Presidente do PT nega acordo com PMDB para apoiar família Sarney

Folha

Rui Falcão negou notícia veiculada pela mídia sarneysista
Rui Falcão negou notícia veiculada pela mídia sarneysista

DE BRASÍLIA – O presidente do PT, Rui Falcão, negou que seu partido tenha decidido manter o apoio à família Sarney em vez de chancelar a candidatura do comunista Flávio Dino ao governo do Maranhão.

A declaração foi dada horas após o presidente do PMDB, Valdir Raupp, anunciar que o PT decidiu manter sua aliança com os Sarney no Estado.

Ambos participaram de uma reunião na Granja do Torto com Dilma Rousseff e Lula.

“Tem uma ala do PT que apoia a ideia de continuar com o Sarney, mas há também um pedido do Flávio Dino que nós o apoiemos. Não houve nenhum acordo”, afirmou Falcão.

Raupp havia dito que endossar os peemedebistas fora o único entendimento da reunião –da qual o senador José Sarney (PMDB-AP) também participou.

O apoio a Dino é um dos poucos apelos feito pelo PC do B ao PT na corrida eleitoral de 2014. O nome do PMDB ao governo ainda será lançado por Sarney, atual governadora do Estado.

Falcão também negou acerto para que seu partido continue na base aliada do governador do Rio, Sérgio Cabral. “Quando o PT vai sair do governo é uma decisão de lá [PT do Rio].”

Postagens relacionadas

4 thoughts on “Presidente do PT nega acordo com PMDB para apoiar família Sarney

    1. Querida, leia melhor a matéria que, inclusive, eu reproduzir da Folha, não foi de qualquer lugar não. Foi de um veículo conceituado. Querida, em nível nacional, PT e PMDB estão, sim, na mesma base de sustentação e se apoiam. São da base de sustentação ao governo Dilma Rousseff, assim como o PCdoB que, nacionalmente, também está nesta base. Acontece que no Maranhão, os dois partidos aliados têm candidatos diferentes o que coloca o PT nacional em uma situação bem difícil. O Maranhão é um caso atípico como sempre, querida. Para o PT nacional é complicado desconsiderar o Flávio Dino, pré-candidato ao governo, que hoje é prioridade para o PCdoB nacional que, por sua vez, cobra fatura política dos petistas pela fidelidade ao atual governo. Há, sim, no Maranhão, uma situação adversa. Pelo jeito, você não conhece nada de política, nem procura se informar do que acontece na política do seu Estado, se é que você vive mesmo aqui e tem mesmo esse nome aí. E eu sou, sim, jornalista formada e tenho muito orgulho da minha formação. Sou uma profissional. Procure me respeitar. Mesmo com o seu desaforo, eu tenho educação para agradecer a você a leitura e a participação aqui com comentário. Abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.