Othelino diz que grupo Sarney tenta confundir opinião pública para faturar politicamente

Deputado disse que oligarquia
empobreceu o Maranhão
O deputado Othelino Neto (PPS) disse, em pronunciamento nesta segunda-feira (09), que o grupo Sarney está tentando confundir a opinião pública para faturar politicamente. Segundo ele, uma hora tentam passar a ideia de que o presidente da Embratur, Flávio Dino, foi orientado a se afastar do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr; outra  hora acusam a liderança do PCdoB de estar participando, ativamente, de eventos da Prefeitura de São Luís.


“Primeiro até gostaríamos que o Flávio Dino viesse mais a São Luís participar dos atos com o prefeito, e é um direito que ele tem enquanto cidadão. Ocorre que ele passa a semana em Brasília, vem para cá nos finais de semana, quando pode fazer e usar o tempo dele da forma que quiser e bem entender. E, em regra, utiliza os finais de semana para participar do Movimento Diálogos pelo Maranhão ou para outra atividade que achar oportuna”, disse Othelino.


O deputado disse que o grupo Sarney cobra o prefeito de São Luís como se ele fosse mágico e pudesse resolver, em menos de nove meses, aquilo que não foi feito em uma vida toda. E questionou a autoridade da oligarquia Sarney, que domina o Maranhão há 50 anos, para cobrar ações rápidas de Edivaldo Holanda Jr, já que empobreceu o Maranhão durante cinco décadas.


Othelino lembrou que, enquanto a oposição anda, no “Diálogos pelo Maranhão”, às próprias custas, o governo do Maranhão gasta milhões com aviões e helicópteros e que, inclusive, o secretário de Infraestrutura, Luís Fernando, utilizou helicóptero do Estado para fazer reunião claramente eleitoreira, “para uma conversa muito estranha dizendo qual era a forma de montar a vitória na eleição do ano que vem”.


“Quem quer ir para o Diálogos pelo Maranhão vai em seu carro próprio, pagando o seu combustível. Em geral, todos os eventos foram feitos, aliás, em locais com muita simplicidade. Não se precisa mandar ônibus para buscar ninguém; não se tem convênio eleitoreiro para oferecer; não se tem ilusões para vender; o povo vai porque quer falar e ouvir a mensagem da esperança”, frisou Othelino.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.