Polícia pede prorrogação do inquérito do caso Hamilton e deve fazer reconstituição

A Polícia Civil do Maranhão deve pedir a prorrogação do inquérito de Hamilton Bandeira, o jovem com deficiência mental que foi morto após operação policial dentro de casa, em Presidente Dutra.

Depois de quase um mês, as investigações ainda não foram concluídas. Um dos principais exames, o cadavérico, só foi feito pela perícia há uma semana. O corpo de Hamilton foi desenterrado 26 dias após o homicídio.

A Delegacia Regional de Presidente Dutra abriu a investigação, que depois passou a ser feita por uma força-tarefa de delegados da Superintendência de Homicídios da capital e da Superintendência de Combate à Corrupção (Seccor).

Hamilton César Bandeira, de 23 anos, que sofria de deficiência mental, foi morto a tiros após operação policial civil, no dia 17 de junho no município, em Presidente Dutra. Os policiais teriam ido à casa do rapaz para entregar uma intimação e apurar uma denúncia de que ele estaria fazendo apologia ao crime pelas redes sociais e alegaram que o jovem estava armado com uma faca na hora da abordagem, mas o avô dele, que estava no local, nega o fato.

Postagens relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *