Carlos Brandão é quem comanda as conversas do PSDB, visando às alianças para 2014
Carlos Brandão é quem comanda as conversas do PSDB, visando às alianças para 2014

O PSDB do Maranhão terminará esse ano pré-eleitoral com mais incertezas do que quando iniciou este 2013. O partido vive hoje um de seus maiores momentos de indecisão para definir os rumos que tomará visando às coligações tanto na proporcional quanto na majoritária. E haja “dor de cabeça” para encontrar um denominador comum.

Entre os tucanos, há quem defenda aliança com o pré-candidato do grupo Sarney, seja ele Luís Fernando Silva ou não; com o PCdoB do presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), Flávio Dino, ou com a pré-candidata do PPS, deputada Eliziane Gama, esta última já com menos intensidade.

O PSDB é um partido grande, com mais de dois minutos de televisão, e é claro que queira se valorizar e desejar uma vaga na majoritária, candidato a vice ou ao Senado, em qualquer uma das composições.

Acordos fechados entre outros partidos 

Mas o problema são os acordos fechados anteriormente, como é o caso de Luís Fernando que, se  mantiver aliança com o PT, terá que dar a vice para os petistas e o posto de candidata ao Senado já é da governadora Roseana Sarney. Além do mais, não seria interessante também para os tucanos uma aliança na proporcional com o PMDB por conta da alta concorrência. Seria arriscado para os candidatos a deputado.

Flávio Dino também tem dificuldades de fechar com o PSDB por conta de acordos fechados anteriormente com o PDT, de quem seria a vaga de candidato a vice, e com o PSB – para o qual ficou a promessa do posto de candidato ao Senado.

Eliziane e candidatura própria 

Restaria ao PSDB uma aliança com Eliziane Gama que não tem pré-candidatos definidos nem à vaga de vice, nem ao Senado. Porém, o PPS quer repetir a aliança na proporcional e os tucanos temem por seus candidatos a deputado em uma coligação. Também não querem arriscar.

Ainda caberia ao PSDB lançar candidatos próprios na majoritária, governador e senador, e montar uma coligação estratégica com outros partidos para tentar garantir seus deputados eleitos. Porém, este também seria um plano arriscado. Os melhores quadros não querem queimar cartucho e somar desgastes. Preferem garantir mandatos legislativos!

Nos bastidores é o presidente estadual do PSDB, deputado federal Carlos Brandão, quem comanda as articulações, mas com retorno frequente aos deputados da bancada tucana, Gardênia Castelo e Neto Evangelista, e ao ex-prefeito de São Luís, João Castelo.

É certo que até o mês de junho, quando se definem as coligações de 2014, “muita água ainda passará por debaixo da ponte”, mas os tucanos, até pela força que têm, não podem ficar esperando o barco passar por muito tempo, pois a política é dinâmica e bota dinâmica nisso aí!

Postagens relacionadas

2 thoughts on “O PSDB e as incertezas para 2014…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.