta de água, praticamente em todos bairros de São Luís e em diversas cidades do interior, e a precariedade dos serviços prestados pela Caema à população maranhense levaram um “bombardeio” de críticas, na sessão da Assembleia Legislativa desta quarta-feira (25). Os deputados Zé Carlos (PT), Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Eliziane Gama (PPS), Bira do Pindaré (PT) e Marcelo Tavares (PSB) foram à tribuna cobrar soluções para o problema que se arrasta há bastante tempo.

Bira do Pindaré protestou na tribuna, frisando que, nesta semana, aconteceu o caos em São Luís, em razão da falta de água e a população foi às ruas. “Estamos em pleno século XXI e, aqui no Maranhão, o povo continua carregando lata da água na cabeça. Essa é a realidade nua e crua”, disparou o petista.
Na mesma linha, Zé Carlos lembrou que, desde a década de 80, participa de discussões sobre a situação financeira da Caema. Segundo ele, se o governo do Estado não der um choque de gestão na companhia, o problema do abastecimento de água nunca será resolvido.
  
Já o líder da Oposição, Rubens Júnior sugeriu que a Mesa Diretora convoque ou convide o diretor-presidente da Caema, João Reis Moreira Lima, para que ele preste à Assembleia Legislativa esclarecimentos sobre os problemas que estão afetando a Caema.
Eliziane Gama reforçou a proposta defendida pelo colega Rubens Júnior. Segundo ela, esse é um assunto, reiteradamente, discutido na Assembleia e é um problema que parece “insolucionável” porque não há uma decisão real para o investimento e a solução desse problema. 
O deputado Marcelo Tavares observou que, há pouco tempo, foi veiculada nos meios de comunicação uma propaganda, onde o governo anunciava que iria acabar com o racionamento de água, mas que, verdade, agora falta água é todo dia.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.