Professores abandonam salas de aula do Estado para exercer outros cargos

*** Profissionais ainda recebem “gratificação” para permanecerem fora das salas de aula
Pedro Fernandes visitará pior escola do Enem
O Maranhão teve três escolas públicas entre as cinco piores do Brasil, segundo resultado do Exame Nacional de Ensino Médio 2011, sinal de que algo vai muito errado e de que o atual secretário de Educação do Maranhão, o deputado federal Pedro Fernandes, vai ter muito trabalho pela frente. Chega-me a informação de que uma das coisas que devem ser feitas, de imediato, pelo comandante da pasta é uma revisão geral do número de professores concursados  que estão realmente em sala de aula.
Denúncia anônima enviada a este blog revela que, pelo menos, 2.000 (dois mil) professores efetivos do Estado estariam lotados em setores da Secretaria de Educação (Seduc), deixando um buraco imenso em disciplinas fundamentais como Matemática, Português, Física, Química, História, etc. São profissionais que são substituídos por contratados ou “outra alternativa”, o que vem desqualificando o aprendizado nas salas de aula e trazendo como resultado um desempenho pífio, como por exemplo  o do Enem 2011.
Esses professores que estão fora da sala de aula alegam que não podem exercer a profissão porque são “alérgicos” para lidar com os instrumentos diários do magistério, ou que estão com algum problema de saúde, relacionado à voz ou ao ouvido. Apoiados em “laudos médicos”, eles conseguem a redistribuição e continuam recebendo, inclusive, gratificação por “incentivo à sala de aula” (GAM), como se estivessem realmente na labuta diária da sala de aula, sendo que estão desfrutando do conforto oferecido por outros setores.
Pedro Fernandes confirmou que irá pessoalmente, nesta semana, visitar o Centro de Ensino Médio Aquiles Lisboa, em São Domingos do Azeitão, considerado a escola de pior desempenho no Enem. Mostra, portanto, nesse início de gestão, disposição em desfazer esse quadro negativo para o Maranhão. Para isso, precisa colocar realmente os pingos nos is.
Uma das providências necessárias é mandar os professores, que se encontram recolhidos em outros cargos mais confortáveis, imediatamente de volta para a sala de aula. Foram concursados para a função e devem, portanto, exercê-la. Caso contrário, precisam abdicar da gratificação por incentivo à sala de aula. Se estão fora dela, então por que receber o incentivo?
Destaque negativo – O Maranhão se destacou, negativamente no cenário nacional, por apresentar três escolas entre as cinco de menor nota do país: em São Domingos do Azeitão, Olinda Nova do Maranhão e Centro Novo do Maranhão. Entre elas está a que obteve o menor desempenho, o Centro Educacional Aquiles Lisboa, em São Domingos.
Ao todo, foram divulgadas notas de 206 escolas maranhenses das redes de ensino pública e privada. Segundo o levantamento, as notas levam em conta as médias obtidas pelos alunos de cada escola que participaram do Enem em cada uma das quatro provas objetivas (ciências humanas, ciências da natureza, linguagens e códigos, e matemática), e também na redação.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.