Oposição condena uso político da questão da merenda escolar em São Luís

Oposição rebateu provocações de Roberto Costa

Os deputados Othelino Neto (PCdoB), Marcelo Tavares (PSB) e Rubens Júnior (PCdoB) responderam às provocações do deputado Roberto Costa (PMDB) sobre a questão da merenda escolar nas escolas comunitárias de São Luís, durante a sessão desta segunda-feira (14). Os parlamentares da Bancada da Oposição condenaram o uso político do assunto e a tentativa dos governistas de passar a ideia de que as escolas tradicionais da rede municipal enfrentam problema com a qualidade da alimentação servida aos estudantes.


Segundo Othelino Neto, Roberto Costa, em seu pronunciamento, falou como se o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, e o presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), Flávio Dino, fossem os responsáveis pelo fato do Maranhão ser campeão de pobreza no Brasil. O parlamentar lembrou que os dois não estão no poder há 50 anos, diferente do grupo Sarney que comanda a política e o processo de empobrecimento do Estado há cinco décadas.


“O governo fala da educação em São Luís, que tem uma gestão que começou há apenas nove meses. Mas acabou de sair, na última Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNAD), que o Maranhão é o segundo Estado com mais analfabetos no Brasil, mas o Governo diz que a culpa é da Oposição. Quero lembrar, aqui, que Flávio Dino não era nem nascido quando o grupo Sarney começou a mandar no Estado”, disparou Othelino Neto.


Para o deputado do PCdoB, quem expõe o Maranhão ao vexame nacional e internacional é a gestão da governadora Roseana Sarney e não a Prefeitura de São Luís. “Quem esqueceu do “Limpa Fossa”, apagando incêndio? Quem esquece dos indicadores de pobreza do Estado e da lista das 10 piores escolas do Brasil, das quais cinco estão no Maranhão? Então o mesmo governo que condenou o Maranhão à pobreza quer agora cobrar soluções, como num passe de mágica, do prefeito Edivaldo Holanda Júnior?”, indagou Othelino Neto.




Governistas tentam confundir opinião pública com “café com farinha”

Durante pronunciamento, o deputado Marcelo Tavares deixou claro que não são as escolas da rede municipal que estão servindo “café com farinha”, na merenda escolar, para seus estudantes e que esse problema isolado foi observado em uma escola comunitária, cadastrada para receber os recursos da alimentação, que são repassados pela Prefeitura de São Luís por meio de convênio, mediante documentação legalizada.


Marcelo Tavares criticou Roberto Costa pelo fato de tentar passar à opinião pública que a merenda das escolas municipais é café com farinha, o que, segundo ele, não é verdade. O deputado, porém, reconheceu que, mesmo o serviço sendo oferecido por escolas comunitárias, a educação infantil é obrigação, sim, do município, assim como é dever do Estado resolver o problema da Segurança Pública.


“O prefeito de São Luís tem que resolver o problema das escolas comunitárias, isso é fato. E a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, tem que resolver o problema da segurança, isso também é fato”, ponderou Marcelo Tavares.


Uso político – Já o deputado Rubens Pereira Jr lembrou que o assunto sobre a questão da merenda escolar das escolas comunitárias já havia sido esclarecido, na semana passada, e condenou que o assunto esteja sendo tratado politicamente. O parlamentar do PCdoB convidou, em pronunciamento, Roberto Costa a formar, com todos os deputados interessados, uma comissão para visitar escolas e conversar com o secretário municipal de Educação, Allan Kardec.


“Vamos sair da tribuna e tentar ajudar a resolver o problema, porque o primeiro passo é reconhecê-lo. Se fosse o governo do Estado, ele estaria, a esta altura, dizendo que era um boato. Então o primeiro passo é reconhecer o problema. Segundo, vamos tentar resolver e não usar isso politicamente”, rebateu Rubens Jr.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.