Oposição pedirá intervenção no Sistema de Segurança e apoio do Ministério da Justiça

Deputados da oposição querem intervenção no Sistema de Segurança do Estado
Deputados da oposição querem intervenção no Sistema de Segurança do Estado

Os deputados Rubens Júnior (PC do B), líder do Bloco de Oposição, Raimundo Cutrim (PC do B), Othelino Neto (PC do B) e Bira do Pindaré (PSB) voltaram a criticar duramente o crescimento da violência no Maranhão, na sessão desta terça-feira (12), e anunciaram que vão pedir intervenção federal. O Ministério Público requereu a intervenção no sistema carcerário e os parlamentares farão um aditamento a fim de estendê-la a todo o Sistema de Segurança do Estado do Maranhão.

A Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa se movimenta também para solicitar ao governo federal que o Ministério da Justiça venha olhar de perto o caos que se instaurou na Segurança Pública do Maranhão.

Segundo Rubens Júnior, trocar o comando da Polícia Militar não vai resolver o problema de segurança, pois o problema é do Sistema de Segurança, que está falido e não traz resultado, e do secretário de Segurança, Aluísio Mendes, que não tem apoio popular e nem da corporação. “Fracassou porque foi incompetente e, agora, porque não tem sustentação da base”, argumentou.

Raimundo Cutrim, mais uma vez, voltou a responsabilizar o secretário de Segurança pelo caos no Sistema de Segurança Pública, acrescentando que pode colocar o comandante do Brasil todo, que não vai ter jeito, pois o problema é a cabeça do sistema que está fragilizada. “Desafio um deputado aqui que venha me dizer que a segurança está boa, desafio”, observou.

Othelino Neto enfatizou o descontentamento dos policiais militares que, na segunda (11), fizeram uma manifestação na Praça Deodoro, na qual denunciaram e reclamaram da falta de Segurança Pública no Estado do Maranhão. “Os policiais disseram que se não demitir o secretário, se não trocar o secretário, eles vão parar. Aí com a Polícia Militar em greve, vamos experimentar o absoluto caos”, alertou.

Bira do Pindaré, por sua vez, afirmou que o Sistema de Segurança está falido e não consegue mais responder a nada e que sua incapacidade está comprovada. Ele indagou por que a governadora não pede a Força Nacional para ajudar no enfrentamento à criminalidade, bem como a razão por que não devolve os recursos do Orçamento Estadual, que foi reduzido em R$ 8 milhões.

Postagens relacionadas

12 thoughts on “Oposição pedirá intervenção no Sistema de Segurança e apoio do Ministério da Justiça

  1. Estado deve responder com rigor aos ataques tanto dos marginais quanto dos oportunistas

    De olho nas eleições de 2014, oposicionistas maranhenses de todas as patentes, ideologias e partidos, como que em um passe de magica, de uma hora para outra, transformaram se em especialistas na área de segurança publica.

    Jornais, blogs, sites, rádios e emissoras de Tv, reproduzem a exaustão as mais estapafúrdias receitas prontas e milagrosas apresentadas por tais experts, a maioria dos tais especialistas nunca administraram sequer uma bodega, e mesmo assim usam de oportunismo barato, promovendo seus nomes e vendendo solução e resposta rápida para problemas que desconhecem e para o qual não dispõem de capacidade para solucionar.

    Criticar, atacar, jogar pedras, criar clima de panico e medo na população, fingir que o tema e de fácil solução e tem resposta rápida, é jogar para a plateia, é ser demagogo, é dizer inverdades, é buscar votos em cima da dor, do panico e do medo da população.

    Pedir a exoneração do secretário Aluísio Mendes, conspirar e incentivar para que a Polícia Militar cruze os braços, é torcer contra o Maranhão, e ser adepto do “quanto pior Melhor”.

    O confronto entre a lei e o crime se torna cada dia mais intenso e a audácia dos marginais que decidiram enfrentar e desafiar o estado e a legalidade, precisa de uma resposta rápida, eficaz e coerente.

    Independente de partido politico, ideologia, situação ou oposição, todos tem o dever de juntar forças e escolher um lado para lutar, esta batalha é de todos nós, o desafio é enorme é precisa ser encarado de frente por todos nós.

    Usar de politicagem neste momento delicado é jogar a favor do crime, atacar A, B c ou D é dar força para a bandidagem. A saída para a crise, passa pelo dialogo, pela união, e por um enfrentamento através de ações unificadas.

    Executivo, legislativo, judiciário, Ministério Público, bancada federal, sociedade civil organizada, todos são chamados para ajudar no combater a criminalidade e a violência não só em São Luis, mas em todo o estado do Maranhão.
    http://www.abimaelcosta.com.br/2013/11/estado-deve-responder-com-rigor-aos.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.