Lobão de bico e garras afiadas como um “falcão”

Por Jacir Moraes*

Jacir Moraes é colaborador deste blog
O carnaval este ano será na primeira quinzena de fevereiro e tão logo termine a brincadeira de Momo, os tambores começam a rufar para o campo político partidário com vistas à eleição de 2014, quando teremos candidatos ao Senado, Câmara Federal, Assembleia Legislativa, Governo e Presidência da República.


A governadora Roseana Sarney já se articulou e acenou com apoio declarado ao chefe da Casa Civil, ex-prefeito de Ribamar, Luís Fernando.  Para que este tenha chances de concorrer, necessário se faz o apoio maciço com toda a parafernália do governo do Estado, o que não aconteceu na eleição de prefeito quando o seu vice-governador, Washington Oliveira, concorreu ao cargo de prefeito de São Luís, sendo, vergonhosamente, atropelado, pois recebeu uma votação incipiente. Tudo, acreditamos, por falta do apoio da máquina pública, o maior cabo eleitoral em uma disputa.


Em 1990, quando se ensaiava os primeiros passos para a escolha de candidatos ao governo do Estado, eu tive um encontro, ocasionalmente, na cidade de Balsas, com o hoje ministro de Minas e Energia e senador da República, Edson Lobão. Naquela ocasião, discutíamos a possibilidade dele disputar o cargo de governador. E ele, com um rápido sorriso no canto da boca, disse: “você está no exercício da profissão de jornalista e deve saber mais do que eu” e pediu licença para se retirar.


Vieram as eleições de 90 e Lobão se elegeu governador no segundo turno com o apoio do hoje senador José Sarney. O mesmo aconteceu no mandato seguinte em que Lobão concorreu e ganhou a reeleição para governador.


Testado e vitorioso em dois mandatos de deputado federal, dois de senador e dois de governador, Lobão ensaia novos passos em busca de mais um mandato ao governo do Estado. Não temos dúvida de que, com apoio de Sarney, do senador João Alberto e de mais um grupo de aliados seus e se a governadora não agir como fez com seu vice, Washington Oliveira, Edson Lobão fará um passeio e trará o voto necessário a mais uma vitória.

Luís Fernando e Flávio Dino na berlinda

Não podemos esquecer que o chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva, tem também a sua história política. Sagrou-se vitorioso em dois mandatos do município de São José de Ribamar. Daí, não é bom subestimá-lo.



Quanto ao ex-deputado Flávio Dino, de um único mandato federal, e que foi togado da Justiça Federal, pompa que ele ostenta até hoje, o que se pode dizer? Concorreu e se elegeu uma única vez a deputado federal, foi candidato a prefeito de São Luís em 2008, quando não obteve êxito; o mesmo aconteceu quando disputou o governo em 2010; e no ano passado, limitou-se a ser o maior apoiador do hoje prefeito da capital maranhense, Edivaldo Holanda Júnior, e hoje está presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur). E como diz o seu próprio pai, o ex-prefeito Sávio Dino, em política até boa voa. Por isso, é preciso ter cuidado com o “voo do falcão”.



Lobão é um político tal qual o jogador de futebol, que está sempre no lugar certo, na hora certa, pronto para marcar o gol. E como um falcão, encontra-se, atualmente, no seu ponto de observação, no topo mais alto da árvore, preparado para dar o vazante e surpreender os mais desavisados. Ele, no momento, está muito bem situado e com grande credibilidade à presidenta da República, Dilma Rousseff, e é visto com bons olhos nos meios políticos nacionais.



 _______________________________________________________________
*Jacir Moraes é jornalista, fundador do jornal O Debate, ex-secretário de Comunicação da Assembleia Legislativa, trabalhou 26 anos na rádio Timbira do Maranhão, foi editor do Diário Oficial do Estado e ex-presidente da Abgraf – regional Maranhão e, a partir de agora, é colaborador do Blog da Sílvia Tereza.

Postagens relacionadas

One thought on “Lobão de bico e garras afiadas como um “falcão”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.