“Mensaleiros” não são presos políticos como quer passar o PT

Condenados do "mensalâo" tentam se passar por presos políticos
Condenados do “mensalão” tentam se passar por presos políticos

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de mandar prender os condenados no escândalo do “mensalão” não pode ser explorada pelo PT como um ato político, como temos vistos em declarações de petistas à Imprensa e nas redes sociais. Isso porque os mandados de prisão foram expedidos  com base “em provas contundentes”.

Uma análise nesse sentido foi feita pelo comentarista Arnaldo Jabor, na madrugada desta terça-feira (19), e eu penso da mesma forma. Ele também criticou as investidas do PT para tentar passar a ideia de que os condenados do “mensalão” são presos políticos. Eles, na verdade, pagam por terem lesado a sociedade, por terem cometido um crime e não apenas por participação em atos políticos, como se fossem heróis punidos pela rebeldia.

É lamentável que o presidente nacional do PT, Rui Falcão, tenha confundido uma decisão da Suprema Corte brasileira com uma ação política, querendo criar um clima no Brasil absolutamente distante daquele que era natural. Não contribui para a democracia um partido político querer transformar um julgamento numa ação política. O que vale para esse caso deve valer para todos os outros.

Nenhum de nós comemora prisões ou o sofrimento de quem quer que seja, por mais radical adversário que possa ter sido ou que seja do nosso campo político. A decisão do Supremo Tribunal Federal vai ao encontro de uma grande expectativa da sociedade brasileira, que era a punição não de A ou B escolhidos politicamente, mas daqueles sobre os quais recaiam provas contundentes na avaliação da Suprema Corte brasileira.

A direção nacional do PT prepara medidas concretas em relação à forma como o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, executou a prisão dos condenados no caso do mensalão. Ganha força no partido a elaboração de uma nota de repúdio com críticas duras a Barbosa. O PT também defende a realização de atos nos Estados.

Segundo petistas, houve excessos e o ministro afrontou a decisão da Suprema Corte ao manter em regime fechado réus que deveriam cumprir pena no semiaberto, como o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu; o ex-presidente do PT, José Genoíno, e o ex-tesoureiro do partido, Delúbio Soares.

Trocando em miúdos, o PT terminou de se desmoralizar no Brasil com a prisão dos “mensaleiros”, afinal o povo brasileiro sabia do escândalo, mas não havia a consciência da dimensão do crime cometido contra o Estado, contra a soberania popular, enfim, contra a nação. Só temos a lamentar, mas não devemos baixar a cabeça. Devemos nos empenhar, sim, para passar este país a limpo.

Veja aqui as penas a que foram condenados os réus do mensalão.

 

Postagens relacionadas

2 thoughts on ““Mensaleiros” não são presos políticos como quer passar o PT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.