População de Pinheiro protesta contra construção de presídio em área urbana, denuncia deputado

População bloqueou estrada em protesto contra construção de presídio em área urbana
População bloqueou estrada em protesto contra construção de presídio em área urbana

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) registrou, na sessão desta quinta-feira (06), a insatisfação da população de Pinheiro com a construção de um presídio em local inadequado, em plena área urbana, em Ponta de Santana, povoado muito próximo da cidade, onde haverá um distrito industrial, um parque de exposição e uma escola técnica. Os moradores realizam protestos na MA que liga Pinheiro a Santa Helena contra o governo do Estado, que desrespeita o Plano Diretor do Município.

“A população de Pinheiro está indignada porque, graças à falta de planejamento e de sensibilidade do governo do Estado, depois de muito tempo para escolher o local adequado, a Secretaria de Segurança Pública resolveu desrespeitar o Plano Diretor do Município para construir um presídio em área urbana”, disse Othelino Neto.

O governo do Estado começou a construir a penitenciaria, concluiu a terraplanagem, mas a comunidade não aceita que o presídio seja erguido em Ponta de Santana. O plano diretor do município diz que, num raio de 10 km do perímetro urbano, não pode ser construído presídio e o povoado só fica a 3 km de Pinheiro.

Protestos e bloqueio de estrada

Othelino Neto informou que as comunidades estão reunidas, permanentemente, inclusive por conta do desrespeito ao Plano Diretor da Cidade, e já estão ajuizando uma ação pedindo que o Poder Judiciário determine a paralisação da obra. Segundo o deputado, o clima é tenso e a situação já chegou ao ponto da MA ser bloqueada  pelos moradores.

Na última quarta-feira (05), outro grande protesto interditou a MA que liga Pinheiro a Santa Helena no Maranhão. Eles bloquearam o local com pneus, madeira e outros utensílios e ameaçam paralisar tudo por tempo indeterminado caso a obra prossiga. Após contato com o comando da Polícia Militar da região, conseguiram a promessa de que o secretário de Segurança, Aluísio Mendes, irá ao município discutir a questão.

“O governo do Estado se fosse transparente, responsável e se respeitasse a população de Pinheiro, teria promovido essa discussão antes de começar as obras. Mas, infelizmente, mais uma vez, o governo do Estado demonstra, na prática, o seu estilo autoritário de atuar, constrangendo a população. Claro que tem que construir o presídio, mas não precisa ser no perímetro urbano”, finalizou Othelino Neto.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.