Oposição diz que não permitirá "maracutaias" na eleição de 2014

Os parlamentares disseram que não permitirão abusos
Em um embate com a bancada governista que perdurou durante toda a sessão, os deputados Rubens Jr. (PCdoB), Othelino Neto (sem partido) e Bira do Pindaré (PT) afirmaram, na sessão desta quinta-feira (5), que a oposição vai continuar atuando no sentido de fiscalizar as ações do governo do Estado, fazendo denúncias de uso eleitoreiro dos recursos públicos. 

O primeiro que tratou do assunto foi Rubens Jr., que é líder do Bloco Parlamentar de Oposição (BPO). O parlamentar garantiu que “o governo sentiu o golpe, acusou a pancada que levou, porque percebeu que a oposição não permitirá que os abusos que macularam e mancharam a eleição de 2010 se repitam em 2014”.
Rubens Jr. assegurou que as denúncias não ficarão sem encaminhamento, a exemplo do que fizeram na semana passada, quando tiveram audiências com a procuradora-geral de Justiça, e, na segunda-feira, com o procurador Regional Eleitoral, com a finalidade de que haja investigação e sejam apuradas as responsabilidades.
Depois foi a vez de Othelino Neto, que rebateu também novas acusações da bancada governista, de que o pré-candidato do PCdoB, Flávio Dino, estaria trabalhando contra o Maranhão.
“Nós nem temos a pretensão de dizer que não pecamos, certamente o fizemos, mas o pecado de empobrecer o Maranhão, esse pecado não é nosso, esse pecado é do grupo comandado pelo senador Sarney”, assegurou.
Othelino disse ainda que  a oposição não é contrária às ações do governo, mas cobra o fim da exploração eleitoreira. “Nós não nos insurgimos contra o Governo Itinerante. Bom seria que nos quatros mandatos da governadora ela tivesse feito diversos governos itinerantes, levando os benefícios à população do Maranhão”, cobrou.
Em seguida foi o deputado Bira do Pindaré que tratou do mesmo assunto e afirmou que “os ataques que são feitos contra o presidente da Embratur, Flávio Dino, nada mais são do que desespero de uma oligarquia que sabe que está chegando a seu fim, que sabe que está tendo os seus últimos suspiros; então, por conta disso, é natural que eles reajam e que ataquem e tentem diminuir a liderança e o papel importante que o líder do PCdoB tem nesse momento no processo político do Maranhão”.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.